terça-feira, 28 de junho de 2011

Dos primórdios da TV brasileira

Entendi completamente o patrimônio televisivo que é o casal Tarcísio e Glória depois que assisti a Irmãos Coragem (1970) em DVD. Virei fã, topava até assistir á atual novela das 8 só pra ver o João Coragem na terceira idade (mas ele já tinha batido as botas!).

Muito carismáticos, é provável que suas carreiras tivessem tomado outro rumo sem estes seus personagem. Ou suas vidas, já que quando não estão trabalhando, vivem “reclusos” numa fazendo ao sul do estado de São Paulo.

Tarcisão revive seus tempos de bom moço rural? Montava muito bem a cavalo, inclusive com dona Gloria na garupa!

Com mais de 50 atores (!!!) torci por cada cena em que a Menezes aparecia. E não foram poucas, por que a pobrezinha interpreta uma rica com três personalidades distintas: Lara, a religiosa recatada, Diana, a devassa de boca suja e a equilibrada Marcia.

Surge a possibilidade de uma operação cerebral e só uma delas sobreviverá, qual? Ou melhor, qual delas ficará com o João Coragem, que tem sentimentos confusos por cada uma, embora a tenha engravidado pela primeira vez na pele da Diana.

Mas isso é só a pontinha do iceberg perto da mirabolante trama de 328 (!!!) capítulos escritos por Janete Clair SOZINHA! Tem até o que Hitchcock chamava de “MacGuffin”, algo que a historia gira em torno, mas que na verdade não tem muita importância.

No caso, um diamante gigantesco que o João acha no capítulo 12 e despertará a cobiça de meio mundo. Porque ele não vendeu logo a pedra rara nas oportunidades em que a teve nas mãos?

Refleti sobre isso agora, mas durante a novela, não houve tempo! Cada núcleo tem um mistério (alguns casos de paternidades obscuras, por exemplo), que assim que é dissolvido surge logo outro.

Além da trama vibrar sempre, todo o elenco tem a oportunidade de brilhar em grandes embates, dramas, tiroteios, catfights entre damas e coisas emocionantes assim. É outro ponto que me divertiu.

A maioria dos atores (exceto Regina Duarte, Tarcíso & Glória, claro!) crescemos os vendo na TV em cores, mas em papéis de coadjuvantes menores, dificilmente em bons momentos como aqui. Passarei a prestar atenção ao trabalho de todos daqui por diante.

Lúcia Alves de Índia Potira, a dúbia Domingas da já falecida Ana Ariel, Suzana Faíni como a engraçada e sofrida Sema, Carlos Eduardo Dolabella a cara do filho, mas excelente como o delegado canalha, José Augusto Branco que tem uma espetacular virada na trama, e DEZENAS de outros nomes. Elenco de ouro, com a chance de demonstrar dá nisso!

Há casos como o de Glauce Rocha, a doidivana mãe da mocinha Menezes (embora tivessem na realidade diferença de quatro anos de idade) de quem gostei e nunca tinha ouvido falar. Ela faleceu logo em 1971, alguns anos antes de eu nascer.

Destaco ainda Claudio Cavalcanti, que hoje se dedica à política como seu Jerônimo Coragem, e que cheguei a vê-lo trabalhando na TV. De longe, Jerômino(como o chamam) é o Irmão Coragem de personalidade mais interessante, cheio de conflitos e culpas.

Esperava mais ingenuidade de Janete Clair. Espantoso como não se amarrava a maniqueísmos, algo que parece tão indissociável ao gênero, e que tanto engessa as histórias.

Todo mundo é bonzinho ou mauzinho, conforme lhe convém. A Sinhana, mamãezinha Coragem, é um doce, mas se pisarem no calo ela ameaça ou incentiva passar fogo!

Até o vilão mor, o prepotente e maquiavélico Coronel Pedro Barros de Gilberto Martinho, de fazer até Odete Roitman parecer um cordeiro em termos de maldades, tem seus dias de bom humor e sentimento. Pode querer vender a filha a troco de diamante, mas ai de quem a não tratar com respeito.

Tecnicamente, as dificuldades são notáveis. Cenários genéricos em que só trocam as cortinas, é claramente audível nas externas o caminhão do gerador de energia, lentes sujas, trilha sonora incidental reaproveitada de sucessos recentes do cinema como O Bebê de Rosemary e 007 A Serviço Secreto de Sua Majestade.

Dá pra perceber que até quase o final havia apenas duas câmeras de qualidade distinta para as cenas de estúdio. Uma delas era boa, a outra achatava as cabeças!

Como mal havia pós-produção, várias vezes os atores tropeçam no texto e continuam mesmo assim. Isso tudo agora é um charme a mais, um gracejo para nos ajudar a transportar no que era ser um telespectador brasileiro em 1970.

Ei! Essa moça nova chamada Sônia Braga que está em pé, será que vai continuar fazendo novela?

O DVD da Som Live / Globo Marcas

A arte da capa empolga pelo respeito de ter seguido a linguagem visual utilizada na época. Poderia ficar lado a lado com a trilha sonora, inclusive com a numeração dos DVDs utilizando a fonte antiga da Globo.Pena que os menus internos não parecem ter sido feitos pelas mesmas pessoas. Destoam muito graficamente do material impresso.

A qualidade da imagem e áudio está boa para seus quarenta anos em fita magnética. Chega a estar superior ao da série Boca do Lixo, gravada 20 anos depois e também distribuída digitalmente há pouco tempo.

O principal problema é a edição. Imagino que não deve ter sido fácil condensar uma das mais duradouras novelas em 27h41, mas poderiam ter tido acompanhamento de alguém que conhecesse a história.

Do jeito que está o entendimento depende de nossa suposição, parecendo às vezes faltar simplesmente capítulos inteiros. Personagens com o casal Ritinha de Regina Duarte e Duda Coragem de Claudio Marzo, mal aparecem.

O triangulo amoroso com Paula (Myriam Pérsia) não faz sentido algum. Do nada a Ritinha quer terminar com Duda e depois, subentende-se (!!!) que Paula terá um filho dele.

Refiro-me apenas a um núcleo, um dos mais prejudicados por que os atores tiveram que sair antes do final ainda por cima, mas são muitos saltos. Não sei se isso era do material original, se algo se perdeu na conservação com a passagem do tempo...

Por isso merecia ter vindo acompanhado de pelo menos um livreto com os bastidores e fotos da produção, além de informações como estas. Boa parte do elenco está em atividade profissional. Seria interessante ouvi-los relembrar desse marcante trabalho.

Para não dizer que não tem nada, Daniel Filho, o diretor geral, relembra rapidamente a obra ao iniciarmos o disco 1, sem acesso posterior a ele através dos menus.

Como muitos dos produtos da empresa, não houve o cuidado (carinho?) com o consumidor que pretende guardar. Como se uma telenovela em preto e branco de 1970 fosse ser comparada por alguém que a descartaria depois de assistir, como um blockbuster hollywoodiano qualquer.

[Ouvindo: Musheraye - Alem Kebede]

28 comentários:

Refer disse...

ESsa telenovela foi tão emblemática que era o nome de uma padaria perto de onde eu morava.

Procure assistir 'Navalha Na Carne', a primeira versão para cinema, com Emiliano Queiroz, Jece Valadão e Glauce Rocha, que está sensacional.

O filme é 'teatro filmado', txt do Plinio Marcos, então, é deprê pra caramba, já vou avisando os incautos...

Putz, lembrei agora, assisti no cinema, não sei se tem em DVD. (?)

Miguel Andrade disse...

Refer, vou procurar esse filme sem dúvida! Hoje sempre dá pra encontrar milagres.

Novela tão emblemática que 99% do elenco continuou em muitas outras por décadas. Tão emblemática que boa parte do elenco tem filhos trabalhando na área.

Dado Dolabella, Christiane Torloni, Gabriela Duarte, Tarcisinho, Leandra Leal...

Se bobear dá pra fazer não outro remake, mas uma continuação só com os filhos do elenco original.

DAVI VALLERIO disse...

ANIMA DE ASSISTIR O ASTRO?

Miguel Andrade disse...

Davi, pq não? Mesmo com o filho dela fazendo mimimi na imprensa.

Fiquei ligadão no tema agora! Dela só tinha assistido o remake de Selva de Pedra e muito pouca coisa do irmãos Coragem de 1995.

DAVI VALLERIO disse...

Miguel,vc me deu vontade de comprar esse box.nossa,temos meio que a mesma idade,vc nao lembra de Setimo Sentido? aquela novela da Luana Camara e Pricila Caprice?

Miguel Andrade disse...

Davi, não morava no Brasil. Lá, naquela época, novela era uma de segunda a sexta e outra sábados e domingos.

Lembro de Cabocla, Baila Comigo, Olhai os Lírios do Campo, Agua Viva Dancin' Days e alguns flashes de A Escrava Isaura.

Escrava Isaura foi a primeira a passar em Portugal. Em 78, eu estava com 2 anos mas retive algumas cenas na memória.

DAVI VALLERIO disse...

Baila Comigo foi a primeira que eu assisti de cabo a rabo e foi o primeiro lp de novela internacional que eu pedi pra ganhar.Foi a maior decepcao.Tinha apenas 2 ou 3 musicas animadas e o resto todas romanticas.Pelo menos podia ter vindo meio a meio tipo Dancin Days.

Miguel Andrade disse...

Davi, não curtia as baladas, românticas. Acho que até hoje não curto muito.

Minha decepção com trilha de novela foi quando percebi que as faixas raramente estavam inteiras.

Acho que Guerra dos Sexos foi a primeira que vi de cabo a rabo. Era doido por Silvio de Abreu quando eu era criança.

Por isso não me conformo com seus trabalhos mais recentes. Tão caretas.

DAVI VALLERIO disse...

Fora quando eles colocavam grandes sucessos em regravacoes genericas tipo I LIKE CHOPIN com tal de Gazeta,inves de Gazebo!

Miguel Andrade disse...

davi, hahahahahahahaha!!! Será que ainda fazem isso?

Ei que desolação após semanas vendo a novela ela acabou! O que faço agora? Hahaha!

Fazia um tempão que novela não me deixava saudoso no final.

DAVI VALLERIO disse...

faca como sempre fizemos...comece a assistir outra.Olha,insenchato coracao nao e tao ruim como parece,assiste agora que a gloria pires vai plagiar O segredo dos seus olhos com o Gabriel Braga Nunes

Miguel Andrade disse...

Davi, tentei várias vezes Insensato Coração, mas é tudo muito tolinho, ingênuo. Não aguento!

DAVI VALLERIO disse...

baixa alguma antiga que vc nao tenha assistido entao,e contra?Se nao existe o produto comercializado nao considero crime

Miguel Andrade disse...

Davi, hehehehe! Vou ver algum filme hoje.

Achei que eu demoraria mais pra assistir. levei só umas duas semanas.

Eu começava antes de dormir e não parava mais. Tirava meu sono.

DAVI VALLERIO disse...

fiquei assim com Dancin Days baixado.Comprei o Box de Roque Santeiro e deu preguica de assistir.Lembrava de muita coisa.Fica chato.

Miguel Andrade disse...

Davi, tenho a mesma sensação de Roque Santeiro. Uma preguiça pq lembro de muita coisa.

Mas eu quero o box também dela. Tá trash os menus? Tem extras ou tá seco?

Pô, são 16 discos, 8 a mais do que os Irmãos Coragem.

DAVI VALLERIO disse...

sem extras e ainda tiraram a primeira aparicao da Viuva Porcina,aquela que ela quer cisnes em vez de pato.Uma minisserie que eu adorei rever foi O Primo Basilio.vale a pena

Miguel Andrade disse...

Davi, bem lembrado. estou com Os Maias emprestado. Nunca vi.

Quando postei não faz muito tempo da Arósio, lembro que alguém comentou de Os Maias.

Mas nãos ei se tão já to afim de me prender por semanas em algo.

Puxa, as cenas dos cisnes com o Rodésio! Uma das poucas que a Betty Faria tinha gravado, inclusive.

DAVI VALLERIO disse...

e rapidinho,2 discos so...e primo basilio e bem melhor que Os Maias..Marilia Pera de demonia e tudo

Miguel Andrade disse...

Davi, ei! Não me broche!

Mas pelo que vi é uma dos poucos DVDs da Som Livre/Globo Marcas com edição fina.

DAVI VALLERIO disse...

mudando de assunto total e pra finalizar a noite,olha que lindo esse video com a angelica huston
http://www.youtube.com/watch?v=w2CYNdH3UqA&feature=player_embedded#at=12

Miguel Andrade disse...

Davi, muito legal esse vídeo! Ahá!

Dino Napoleão disse...

Davi que vídeo incrível com Anjelica Houston!!!
ela sempre foi um das modelos preferidas do Helmut Newton e fez editoriais de moda incríveis.Uma das poucas modelos que conseguiu fazer essa transição de modelo-atriz de uma maneira bem feita,o tempo só faz bem á essa atriz,uma presença magnética na tela.Qual atriz hoje em dia tem esse poder?

Miguel Andrade disse...

Dino, nem sabia que ela tinha sido atriz, hein? hehehe!

Dino Napoleão disse...

lendo os comentários sobre lp de novela,lembro de um episódio que me marcou de maneira engraçada.Quando criança eu sempre pedia lps de novela em vez de brinquedos,pedi o lp internacional de A Gata Comeu internacional por causa de Crazy For You da Madonna,mas notei que uma música faltava no disco era Smooth Operator da Sade que só saiu em algumas tiragens limitadas do disco e minha vizinha comprou o lp e o dela continha essa música,até hoje me revolto com a Som Livre,como pode faltar uma música?e quando não cabia eles baixavam o som.

Miguel Andrade disse...

Dino, até isso tinha? De nem todos terem a mesma faixa? Hahaha!!!

É! Ele cortavam as músicas simplesmente abaixando o som. Será que hoje ainda é assim?

Leticia disse...

Cheguei mais do que atrasada na discussão...

Mas quero retomar o assunto do post. Uma pena que ainda estejamos na fase de ganhar dinheiro, sem consideração alguma pelo patrimônio artístico maior que temos: a telegramaturgia.

Se nem a própria dona das produções liga...

Não pesquisam, não consultam quem ainda está vivo... Só falta mesmo um incêndio.

Miguel Andrade disse...

Letícia, ontem à noite estava vendo uma coletânea de cartoons distribuídos pela Warner chanada Clássicos dos Cartoons 70's. Lembrei desse post aqui.

Precisava ver que bonitinho o respeito, que na verdade nada mais é do que obrigação, do alerta no começo explicando que as fontes do conteúdo eram variadas, com qualidade diversa, que houve esforço do melhor possível coisa e tal.

Com esse aviso ou não, venderia do mesmo jeito. Mas e a imagem da empresa? E as possíveis futuras reclamações?

A Som Livre/Globo Marcas está muito pouco se importando mesmo. Ano pós ano seus DVDs são caros e esculhambados com raríssimas exceções.

Related Posts with Thumbnails