terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Ficha corrida de um ladrãozinho de cenas

Jerry Lewis aprendendo com quantos gibis se faz uma criança mal educada em Artistas e Modelos (Artists and Models, 1955 de Frank Tashlin). O diabinho em questão é George Winslow.

Daqueles atores mirins aposentados antes de trocar todos os dentes de leite. Sua carreira no cinema acabou em 1958, aos 12 anos.

E nesse curto espaço de tempo teve a chance de contracenar com grandes astros do porte de Cary Grant, Clifton Webb e Jane Russell. Revendo o filme de Jerry Lewis corri ao IMDB pra checar se não era o menininho que contracena com Marilyn Monroe em os Homens Preferem As Loiras (Gentlemen Prefer Blondes, 1953 de Howard Hawks ). Touché!

Com voz estranhamente rouca ele é o pequeno magnata de nome pomposo (Henry Spofford III) que a loira pensa em conquistar antes de saber da pouquíssima idade. Os dois ainda participam de uma das mais engraçadas cenas já filmadas.

Aquela sequencia quando ela está entalada na janela do navio e o garoto a ajuda a não ser pega por ladra. Ele é o corpo (coberto por um cobertor), ela é a cabeça, pra tentar enganar o velho Charles Coburn.

Um ano antes (e um ano faz toda a diferença no crescimento de uma criança), George Winslow tinha participado de outro filme com Marilyn, embora não contracenem juntos. Em O Inventor da Mocidade (Monkey Business, 1952) do mesmo diretor, é um dos amiguinhos do Cary Grant infantilizado com quem brinca de cowboy e índio.

Sobre Marilyn, teria dito em 1983 que se lembra bastante de trabalhar com ela de manhã até tarde da noite e quando estava se trocando com seus pais para ir embora, recebia sua visita no camarim. Sem maquiagem, ele tinha dificuldade em reconhecer de que se tratava da mesma pessoa, exceto pela voz.

Após deixar o cinema (teria perdido até o jeito engraçado de falar) alistou-se por anos na marinha. Voltando de lá, adotou o nome de batismo (George Carl Wenzlaff) e fez um curso de fotografia.

Teve mais sorte do que aquele outro guri que trabalhou com Marilyn em Rio das Almas Perdidas (River of No Return, 1954 de Otto Preminger), conforme você lê clicando aqui. Embora seu estrelato tenha durado bem menos.

Atualmente segue a carreira de fotografo, discreto, evitando ao máximo aparecer para relembrar seus tempos de Hollywood. Mora em Las Vegas (Nevada – EUA) e jamais se casou.


Veja também:
Hora de brincar com a tia Marilyn
Seis meninas prodígio que cresceram bem


[Ouvindo: Like Cats – Bear]

2 comentários:

DAVI VALLERIO disse...

jamais se casou....entendi tudo.Aindaem que não entrou pro ramo do pornõ fazendo a versão do cobertor com a cabeça da loira

Miguel Andrade disse...

Davi, que maldade! hahahaha!

Related Posts with Thumbnails