quarta-feira, 14 de maio de 2014

Musicas para Bette Davis


Se havia uma coisa que Bette Davis detestava era que seus filmes tivessem trilha sonora. Por coincidência o auge da sua carreira coincide com a do grande compositor Max Steiner, enquanto ambos estavam contratados pela Warner.

Ela teria se preocupado com o trabalho dele precisamente em Vitória Amarga (Dark Victory, 1939 de Edmund Goulding). Conforme relembra o Se Entertainment, enquanto filmava a cena mais dramática de Dark Victory (a parte em que sabemos que ela vai lá em cima para seu fim trágico), Bette Davis parou e perguntou ao diretor, "Quem está musicando este filme? Max Steiner?" O diretor disse que achava que sim. "Bem", Bette declarou: "ou eu vou subir as escadas ou Max Steiner está subindo as escadas, mas nunca nós dois juntos".

Os grandes atores de Hollywood entendiam que uma boa marcação de música era parte tão importante de cada filme como a sua própria presença na tela, o que parecia muitas vezes como competição. Como sabemos, Max subiu as escadas junto, contra vontade de Bette, numa excelente e indireta parceria.

A atriz repetiria essa mesma história por décadas. Até por que, Vitória Amarga é seu desempenho mais pleno segundo a própria, injustamente ofuscado pelos grandes sucessos daquele ano, como ... E O Vento Levou (Gone with the Wind de Victor Fleming e outros).

Mas não havia problemas pessoais entre eles. Bette Davis o teria escolhido para compor a trilha sonora de Um Vida Roubada (A Stolen Life, 1946 de Curtis Bernhardt), único filme em que também foi produtora, o que deixa claro não haver problema pessoal entre eles.

 Ao todo, Bette Davis e Max Steiner estiveram juntos nos créditos de vinte e um filmes. Na lista estão incluídos alguns de seus maiores papéis, como Escravos do Desejo (Of Human Bondage, 1934 de John Cromwell) Jezebel (1938) e A Carta (The Letter, 1940, ambos de William Wyler).

Nascido na Áustria em 1888, o músico é considerado um dos maiores artistas a trabalhar em Hollywood. Ainda criança, apadrinhado por Richard Strauss, genialmente compôs sua primeira ópera, ao migrar para os EUA foi natural encontrar trabalho na Broadway.

As portas do cinema foram abertas com a chegada dos filmes sonoros, no começo da década de 30, iniciando uma carreira que perduraria até 1965. Foram centenas filmes de filmes que musicou, sendo muitos deles agora grandes clássicos.

É de sua autoria composições ou conduções antológicas como o Tema de Tara de E O Vento Levou... , Casablanca (1942 de Michael Curtiz) e King Kong (1933). Ele foi indicado ao Oscar 30 vezes saindo vitorioso em três cerimônias.

Em muitos casos Max Steiner foi derrotado, mas seu trabalho é hoje infinitamente mais lendário do que o vitorioso. Ou dá pra comparar a música de Casablanca com a de Alfred Newman para A Canção de Bernadette (The Song of Bernadette, 1943 de Henry King)?

Em A Estranha Passageira (Now, Voyager, 1942 de Irving Rapper) levou o prêmio da Academia e ainda despertou a atenção dos estúdios para uma forma de renda então mal aproveitada. Seu tema ganhou letra e o título "It Can't Be Wrong", tornando-se um grande sucesso de vendas.

Após a morte do colega em 1971, Bette Davis disse que "Max entendia mais sobre o drama do que qualquer um de nós".

A primeira imagem é um oferecimento Vinnieh, a segunda Bloomberg

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails