segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Em português BR é mais legal

Saudosismos geek na primeira cena de Rugburn! (2011 de Steve Cruz). A ironia é que o nome do Pac Man em português dá todo um sentido extra à cena que eles devem desconhecer.

Aqui a gente chamava de Come-Come até que os esnobes popularizaram o nome em inglês. Conta também o fato deste jogo (com o rótulo em inglês) vir no Super Game da CCE, mais em conta que o Atari 2600.

Lá, como a cultura pop gosta de difundir, quase teve duplo sentido também. Ao ser criado no Japão seria Puck-Man ( da onomatopeia paku-paku, de comer).

Substituíram a letra “u” pela “a” exatamente para não soar como a palavrinha de baixo calão. Usávamos Come-Come exatamente quando queríamos fazer piadinha evitada pelos americanos nessa troca.

Voltando ao filminho, notei um erro na cena. Não se jogava Pac Man em duplas!

Era chato pra caramba ter que esperar o outro ser devorado pelos fantasminhas para ter a vez de pegar no joystick. Embora o Atari só apareça aí para justificar a temática do título "Rugburn!", relativo as queimaduras do atrito com o tapete (risos).

Veja também:
Pac-Man online! Para passar e voltar no tempo
Nerds 80’s também amavam


[Ouvindo: The Second Time Around – Shalamar]

33 comentários:

Refer disse...

Uhm. Sei lá, me parece um duplo sentido um tanto forçado..., semelhante ao post recente ‘Império do Swing’, cujo produto, uma inocente caneca pra ser pendurada no pescoço (idéia de jerico, na melhor ou pior das hipóteses) virou um acessório para “orgias de troca de casais”. ‘Swinger’ originalmente era gíria para 'festeiro de arromba' — claro que uma orgia, eventualmente, podia entrar no cardápio, mas a palavra não tinha o apelo erótico que ganhou depois.

Neste post, quem quiser associar puck-man a fuck-man, pode. Já eu que sou mais casto, associo a puke-man — tem o mesmo som. Homessa, como vender na América um produto chamado “homem-vômito”?

Lembrar que no império da putaria tudo tem duplo sentido ou sugere sacanagem, haja vista a foto desse marmanjo manobrando o joystick. Pronto, agora, aguardo mensagens de duplo sentido com “joystick”...

* *
Falando em sentido duplo, assistam a este sensacional trecho de Ed Ames (cantava pra caraio!) no programa de Johnny Carson (aquele cara que imitava o Jô Soares). Olha o que rendeu o inocente arremesso de uma machadinha na maquete de um cowboy de madeira.

http://www.youtube.com/watch?v=1Qqy_N9KaG4

Miguel Andrade disse...

Refer, o lance de puck-man virar pac-man pra não virar fuck-man é uma das coisas mais contadas e recontadas que existem. Não é coisa da minha cabeça, conforme está claro no post e o senhor pode ter conhecimento numa pesquisadinha básica pela web.

Festas de swingers 70's também são mostradas em incontáveis documentários sobre a liberalidade sexual pós anos 60. O período em que os copos foram vendidos.

Para escrever um post parto sobretudo dessas informações estabelecidas culturalmente, não apenas do que eu acho, ou considero pessoalmente.

Glauco disse...

Bateu uma nostalgia, tenho que alugar esse filme... ele é sobre o que mesmo? Campeonato de come-come?

Miguel Andrade disse...

Glauco, Come-como no tapete. Pra ralar os joelhos, saca?

BBardot_ disse...

Hummmm.. só consegui reparar em uma coisa nesse post / fotos.

BBardot_ disse...

duas coisas...

Miguel Andrade disse...

BBardot, não era essa a intenção! :D

Daniel Tavernaro disse...

Miguel, menino safadjinho, hahahahah


(não aguentei não parecer o garotão bobão da postagem, rs)

Miguel Andrade disse...

Daniel, hahah! Mas é impossível ver eles jogando Pac-Man e não pensar "Ahaaaam! Come-Come".

Diogo disse...

Esse filme tem cara de ser bom hein?
quantas vezes você viu miguelzinho? hahahah

Miguel Andrade disse...

Diogo, só comecei a assistir e corri postar. Depois é que vi com calma. rs

Diogo disse...

Miguel, não sei você mas com a idade eu fico achando isso cada vez mais desinteressante.

Miguel Andrade disse...

Diogo, sim! Pra ser funcional tem que ser especial. Cada vez mais.

Diogo disse...

Miguel, e olha que tenho 16 e sou virgem, o que eu acho desinteressante é que eu já "descobri" o meu corpo entende, já estou pronto pra próxima fase. hahahahah

Miguel Andrade disse...

Diogo, credo, menino! Você tem que assistir Pernalonga!

Diogo disse...

Miguel, sabe que Pernalonga é super sugestivo né? hahahaah não digo que quero isso agora mas já tá hora não?

Miguel Andrade disse...

Diogo, como as coisas mudaram... Parece que antes (pelo menos comigo) era tudo ao contrário.

Diogo disse...

Miguel, não digo que sou avançadinho mas também nunca fui moleque...sou somente estranho. rs

Miguel Andrade disse...

Diogo, entendo, entendo. Mas acho estranho as facilidades internéticas.

Tudo era muito dificil antes. O que nos obrigava a viver mais.

Não só em termos sexuais. Pra conseguir qualquer filme, livro ou mera informação a gente tinha que mover o mundo.

Hoje, uma pessoa com 16 anos já viu de tudo, mas se mantém casta.

Diogo disse...

Em termos sexuais eu não vi de tudo, acho até estranho procurar coisas sobre isso, o que me instiga pesquiza é música e litetura (e pouco a pouco cinema hahah)

Miguel Andrade disse...

Diogo, não acho negativo nem positivo. Só diferente.

Daniel Tavernaro disse...

Diogo, acho normal isso que você está expondo. É uma forma de ter um "avanço sexual" sem ser pelas vias mais fáceis: pornografia, amigo ou amiga... E assim por diante. Como já foi dito, aos 16 anos, hoje, já se viu de tudo, de todas as formas e com todos os tipos. Há 10 anos, quando eu tinha 16, minha aventura era ver se o tiozinho da banca caia naquela de "já tenho 18" e vendia algum VHS (isso, DVD ainda era uma coisa nova e não ligada às bancas) "adulto".

Eu assisto a filme X-rated. Não com frequência, mas gosto de ver tipos e tempos. Por exemplo, depois que o Miguel (ou outro blog; peço perdão pela memória cada vez mais falha, rs) disse algo sobre o primeiro filme "pornô" brasileiro que tinha uma cena com dois homens, fui atrás e vi o quanto que os tipos, atitudes e jeitos mudaram... A cena de sexo, em si, logicamente como paga qualquer homem, é excitante, mas nada que seja maior que minha "curiosidade social" em relação aos filmes.

Em tempos de web, onde qualquer pessoa sem muita vergonha pode postar um vídeo íntimo na rede, a indústria também vivencia a onda de atores idiotas, sem expressão que só tem uma "benga" ou "atrizes" que já foram famosas porque tiveram "sei-lá-o-que-com-sei-lá-quem".

Sobre se descobrir...menino...você tem 16 anos, é virgem.... Tem muito a descobrir ainda...Inclusive em seu próprio corpo, rs!

Miguel Andrade disse...

Daniel, não sei se é avanço. Só o tempo dirá se o que somos hoje será algum avanço.

E o carão diante do tiozinho da banca? Deus m livre!

Daniel Tavernaro disse...

Miguel, acho que isso que nos deu iniciativa para uma "vida adulta", não? Essa coisa de assumir uma coragem surreal para alguém que, querendo ou não, poderia contar pra sua mãe o que você estava fazendo, rs. Hoje nem precisa dessa coragem toda... É por isso que geralmente os adolescentes ficam naquele amor platônico virtualmente e ao vivo não tem muita espontaneidade (ok, o tiozinho da banca não causou tudo isso, mas acho que faz parte da puberdade ter coragem de conseguir a pornografia para depois fazê-la, rsrsr).

Sobre avanço na pornografia, acho que houve o contrário. Banalização é pouco.... Os filmes 70's e 80's tem uma aura, sei lá, de glamour (não sei explicar), mas os atores pareciam estar tendo prazer e vontade de fazer aquilo. Hoje todos parecem um desfile banal de máquinas, tipos e esteriótipos.

Miguel Andrade disse...

Daniel, estendo isso até para a cultura. Hoje todo mundo é pop, todo mundo é cinéfilo...

Mesmo que de raspão. Possuir não significa que consumiu.

A fartura camufla muita coisa. Principalmente a superficialidade.

Estava me referindo a avanços sociais. Quanto ao cinema X, é complexo porque esbarra na industrialização, no mercado e nas indas e vindas da sociedade.

Diogo disse...

Miguel, isso se chama "democratismo" ou seja, tudo vale, tudo pode mas fico pensando se isso não nivela tudo por baixo.

Miguel Andrade disse...

Diogo, não estamos falando em nivelar. Estamos falando em dúvida quanto ao futuro.

Não dá pra perceber muita coisa agora. Vejo coisas positivas quanto à democratização das informações.

Dê uma olhada no post "Inspiração fantástica do Hans Donner?"

http://cidadaoquem.blogspot.com/2011/10/inspiracao-fantastica-do-hans-donner.html

Anônimo disse...

Come-Come foi o nome usado por um clone do Pac-Man, o KC Munchikin da Odyssey, teve até uma pipoca doce com nome come-come:
http://odysseymania.classicgaming.com.br/ody9442.html

será que nunca teve processo contra essa pipoca, ela copia duas marcas, a da Odyssey e do Pac-Man:
http://3.bp.blogspot.com/-BMDtNOtGjnY/ThMKPjas2sI/AAAAAAAAAMw/G-yaoX_t0rM/s1600/051711193303-00.jpg

Miguel Andrade disse...

Anônimo, e colou forte, hein?

Lembro que só um amiguinho tinha Odyssey, e era triste pq não podia emprestar cartuchos de ninguém!

Juro que me recordo dessa pipoca! Putz! Até o desenho eles usavam!

Veja nessa foto outro caso de usod e personagem dos outros! É recente, fotografei no supermercado:

http://cidadaoquem.blogspot.com/2010/11/pirao-rosado.html

Anônimo disse...

tinha uma pipoca que usava o Menino Biônico do Osamu Tezuka (e eu pensava que fosse o Super Mouse).

fora a Aritana que parece o Thundarr, o bárbaro misturado a Mythor e outros bárbaros e pré-históricos (tipo o Zandor dos Herculóides).

tem vários casos sobre nomes de personagens, teve a vez que a Warner processou o Casseta & Planeta por conta de "O Planeta Diário" (no fim, só conseguiram proibir o uso de Clark Kent e Perry White, no Brasil só "Daily Planet" estava registado, também teve o caso do J. Quest que virou Jota Quest.

nos anos 60, a King Features processou uma editora brasileira por causa de um herói chamado Escorpião que era cópia carbono do Fantasma, depois o argentino Rodolfo Zalla foi chamado pra alterar o personagem.

Miguel Andrade disse...

Anônimo, guardei uma embalagem dessa pipoca por muitos anos. Um dia quem sabe a encontro nos meus guardados.

Eu pensava que era o Menino Biônico que passava na Record.

Lembra de um monte de hentais que apareceram nas bancas daqui durante os anos 90?

Nem faz muito tempo que brasileirinhos fizeram o mesmo com DVDs! Ahá!

Anônimo disse...

os caras "editavam" essas revistas hentai em José Roberto Pereira e Sérgio Peixoto Silva, ambos criaram a primeira revista informativa sobre anime e mangá (revista de bancas claro sem contar alguns fanzines da ABRADEMI, Associação Brasileira de Desenhistas de Mangá e Ilustrações, aliás de onde os dois foram membros) a Japan Fury pela Nova Sampa e depois a Animax pela Magnum, fizeram um mangá licenciado baseado em Megaman e uma revista paródia de mangás do tipo MAD, a Hyercomix, depois disso eles se desentenderam e fizeram projetos distintos.

sem contar que várias distribuidoras de animes e tokusatsu começaram alugando e vendendo fitas piratas pra colônia japonesa e resolver ir a japão negociar.

segundo o JBOX, a pipoca realmente tinha o Menino Biônico:
http://www.jbox.com.br/materias/o-menino-bionico/
se você achar a embalagem vai ser um achado arqueológico (lembro vagamento dos olhos de mangá do personagem).

Miguel Andrade disse...

Anônimo, já nasci fascinado por mangá! E era tão raro...

Por isso guardei a embalagem. Lembro que era dentro de um jogo de tabuleiro da Estrela.

O jogo tenho certeza que já era. Tomara que antes de me desfazer tive o cuidado de guardar de novo a embalagem.

Uma vez postei um quadrinho desses mangás e gerou alguns comentários explicando sobre o José Roberto Pereira e Sérgio Peixoto Silva. Mas desconhecia todas as tuas informações. Valeu!

Related Posts with Thumbnails