terça-feira, 27 de março de 2012

Jessica Lange e King Kong no Playcenter

Uma foto que mexeu com minha imaginação! King Kong, a oitava maravilha do mundo, exposto no Playcenter "em 1979" outro dia na Folha.

Já, evidente, tinha lido que o macacão do produtor Dino De Laurentiis havia viajado pelo mundo promovendo o remake de King Kong de 1977. Que usaram o parque paulistano é uma novidade!

Aí, óbvio, você que me conhece bem deve saber que rolou uma comichão que me fez quer ir atrás de mais informação sobre o evento nacional. Na verdade foi em 1977 mesmo, ano de lançamento mundial, não em 1979.

Sei que os filmes demoravam um pouco mais pra estrearem aqui, mas dois anos para um blockbuster me pareceu muito tempo. Na ilustrada de 16 de junho de 1977 foi publicada uma notinha dizendo que nos próximos dias o Brasil conheceria uma nova atriz, Jessica Lange, que viria ao país promover a superprodução de Laurentiis.

“Ela nada mais era do que uma maneca”! Como esse mundo dá voltas, a atual Constance da série American Horror Story tornou-se a ganhadora de dois Oscar, indicada outras quatro vezes, um Emmy, cinco Globos de Ouro, etc.

No mesmo texto, Carlo Rambaldi aparece igualmente com destaque. Ao contrário de Lange, o técnico de efeitos especiais viu seu nome diminuir perante o grande público com o advento dos efeitos digitais.

O italiano teve seu auge a partir de King Kong quando foi a Hollywood trabalhar em criaturas iconográficas como ET, Alien e muitos outros. Tão conhecido que quando veio fez a Via Crúcis pelos programas de TV ao lado da estrela da fita.

Foram ao Clube dos Artistas do Ayrton e Lolita Rodrigues e deram uma longa entrevista ao programa Silvio Santos, pra citar dois conhecidos até hoje. Quanto ao Playcenter, encontrei informações no site de Mauricio Kus, assessor de imprensa do parque e da distribuidora Paris Filmes na época.

O macaco de 15 metros (a Folha fala em 9 metros) que ficou exposto no parque por 90 dias foi produzido pelos engenheiros do Playcenter sob supervisão de Rambaldi. Não era o que aparecia na tela, claro, dá pra perceber pelas fotos que anatomicamente é bem diferente.

Aliás, talvez algum do filme tenha até vindo, já que o da foto publicada na Folha é bem parecido. Se forem dois Kongs, podem estar explicadas também as alturas díspares.

Kus relembra da estratégia feliz de marketing que por noventa diz fez o filme estar na boca do povo, ocupando páginas e paginas de jornais e revistas além do rádio e TV. Houve uma noite de gala em que o boneco foi inaugurado no parque, contando com a presença de milhares de pessoas, alcançando a lotação máxima do local.

A festa começou às 19 horas e só foi terminar à meia noite. Ainda segundo o assessor, narrado pelo Osmar Santos, os presentes foram à loucura quando a estrela Jessica Lange topou subir por umas escadinhas laterais e se sentou nas mãos do bicho tal e qual no filme.

E eu fiquei imaginando que legal se aquele mar de gente no Playcenter ficasse berrando: Kong! Kong! Kong! Por suposição lógica, isso não aconteceu porque estavam promovendo o filme que ainda ia estrear.

A primeira e segunda imagem são um oferecimento Folha, a terceira Oi Mauricio, a quarta divulgação Playcenter e a quinta Tic Tati

Veja também:
Sucesso gigantesco
4 vezes Carlo Rambaldi



5 comentários:

Leticia disse...

Ah, mas que trabalheira! (além da sua, obviamente).

Hoje basta ir ao Faustão e pronto.

Miguel Andrade disse...

Letícia, pois é! Não tinha pensado na falta de lógica hoje de um mega evento destes! Hahaha!!!

Leticia disse...

TUDO dava uma trabalheira...

Miguel Andrade disse...

Letícia, TUDO! Em termos de cinema qualquer coisinha ganha hoje um super destaque promocional grátis na internet.

Alexandre T. Sztyber disse...

Olha, me lembro deste evento - não fui lá. Tinha uns 10 anos e era o máximo. Virou matéria no programa Fantástico. As crianças eram muito mais ingenuas e humildes e se deliciavam com qualquer coisa que significasse diversão e despertasse a curiosidade. O King Kong de 1976 foi um filme ruim, mas adoramos quando o vimos no cinema. A fantasia nos envolvia no "cinema fantástico". Em 1975, Tubarão. Em 1977, Guerra nas Estrelas e veio para cá James Bond... Décadas de 1970 e 1980 dão saudades :-)

Related Posts with Thumbnails