segunda-feira, 8 de março de 2010

O dia em que Geoge Sanders se entediou

O ar naturalmente petulante rendeu a George Sanders alguns papeis de personagens pouco confiáveis. Como o arrogante crítico teatral de A Malvada (All About Eve) acabou laureado com Oscar de ator coadjuvante em 1951 e o Golden Globe na mesma categoria.

Um dos nove maridos de Zsa Zsa Gabor, de 1934 a 1973 trabalhou em 133 filmes. Segundo disse o amigo David Niven em sua autobiografia, ele era acima de tudo um homem de palavra.

Quando se conheceram em 1937, Sanders então com 31 anos, teria lhe dito que cometeria o suicídio ao chegar aos 65 anos de idade. Mais de três décadas depois cumpriu a promessa!

Em 23 de abril de 1972 seu corpo foi encontrado dois dias depois de ter tomado cinco garrafas de Nebutal (remédio comum na década de 50). Ao lado um dos mais pitorescos bilhetes de suicidas:

"Querido Mundo,
Estou saindo porque estou entediado. Percebo que vivi o suficiente. Estou deixando-o com as suas preocupações nesta fossa doce.
Boa sorte."

Veja também:
Belas e suicidas
Charles Boyer, romântico como na ficção


[Ouvindo: Dharma Lady – Geromino Jackson]

5 comentários:

Leticia disse...

Elegã.

Os suicidas do viaduto da av. Sumaré deveriam se espelhar nele. (Os do metrô então...)

Miguel Andrade disse...

Letícia, também achei de uma finess...

Moses Aron disse...

Adorei! A TRUE GENTLEMAN.

Miguel Andrade disse...

Moses, imagina o tédio na terceira idade pra ele que viveu tudo o que viveu? rs

Moses Aron disse...

Com certeza, mas acho que ele era daquele tipo que até receber um Oscar o entediava! Acho super sexy!

Related Posts with Thumbnails