sábado, 26 de setembro de 2009

Liga pela moral e bons costumes

Toda vez que vejo esta ceninha de O Clube dos Pervertidos (A Dirty Shame, 2004, John Waters) suspiro pelos vizinhos que tenho há anos! Casas geminadas!!!!

Casal heterossexual, cristão, volta e meia recebe a galera da igreja pra rezar novena. Papai bronco, mamãe boca suja que deve ser surda, afinal, grita palavras de baixo calão o dia todo, e dois pequerruchos.

A princípio pensei que a Linda Blair tinha se mudado ao lado. Ouço os guris correndo pela parede!

Seria uma sorte danada ter um casal de ursos como vizinhos. Eu iria ao muro gritar: “More blowjobs!”

7 comentários:

pontorouge disse...

Hahahahahaha!!! Muito bom!!!
Onde fica este lugar? Será que tem algum imóvel a venda? kkk

Ah! Adorei este blog!!! Estou linkando no Ponto Rouge. Quando puder me fazer uma visita, vou adorar.

beijo rouge

Dani

Nivaldo disse...

Miguel... casal de ursos na vizinhança deve ser uma festa all day long né não? Imagina os hurros. Sim, porque eles hurram quando encontram o "G Spot" um do outro. Aí, querido, "more blowjobs" é fichinha... hahahahaha

Miguel Andrade disse...

Dani, olá, obrigado pelo link!
Baltimore é o lugar onde as coisas acontecem!

Nivaldo, é garantia de festa na vizinhança 24 horas por dia!

Fabulastic disse...

Simplesmente adoro John Waters! E este é um dos melhores filme dele.

Parece-me que cada vez mais a liberdade sexual (ou mesmo a liberdade em si) está mais ameçada.

A censura insinua-se de forma insidiosa e a opressão do «normal», ou melhor, do normativo, passou a ser a aceite de bom grado. O luta pelo casamento homossexual é disso um bom exemplo. Luta-se para ser igual, para ser normal...


É isso, gritemos todos: MORE BLOWJOBS!

Miguel Andrade disse...

Fabulastic, e a grande pergunta, dá pra ser puritana sendo casada com um italiano? :D

Eu só gostei deste filme na 2ª vez que assisti. Estava muito ansioso por um novo John Waters e nem me concentrei no filme em si.

O populacho com voz ativa online provavelmente piorará tudo. E essa péssima mania de querer pertencer a uma comunidade ao invés de se apoiar no individualismo de personalidade.

Fabulastic disse...

Se dá para ser pura casada com um italiano? Claro que dá. Não há marido mais puritano que o italiano. Normalmente os italianos consideram as mulheres como mães. Com elas só sexo em posição de missionário e no escuro. As malandrices fazem com as outras...

Quanto à crescente falta individualismo era pano para mangas. O mais estranho é que agora em vez de lutarem para que o Estado tenha cada vez menos poder sobre a vida privada, as pessoas entregam de mão beijada direitos que, pelo menos para mim, são fundamentais.

Se tiver oportunidade lei «Homo Sacer», do filósofo italiano Girgio Agamben.

Ah! O livro é sobre o abuso de poder pelo estado sobre o indivíduo e não se sobre é possível ficar pura casada com um italiano....

Miguel Andrade disse...

Fabulastic, parece que esta atitude da sociedade em se deixar dominar pelo Estado é um fenômeno mundial.

Se até na Europa dá pra sentir isso, imagina num lugar ermo como a América Latina...

Ah que pena! Queria ler sobre ser puritana e casada com um italiano... ;)

Related Posts with Thumbnails