quarta-feira, 27 de junho de 2012

Onde os tolos não tem vez

Em glorioso VistaVision, Rastros do Ódio (The Searchers, 1956 de John Ford) é obrigatório! Claro que pra quem se apega a cinema, não a gêneros.

Fui tardiamente prestar atenção ao faroeste. São os que melhor provam minha humilde teoria...

Aquela sobre arte e comercial no cinema. Fazer qualquer zoeirinha sem pé nem cabeça com uma câmera é fácil e será assistido por meia dúzia de bichas pingadas.

Fazer algo realmente de teor refinado e alcançar uma multidão é que são elas. Não foram poucos os bang bangs a alcançarem a façanha.

ExperimentalismosszzzzZZZZ...

[Ouvindo: Mr Wonderfull – Ann Margret]

6 comentários:

DAVI VALLERIO disse...

AMO RASTROS DE ÓDIO,AMO ERA UMA VEZ NO OESTE,AMO MEU ODIO SERA SUA HERANÇA,AMO JOHNNY GUITAR...ACHO QUE AMO WESTERN

Miguel Andrade disse...

Davi, eu também. E demorei pra descobrir isso por puro preconceito.

Madeeeeeeeira! disse...

o "pé nem cabeça" está na sua compreensão sobre certos filmes e não nos filmes em si.

Miguel Andrade disse...

Madeeeeeeeira!, num texto assinado por mim, seria na compreensão da cabeça de quem? Na sua? Risos.

Leticia disse...

Foto e textos bacanas para um comentário grosseiro, gratuito e sem intelecção.

Miguel Andrade disse...

Letícia, como geralmente são os comentários grosseiros: Ditos por quem não entendeu lhufas! rs

Related Posts with Thumbnails