segunda-feira, 6 de julho de 2009

"Porque metade de mim é platéia"

Melhor capa da revista Set desde sempre. E dá preguiça só de imaginar o upa que devia ser fazer montagens bacanas naquela época, 1991.

E ainda funciona lindamente como crítica ao filme. A melhor coisa de The Doors é mesmo Val Kilmer numa quase interpretação espírita de Jim Morrison.

Num daqueles casos bisonhos de distribuição nacional, esse trabalho de Oliver Stone está saindo só agora em DVD no Brasil. Tem toda uma geração que nunca assistiu.

Só vi em VHS na época, e não é uma das coisas que mais me apetece rever. Sensacionalista como toda a filmografia desse diretor.

[Ouvindo: Keep Me In Mind – Peggy Lee & Benny Goodman]

4 comentários:

Refer disse...

Acho que o filme ficaria melhor com Jason Patrick (The Lost Boys) como Jim Morrison.

btw bisonho (eita palavrinha feia!) é com 's'

Miguel Andrade disse...

Refer, gosto do empenho do Val Kilmer. É um filme muito caretinha, ele dá um certo ar fresco aquilo tudo.

Mas é notável que ele ter mostrado Doors pra aquela geração 90's.

Nivaldo disse...

Ví The Doors, o filme, no antigo Cine Paramount, alí na Brigadeiro. Acho que hoje é um teatro. E sim, o Val Kilmer parece ter recebido o Jim Morrison de frente e simplesmente arrazou na interpretação. E sim, também, o filme é mesmo muuuuuito sensacionalista. Mas é um bom filme.

Miguel Andrade disse...

Nivaldo, bom de ser bom, mas dá preguiça. Onde já se viu filme de rock com Meg Ryan de mocinha? :D

Related Posts with Thumbnails