sexta-feira, 4 de julho de 2014

Filme permite ver fantasmas (quase) reais


Gênio da promoção, o diretor William Castle prometia a quem fosse assistir a Os 13 Fantasmas (13 Ghosts, 1960) nada menos do que visualizar assombrações. Para isso desenvolveu o fabuloso sistema Illusion-O!

Nada mais era do que um visualizador portátil de manifestações fantasmagóricas.  Em determinadas partes do filme as pessoas eram impelidas a colocar diante dos olhos um tipo de “lente” (na verdade celofane) avermelhada que permitia ver os "desencarnados" na tela.

Tudo de acordo com o que se assistia, não mero efeito apenas para a platéia. Na história, que mais é policial do que de terror, uma família classe média baixa herda mansão de desconhecido tio que colecionava fantasmas.

Envolvido tanto com ocultismo quanto com a ciência, o finado desenvolveu óculos especiais que permitem enxergar as assombrações. Quando um personagem os usa é a deixa para a plateia experimentar o Illusion-O.

O que aparece sendo usado pelos atores é uma engenhoca parecida a tantos outros objetos de ficção científica. A versão que a plateia recebia na entrada do cinema era de papelão, similar aos antigos óculos 3D, mas que não era vestido, apensas segurado com as mãos.


Só que além dos avisos na tela, com os atores colocando os óculos e tudo, todas as cenas com fantasmas eram em tom azul, contrastando com o resto do filme preto e branco. Olhando pra tela através do celofane avermelhado, o cérebro filtrava a imagem, permitindo ver os "seres ocultos".

É evidente, até pela tecnologia da época, que devia funcionar mais ou menos, com os fantasmas visíveis até a olho nu. Mas funcionou muito bem como atrativo a mais para quem pagou ingresso, embora, não haja informações de outra película a usar o recurso, nem o remake de 2001.

Mais tarde, para exibições na TV, o filme foi totalmente transferido para o preto e branco com os fantasmas visíveis mesmo sem o Illusion-O. No exterior existem edições em DVD que preservam o efeito, vindo com o artefato especial de brinde e tudo.

Inédito em DVD no Brasil, Os 13 Fantasmas tem sido exibido nos canais HBO. Na internet circula um arquivo dublado em português, oriundo da TV paga, apenas em preto e branco.

William Castle dirigiu e produziu muitos filmes populares e simplórios, muitas vezes acompanhados de recursos curiosos que lhes empregava uma inegável aura de atração de parque. Em A Casa dos Maus Espíritos (House on Haunted Hill, 1959) foi o Emergo, nome pomposo para um esqueletinho que pulava no meio da plateia, amarrado por cordas.

Em Força Diabólica (The Tingler, 1959) cientista descobre um parasita na coluna cervical causador de calafrios. Castle ousou dar choques nas poltronas, recurso que chamou de Percepto.

Nem tudo era maluquice ingênua. Em A Máscara do Terror (Mr. Sardonicus, 1961), que pedia ao público para decidir qual seria o final da história, conceito interativo que seria bastante reaproveitado na posteridade.

Algumas imagens são um oferecimento Midnight Only

Veja também:
Rara imagem de Emergo em ação
Percepto, outra chocante invenção de William Castle
Cinema interativo é coisa do passado

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails