sexta-feira, 25 de julho de 2014

Do bang bang ao funk, o ícone Léo Canhoto

Totem da masculinidade sertaneja, Léo Canhoto ainda será reconhecido como grande referência de estilo da Música Popular Brasileirae quem sabe do mundo! Encontrei essa imagem no Retrospace, epicentro internacional de coisas legais na internet.

O primeiro comentário de um gringo lá, deveria ser título de um dos seus próximos discos: “Leo Can-HOT-o”. A capa pertence ao disco de 1986, quando ele alçou voo solo, sem o colega Robertinho.

Só que  “Leo Can-HOT-o” é muito mais do que um cara estiloso! Compositor, roteirista de cinema e,espantosamente um dos artistas mais sampleados no Brasil.

A dupla Leo Canhoto e Robertinho foi criada em 1968, estourando logo no primeiro LP, lançado no ano seguinte. Continha o hit Apartamento 37 que você ouve no player abaixo ou clicando aqui.

Graças a Apartamento 37 é considerada a primeira dupla sertaneja a receber disco de ouro. Na época, significava mais de 100.000 cópias vendidas, desde 2004, a Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD) concede o prêmio a metade disso, o que só aumenta a incrível façanha de Leo Canhoto e Robertinho.

 A letra que emocionou multidões fala sobre um cara que fez a namorada chorar (!!!) porque sabia que ela o amava (!!!),  e daí tomou um belo pé lá! O refrão e o nome da música é o endereço dele pra caso alguém a encontre: “Moro na rua da amargura vinte e cinco/ Apartamento 37, quinto andar”.

Mas nem só de corações partidos vivem nossos heróis! Muito pelo contrário, eles entraram na onda do spaghetti western e ficaram lá por muitos e muitos anos.

A partir do disco Volume 2, também de 1969, eles apareceram com armas de fogo em quase todas as capas. Repare que até o Volume 17 (de 1986) tem balas de revolver sublinhando o nome do artista.

Dá pra conferir quase toda a discografia no Raízes Sertanejas. Em 1977 saiu uma coletânea chamada Léo Canhoto e Robertinho no Bang Bang contendo Jack, O Matador, O Valentão da Rua Aurora, Buck Sarampo e Rock Bravo Chegou Para Matar, todas compostas por Canhoto.

Neste mesmo ano estrelaram o filme Chumbo Grosso, faroeste caboclo também roteirizado por Canhoto. Isso quando o subgênero nem interessava mais na Itália, o país onde isso começou...

São considerados os precursores do uso de instrumentos eletrônicos na bucólica música caipira. Ainda inseriam textos e efeitos sonoros dando uma sensação de novela radiofônica, embora, provavelmente a intenção tenha sido cinematográfica.

Pela variedade de sons e diálogos encontradas nas músicas, os discos deles passaram a ser muito procurados na década de 90 pelos Djs de funk carioca para criar samplers. Ouça no player abaixo ou clicando aqui a inacreditável versão de Jack Matador do Pipo’s.


Essas montagens (como essas composições eram conhecidas) marcaram época para muitos do Rio de Janeiro. Assim, quem for pesquisar sobre as origens do funk acabará esbarrando na dupla sertaneja, importante para o movimento, embora de forma involuntária.

Ainda juntos e em atividade,  Léo Canhoto e Robertinho lançaram em 2009 o primeiro DVD, celebrando os 40 anos de carreira. A abertura do show é, claro, com lindas dançarinas de saloon em habilidoso cancã...

2 comentários:

laercio5412 disse...

Já começou errando, primeiro que esse disco que foi mencionado foi lançado em 1976 não em 1977 e o nome do filme é chumbo quente e não chumbo grosso, pra quem vai falar do artista tem que falar certo não acha?

Miguel Andrade disse...

Laercio, fiz questão de liberar teu comentário, mesmo infringindo as regras da boa educação: Quem começou errado foi você! Vá ser grosseiro assim com quem te deu confiança. Pra quem quer corrigir alguém é preciso ter tido uma mãe e um pai lhe educando, não acha?

PS: Sendo gentil com quem não merece: As fontes de todas as informações contidas neste post estão linkadas no texto. Vá lá reclamar com eles, mas vê se você é gentil desta vez. Ninguém merece petulância de gente desconhecida.

Related Posts with Thumbnails