sábado, 24 de abril de 2010

Atriz à beira de um ataque de nervos

De temperamento considerado pelos colegas como dificílimo, Sean Young pode ser considerada a “erradinha do La Dolce” por merecimento. “Um vulcão, capaz de explosões inesperadas e violentas”, segundo o guia Astros e Estrelas edição 1990.

Bailarina, modelo bem sucedida, destacou-se no cinema logo em um de seus primeiros trabalhos, Blade Runner (1982) de Ridley Scott. Será lembrada na posteridade como a enigmática androide.

Sua carreira seguiu nos anos 80 entre filmes medianos a bombas tremendas. Conseguiu aparecer em alguns hits como Sem Saída (No Way Out, 1987) e Um Toque de infidelidade (Cousins, 1989).

A alegria dos tablóides e revistas de fofocas viria a partir de 1988, quando participou de The Boost ao lado de James Wood. Ironicamente, no Brasil o filme ganhou o título “Tensão”.

Young e Wood apaixonaram-se e tiveram um rápido romance, que aparentemente, parecia ser só outra história hollywoodiana. Houve quem comenta-se que o amor ajudou a atriz a largar as bebidas alcoólicas.

O ruído viria quando ele, pouco depois de se casar com uma antiga namoradinha, processou Sean Young por “violência psicológica”. Na acusação, estava o envio de fotos e ilustrações contendo animais e pessoas mortas.

Isso além de danificar propriedades dele além de deixar uma boneca mutilada em sua porta. Tudo para confirmar os boatos de sua personalidade imprevisível e agressiva.

Na época especulou-se que ela havia namorado com o roteirista James Dearden. O turbulento romance teria sido fonte de inspiração para Dearden escrever Atração Fatal (Fatal Attraction, 1987), aquele filme em que Glenn Close cozinha até um coelhinho indefeso após ser abandonada.

Se a indústria cinematográfica não é bolinho para moças que andam na linha, imagina para uma pessoa com péssima fama? É apontado a isso ela ter perdido o papel em filmes relevantes como Dick Trace (1990) e Batman (1989).

A biografia do IMDB registra que ainda tentou participar de Batman, O Retorno (Batman Returns, 1992). Teria chegado a invadir os estúdios da Warner atrás de Tim Burton e Michael Keaton vestida de Mulher Gato!

Em 2008 internou-se por vontade própria numa clínica de reabilitação para alcoólatras. Hoje continua em atividade, aparecendo em seriados famosos como CSI e filmes pouco expressivos.

Veja também:
Galã nas mãos de Deus
Star 80: A coelhinha assassinada


4 comentários:

Glauco disse...

Miguel, li na época do lançamento de Batmam - O retorno que Sean era a escolha original para interpretar a felina, mas como se acidentou pouco antes das filmagens (acho que quebrou a perna e ou o braço), o que atrasaria as filmagens, o papel ficou com Michelle. Melhor assim.

Talvez essa invasão do set seria para reivindicar a personagem, rsrs.

Acho que li essa história na finada Video News.

Miguel Andrade disse...

Glauco, hoje essa história está no Batman. Ela caiu do cavalo e perdeu o papel para a Kim Basinger.

Hahahaha Vá saber no que isso é real ou papo de marketing para não queimá-la ainda mais.

Brunim! disse...

uhasuahuashasuh

Ela não só invadiu os estudios como programas de tv pra reinvidicar o papel... Há quem diga que a cena que a Michelle costura o figurino da Cat-woman sejah em homenagem a Sean!
http://video.google.com/videoplay?docid=2935708704513327697#

Miguel Andrade disse...

Brunim!Faz sentido! Hehehehe

Related Posts with Thumbnails