sexta-feira, 10 de julho de 2009

Filmes para ex crianças

Consta que Akira (88 de Katsuhiro Otomo) foi o primeiro anime lançado nos cinemas do Brasil. Chegou a terras tapuias 4 anos depois de estrear no Japão.

Fez aquele merecido barulho na mídia por ser revolucionário, coisa e tal. Não havia garoto que não sonhasse em assistir. Triste foi descobrir que o VHS do Brasil era apenas dublado em português, o que numa obra super bem cuidada em todos os detalhes, chegava a ser heresia.

Levamos quase duas décadas para que em DVD pudéssemos conferi-lo com seu áudio e escopo original. Embora esse lançamento da Focus preserve para saudosistas (e masoquistas) a dublagem e tela fullscreen num segundo disco extra.

Praticamente toda animação é encarado por boa parte do público e distribuidoras como produto para crianças. Mesmo agora, fui no ano passado assistir Wall-E, e por mais elogios que a Pixar receba, contava-se nos dedos a presença de adultos na sala que não fossem pais de pimpolhos.

Dá pra apostar que a culpa disso seja décadas e décadas do império Disney fazendo películas com veadinhos, coelhinhos e coisinhas fofas saltitantes. E claro, no marketing de Hollywood de vender muito mais astros do que filmes.

Não deve ser a toa que atores conhecidos começaram a emprestar suas vozes aos personagens de desenho quando animação passou a ser encarada como cinema mais nobre. Até uma categoria foi criada no Oscar a partir da década de 90.

Assino embaixo da declaração do diretor Brad Bird (autor do fabuloso Gigante de Ferro) na faixa de comentários do DVD de Os Incríveis: “Animação é técnica e não gênero!”. Boas histórias podem ser contadas até com palitinhos de fósforo.

Veja também:
Akira no Cinemorama
UFOS em seletas salas


[Ouvindo: Hey Little Schoolgirl – The Markees]

10 comentários:

Refer disse...

Desculpe, Miguel. Nos anos 1960 e 70 os cinemas 'japoneses' na Liberdade exibiam, vez em quando, longas-matragens de animação japoneses c/ legendas. Vi uns poucos. POde ser que ANTES até, já eram exibidos aqui (?). Grande parte dos filmes japoneses era levada também para cidades do interiorzão paulista, onde a colônia mais se concentrava. Provavelmente esses antigos 'animês' rodaram no interior, também.

Miguel Andrade disse...

Refer, pensei nisso, mas não eram distribuidos comercialmente no grande circuito, para platéias ocidentais.

Akira foi distribuido como um filme qualquer americano. Guardei até o anúncio do jornal da época. Esta segunda ilustração do post.

Refer disse...

Quando o 'ciclo' de cinema japonês em SPaulo acabou, com o fim dos cinemas, ficou um buraco, um longo tempo em que nosso contato com o cinema japonês (sejam longas-metragens em live-action ou animados) se perdeu. Daí, não é de se estranhar que as pessoas mais adultas rejeitem o animê. Já as mais novas cultivaram o gosto pelo animê via televisão. O fenômeno tem pouco a ver, me parece, com o império Disney.

Miguel Andrade disse...

Refer, você está se referindo a um nincho. Filmes em animação de uma forma geral são recusados por adultos em sua maioria.

Animé por exemplo, só pra não fugir do início do texto, tem filme de tudo quanto é gênero. Até pornô!

Deniac disse...

Minha vida está dividida entre A.A e D.A: Antes e Depois de Akira.
Inesquecível!

Miguel Andrade disse...

Deniac, a minha também! Moldou minha adolescencia junto ao personagem do Judd Nelson em O Clube dos 5.

ed disse...

Não me lembro de muita coisa desse anime, só uma parte em que monstro ou sabeselahoeraaquilo, esmaga uma garota. Achei horrivel essa cena!

Falando em animação japonesa para adultos, tem o "classico" "A Lenda do Demonio". Passava direto (tá, nem tão direto assim...) nas madrugadas da Band.
Anos depois, eu li o mangá. E continuei sem entender, literalmente, diabos da história.

Miguel Andrade disse...

Ed, Akira é bem simples, embora profundo, cheio de subtramas. Achei um desenho bem forte, que merece ser visto como filme adulto.

Já ouvi falar deste A Lenda do demonio mas nunca assisti.

ed disse...

Miguel, é uma mistura de gore, porno, aventura e tralala...
Não sei qual a "verdadeira" trama deste, além da visão dos diabinhos sem vergonha fazendo sexo e querendo dominar o mundo.
Mas confesso que não tive interesse em saber, apenas soube que o filme dá origem a uma série.

Miguel Andrade disse...

Ed, o problema, comigo pelo menos, é que minha ansiedade pra ver alguns filmes costuma ser um entrave. Preciso ver algumas outras vezes pra assimilar tudo.

Se tiver algo pornô então... Capto 60% do filme! :D

Related Posts with Thumbnails