quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Amanhã será outro dia


É com esta esperança Scarlettiana que desejo muitos grandes dias em 2009!

Esteja preparado!


Gente pobre, feia e que mora longe

Elton John


[Ouvindo: Bamba Samba – Charlie Byrd & Woody Herman]

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Todos os pés de Tarantino



6.INT. - ELEVADOR - MANHÃ

VINCENT
- O que é que o cara fez, passou a mulher dele na cara?
JULES
- Na, na, na, na, na, na, na, nada disso.
VINCENT
- Então, o que foi?
JULES
- Ele fez uma massagem nos pés dela.
VINCENT
- Uma massagem nos pés?
Jules acena a cabeça: "sim ".
VINCENT
- Só isso?
Jules acena novamente: "sim"



Segundo a Wikipédia, “podolatria é um tipo particular de fetiche cujo desejo se concentra nos pés”.

Desde Pulp Fiction (92), seu segundo longa lançado comercialmente, Quentin Tarantino faz apologia á prática. A exceção é o segmento “O Homem de Hollywood” de Four Rooms (95). Se bem que a Jennifer Beals fica de banho tomado, com as pernas esticadinhas numa Long Chair a maior parte do tempo.

Radicalizou ao trabalhar como ator em Um Drink No Inferno (96) de Robert Rodriguez. Graças ao seu roteiro, bebeu vinho diretamente dos pesinhos de Salma Hayek. Ou melhor, Santanico Pandemonium!

Um Drink no Inferno

Grande Hotel - O Homem de Hollywood

Jackie Brown

Kill Bill Vol. 1

À Prova de Morte

Veja também:
Kill Bill conexões


[Ouvindo: Wasted – Sean Lennon]
Infidelidade geek

É, minha amiga dona de casa, e a senhora que acha que seu marido perde muito tempo jogando vídeo game? Ainda não viu nada!

Clique na imagem e presencie Jack Black em uma cena tórrida usando consoles. Eu disse c-o-n-s-o-l-e-s!


[Ouvindo: Cosmic Dare – Seatbelts]

Cuba Libre vs. Hi-Fi

Vivi até aqui só pra ver isto! A vitória plena do capitalismo!!!

Tem um museu inglês fazendo exposição só com designes da época da Guerra Fria. O site é lindão e informativo, mas não dá pra salvar nada! A ilustração deste post é só um scan proveniente dos meus guardados.

Numa linha de tempo navega-se entre 1945 até 1970 pelas mais diversas áreas. De cartazes ideológicos a simples objetos domésticos.

Até aí, uma boa idéia sobre um dos mais marcantes períodos políticos da história recente. O interessante é que na página há uma lojinha vendendo TODO tipo de suvenir da contenda Rússia-EUA! Camisetas, pulseiras, pôsteres, livros... Porque afinal, quem levou a melhor na Guerra Fria?


[Ouvindo: Mask of Death – J Trombey]

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Yin e Yang

Sônia Braga atrás de árvores pra trocar a calcinha branca por preta em A Dama do Lotação equivale ás idas de Clark Kent pras cabines telefônicas. Iconográfico!

Veja também:
Neville de Almeida é puro pop


[Ouvindo: Transteverina (version 2) – Nino Rota]

Super Pop Prestobarba

A gente descobre que há um suco chamado Orangina e que deve ser a coisa mais linda de se pronunciar em inglês...

Daí que contrataram o designer Yuri Majic para uma edição mais pop do que um refresco engarrafado normalmente já é e se pensa “Uau! Que lindas garrafas!”...

Depois, basta lembrar daquelas coisas tipo calcinha no varal de tia interiorana com que o Romero Britto pesteia este brasilzão de meu Deus e dá uma preguiça danada.


[Ouvindo: Maniqui Parisien – Sara Montiel]

domingo, 28 de dezembro de 2008

Tremendões

Pra quem nasceu em marte e chegou aqui semana passada: No sentido horário, o rei Roberto Carlos, Wandeca e... O meu amigo Erasmo Carlos!

[Ouvindo: With A Heavy Heart (I Regret To Inform You) – Does It Offend You, Yeah?]

Pausa para nossos comerciais

Grendene Sharon – Na página da direita, Sharon. Na da esquerda também.

Olhando assim ninguém diz, mas a loura da vez nos 90’s foi Sharon Stone. Chegou a ser capa da revista Set três vezes no mesmo ano. Isso quando a publicação não era o Deus Nos Acuda de agora.

Coincidentemente, o dólar estava 1 por 1, e o cachê de celebridades de Hollywood acabava ficando mais em conta do que as nacionais. No Brasil, Stone ainda foi dirigida por Tony Scott num comercial tipo Instinto Selvagem para os sorvetes Kibon. Dizia-se à época, que a primeira escolha era Luiza Brunet que teria pedido muito mais dinheiro.


[Ouvindo: Fumando Espero – Carlos Gardel]

sábado, 27 de dezembro de 2008

Ed Gein: mais macabro que a ficção

A biografia de Ed Gein é a maior prova de que ser famoso não vale lá muita coisa. Basta fazer uma cagada homérica, que pronto! Seu nome está cravado em mármore para os anais da monstruosidade humana.

Ele gerou pelo menos três grandes filmes: Psicose (61), O Massacre da Serra Elétrica (74) e O Silêncio dos Inocentes (91). Nenhum deles captou o verdadeiro horror da vida real.Criado por uma mãe fanática religiosa no estado de Wisconsin (EUA), aprendeu desde cedo, junto ao único irmão Henry G. Gein, que mulheres eram a principal arma do diabo para a perversão. Jamais foi permitido que tivesse amigos, embora os colegas da escola facilmente gozavam dele por seu jeito um pouco efeminado e por rir sozinho no fundo da sala de aula.

Adulto, viu o irmão reagir negativamente em sua defesa à postura radical da mãe. Em 1944, depois que foram apagar um incêndio, Gein avisou a polícia sobre o desaparecimento de Henry. O corpo foi encontrado em posição suspeita, e mais tarde descobriu-se ter sido sufocado.

Quando a mãe também morreu, em 1945, Ed ficou sozinho e isolado, sendo visto apenas nas constantes visitas ao cemitério. Sua verdadeira rotina só foi descoberta em 1957, quando a polícia invadiu sua casa atrás de uma desaparecida.

Não só encontrou o cadáver no porão, preso pelos pés, decapitado e sem vísceras, como um verdadeiro cenário de filme de horror. Ed usou seus conhecimentos de taxidermia para transformar restos humanos furtados do cemitério em peças de decoração ou utensílios culinários. O que não faltou foi inspiração para coisas como abajur de pele, crânios-tigelas de sopa, máscaras reaproveitando rostos, entre algumas objetos até difíceis de serem descritas aqui.

Preso, confessou se vestir de mulher, assim como ter começado desenterrando senhoras de meia idade parecidas com a mãe. Acusado formalmente por dois assassinatos, foi sentenciado mentalmente incapaz, e cumpriu pena num hospital psiquiátrico até morrer de ataque cardíaco em 1984.

O site Ed Gein Collection possui algumas fotos tétricas sobre o caso, mas também podem ser encontradas no Google. O verbete da Wikipédia tem outros links, além de mais detalhes. No You Tube, há um curto documentário comparando com os personagens fictícios que inspirou e programa do canal A&E Biography.


Veja Também:
O Crime que Abalou Hollywood
De pin-up dos infernos à marco científico


[Ouvindo: Cause I'm A Man – P Reno]

Saludos Amigos

Ziriguidum, samba no pé! Teleco teco! Em 78, Príncipe Charles aproveitou seus últimos momentos de solteirice na folia carioca.

Mais tarde, como prova de que os ingleses estão sempre á frente, Pinah teria declarado que ele estava movido a álcool.

Deus salve a rainha. Do carnaval!


[Ouvindo: Cause I'm A Man – P Reno]

As Certinhas do La Dolce
Nancy Sinatra

Estirpe.


[Ouvindo: Hundred Mile High City – Ocean Colour Scene]

Pompa e circunstância

A rodoviária de Capão Bonito (oi?) é uma festa! Meu ônibus deu uma parada lá e entre as mais altas baixarias, estava escrito isso na porta do banheiro:

“Leila Diniz (Minha deusa)
Depois de 35 anos de sua morte (1972) até hoje bato (*) em seu louvor.
Isso é que foi mulher.
Um fã que não esquece.”


[Ouvindo: Highschool Hellcats – James Intveld]

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Presente pra você!

Nem precisou botar o sapatinho na janela... Como você foi bonzinho o ano inteiro, vai ganhar Dolce Hits Vol.2 neste natal! É uma forma de agradecer e retribuir por tantos momentos divertidos neste espaço.

Assim como no Vol.1, são algumas músicas com o espírito do La Dolce Vita e que logicamente escuto bastante. Dentro do arquivo ainda há uma capa em alta resolução para você imprimir, recortar e colar se quiser guardar seu CD exclusivo.

Bom proveito e feliz natal!


Tracklist:
01. African Music Machine - Black Water Gold (2:59)
02. Rock Hudson - Pillow Talk (2:55)
03. Carmen Miranda - Chica Chica Boom Chic (2:28)
04. Ennio Morricone - Driving Decoys (2:08)
05. Armando Sciascia - Hot Twist (2:03)
06. Betty Garrett - I Love Those Men (3:55)
07. Anita O'Day - What A Little Moonlight Can Do (2:30)
08. Walter Wanderley - Kee Ka Roo (2:51)
09. Wanderlea - Prova De Fogo (2:43)
10. Katyna Ranieri - C'Est Magnifique (3:03)
11. The Carrie Nations - Come With The Gentle People (2:31)
12. Nappy Brown - Piddily Patter, Patter (2:02)


Link pra baixar no Rapidshare.[LINK OFF]

[Ouvindo: It Might As Well Be Spring – Harry James]

Related Posts with Thumbnails