terça-feira, 10 de junho de 2008

Porn stars também se apagam

Você sabe a quantas anda aqueeeeeele seu ator ou atriz pornô favorito? Esta página (para adultos) tem uma extensa lista com a causa do falecimento de centenas deles, de A a Z. Alguns poucos nomes levam a biografias e filmografias. Parece estar pouco mais atualizado do que o tradicional Dead Porn stars, embora este tenha conteúdo mais rico. Não imaginava que as investigações para a morte de Lolo Ferrari acabaram apontando para assassinato! Como recordar é viver, aí vai o vídeoclip de quando ela também tentou, a exemplo de tantas outras loiras, seguir carreira pop com o hit Airbag Generation.

[Ouvindo: The Orange Float – Henry Mancini]

5 comentários:

Jôka disse...

Miguel, sempre tive muito interesse sobre o cinema pornô e a indústria do triplo XXX.
O filme Boogie Nights é um retrato perfeito da época de ouro do pornô americano, quando ainda era feito em película e exibido em salas de cinemas. Ele retrata com uma fidelidade impressionante as atrizes, e até algum carinho os atores, diretores e o back stage do cinema adulto durante a transição do filme para o vídeo. É uma obra muito comovente, que você certamente já assistiu, e se ainda não, recomendo com entusiasmo. O seu post linka pra 2 sites que me emocionaram, porque vários desses artistas falecidos fizeram parte de um momento da minha vida, durante uma juventude que não é muito distante. Vi muitos filmes de Big John Holmes, na época em que ele era um dos maiores superstars pornôs norte americanos. Aqui no Brasil, colaborei varias vezes com pornochanchadas, que nem de longe eram pornográficas, mas também participei de algumas produções rodadas no Brasil de filmes de Kristen Bjorn, que eram explícitos.
Isso tudo me faz sentir a vida passa e não avisa, e que passa rápido e que sou um sobrevivente. Tanto que estou aqui pra contar a história.

Miguel Andrade disse...

Jôka, Boogie Nights é genial mesmo! Incrivelmente emocionante, engraçado, e sexy! Pena nunca ter o achado em DVD, se é que existe... :(
Olha, pra mim poucos da lista fizeram parte do meu cotidiano, porque sou da época do videotape, quando qualquer coisa podia ser alugada em VHS. Época relativamente mais pobre em todos os sentidos.
Mas é estranho como esta indústria é sempre tão à margem de tudo. Clique no nome da Lolo! Veja, achei um post que escrevi em 2003 sobre a morte da Linda Lovelace que descobri apenas meses depois, acidentalmente! O da própria Lolo só descobri anos depois!!! Pra mim ela ainda estava na labuta... E as informações estão truncadíssimas até hj.
Wow, Kristen Bjorn? hahahah Olha, um dos primeiros filmes desses que vi foi acho que dele, chamado Carnaval in Rio! Pena que acabei desgravando a fita porque ia passar Charada na TV e queria gravar. Na balança achei que um valia mais a pena guardar à posteridade que o outro.
Óbvio que fiz um mal negócio já que o clássico com o Cary Grant será comercializado eternamente!
Levei um susto certa vez quando tirei minhas velhas revistas de sacanagem para escanear e TODAS já perteceriam à categoria vintage. Todas aquelas pessoas assustadoramente retrôs e eu nem tinha me dado conta...

Jôka P. disse...

Carnival in Rio foi em grande parte filmado na minha casa de campo, em Itaipava. Eles transavam sobre a mensa da sala, a mesma mesa onde a minha família tomou muuuitos cafés da manhã.
Aqueles caras do cast eram na época os astros de um show pornô que fazia muito sucesso aqui no Rio, chamado "A Noite dos Leopardos", em um teatro da Galeria Alaska, no Posto 6 de Copacabana.
Miguel, me dei conta de uma coisa: eu SOU vintage.

Jôka P. disse...

Você já veio ao Rio, Miguel ?

Miguel Andrade disse...

JÔka!!!! Tô passado em meus pudores de menino criado nos rincões do interior paulista!!!! :O

Esse Carnaval in Rio tinha uma dublagem feita nas coxas, literalmente!

As cenas na casa de campo são umas que eles comem uma banana, se a memória não me falha! :O


Já morei no Rio! ;)

Related Posts with Thumbnails