sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Agitada vida sexual de Grace Kelly

Aquelas super ironias da mídia. Ao contrário de tantas loiras sexys, Grace Kelly sempre teve imagem pública de moça pura, classuda...

À boca miúda os comentários eram bem diferentes. Da pá virada, diziam que colecionava amantes como quem troca de roupa.

A própria teria confessada a amigas que seu relacionamento com o mega astro Clark Gable, seu parceiro em Mogambo (1953, de John Ford). E que o affair não foi adiante não por ele ser casado ou 28 anos mais velho que ela.

Quando chegou a Hollywood, os produtores acharam os dentes do galã muito feios e mandaram arrancar todos. Infelizmente nunca conseguiram uma prótese dentaria que ficasse devidamente fixa em sua boca.

Kelly ficava horrorizada ao beijá-lo e sentir a dentadura se movendo! O tempo do lance entre os dois durou pouquíssimo, e ela partiu pro próximo.

Rotatividade até ela conhecer Rainier III, príncipe-soberano de Mônaco. E foi feliz para sempre... Ou quase!

A capa da revista é um oferecimento Silver Blue Star

Veja também:
Grace Kelly: trágico fim da vida gloriosa


[Ouvindo: Je n'ai que quinze ans - Chantal Kelly]

17 comentários:

Glauco disse...

Se tem um galã hollywoodiano que não me apetece em nada, esse é Clark Gable...

Agora, morro de curiosidade em saber qual a motivação de Grace para trocar as telas por Mônaco. Será que o sonho de ser princesa européia era tão forte assim, mesmo para uma grande estrela de cinema?

Miguel Andrade disse...

Glauco, diz a lenda e a Dulce ajudou a propagar, que papai dela era foda! Rolou um lindo contrato.

Leticia disse...

Rolou um contrato, sim, senhor! Os americanos tinham dinheiro mas não tinham estirpe. Os europeus tinham estirpe mas estavam na pindaíba. Então juntou a fome com a vontade de comer.

Pessoalmente, acho que Kelly fez muito bem. Apagou o currículo e casou com um bonitão de fato, livrando-se da baixaria holliwoodiana. Morreu digna, bonita, serena elegante e sem plástica.

Clark Gable? Ela devia ser muito nova e sem noção. O babado de Gable eram as baixarias com Claudette Colbert. Com dentadura e tudo.

Coitado dele com esse lance de chapa frouxa, não? Vem cá, não dava pra fazer outra, não? Com Vivien Leigh foi a mesma coisa!

Miguel Andrade disse...

Letícia, também não acho que ela fez mal.

Jumara Cardoso disse...

Quer dizer que arrancaram os dentes dele? Quero horroooor! Pra ser sincera, o resultado não mudou muita coisa.

Nossa, mas como Kelly foi capaz de beijar aquela boca com dentadura mole?! Tb acho que ela fez muito bem em virar princesa.

bjs

Miguel Andrade disse...

Jumara, mas só o conhecemos com a prótese. Não imagino como eram antes.

Leticia disse...

Jumara, também acho horrível, mas antigamente era o que havia. Tratamentos dentários eram sofridos, caros e ineficientes. Por isso era super normal e adequado a criatura arrancar tudo na flor da idade e botar parachoque de resina. Ninguém achava ruim beijar, não.

Eu acho terrível. Quer dizer, imagino, porque graças a deus nunca encarei uma dentadura.

Miguel Andrade disse...

Letícia, mas hoje isso é raro, bem raro! Graças a Deus!

Acho gozado que nos primeiros filmes o Rock Hudson era dentucinho. A parti dos anos 60, naqueles com a Doris Day ela não é mais.

Ou seja...

Se bem que senhor Gable começou muito antes! Tudo devia ser diferente no começo dos anos 30.

Admiro bastante ele ter trabalhado com Jean Harlow (!!!), Grace Kelly, Marilyn Monroe.

Leticia disse...

Vai ver elas também eram recapeadas...

Mas hoje ainda MUITA gente de dentadura no Brasil. Fora as bridges... Estamos bem atrasadinhos em termos de saúde bucal.

Já te falei que fiquei espantada quando minha dentista disse que minha boca estava ótima em relação à média da minha idade, não? Isso porque tenho todos os dentes. Isso porque ela atende em Perdizes...

Refer disse...

Por estética, o Cauby fez a mesma coisa com os dentes incisivos de cima, que eram todos tão encavalados que ele mal conseguia fechar os lábios — há fotos dele em começo de carreira, princípio dos anos 50, assim e de bigode. Colocou uma ponte móvel. Porém, com aquele ouvido absoluto, Cauby percebeu que sem os dentes da frente a voz melhorava. Conclusão: tudo que ele gravou depois, nos anos 50 e 60, foi SEM a prótese.

Pouquíssima gente sabe dessa história - não deve ter na internet, mas tem no blog do Miguel :D :D

Miguel Andrade disse...

Leticia, já! E sempre que vejo Rock Hudson, nos idos dos dentes tortos, lembro de você! "Letícia iria se esbaldar analisando isso"

Refer, é! Agora tem! Hahaha

Imagino que diferente deve ficar quando ele canta nos shows para o que registra nos discos.

Leticia disse...

Miguel, dntinhos tortos = sinal de saúde e juventude.

Refer, isso foi coisa do Di Veras, mas podia ser de qualquer outro. Tenho uma pena danada desse tempo. Coitadinho do cara, mal tinha 20 e poucos já estava todo plastificado...

Quer dizer que Blu gardenia saía mais sexy na banguelice? Que coisa... Pior que isso só o Nat King Cole, que fumava horrores com o único objetivo de dar um "it" (gostou do it?) à sua voz.

Ah, tem a Simone que gravava pelada.

Miguel Andrade disse...

Letícia, Simone? Aquela do "Entãaaaaaaaaaao é natal"? UX!!!

Leticia disse...

Sim.

Quando ela estava no auge - ou seja, no período que vai do pós-músicas de origem e antes da decadência - quando todo mundo grava Chico Buarque.

Eu não sei se ela lançou isso bem no comecinho da decaída ou foi um fru-fru de tempos mais liberais, mas corria o boato. Talvez numa entrevista ao Jô da vida ela fale disso.

Se o Refer estiver circulando por aí poderá confirmar e dar maiores informêichons.

Miguel Andrade disse...

letícia, que visão das trevas!!

Leticia disse...

Era tido como avant-garde...

Miguel Andrade disse...

Letícia, muito! hahahaha

Related Posts with Thumbnails