quarta-feira, 21 de julho de 2010

Livre concorrência

Ahá! Mas absolutamente ninguém está isento de ter concorrência.

Se a aura hippie levou meio mundo a cantarolar os rocks de Jesus Christ Superstar, como não esperar esse rebate das trevas? Imaginei que Satan Superstar fosse de músicas pra discoteque, mas não é.

O renomado maestro Stanley Black, que até tinha um nome condizente com o projeto, topou conduzir temas de filmes de terror do momento com a National Philharmonic Orchestra and Chorus. E pelo menos o aluguel do mês estava garantido!

Após O Bebê de Rosemary (Rosemary’s Baby, 1968) o tinhoso entrou na moda no cinema. Foi seguido pelo oscarizado O Exorcista (The Exorcist, 1973), A Profecia (The Omen, 1976, com fabulosa trilha sonora de Jerry Goldsmith), e zilhões de cópias e similares.

Tanto sucesso fez proliferar igrejas prometendo expulsar demônios. Ou você acha que é mera coincidência a Igreja Universal do Reino de Deus ter sido fundada em 1977?

É preciso levar em conta também a propagação da Nova Era. 1969 seria o ano I, conforme a pobre Rosemary descobre.

Vamos lá! O disco com a coletânea, incluindo “King of Kings (Devil Scene)”, faz parte do Lounge Legends.

[Ouvindo: The Color of Your Eyes – Vincent Price]

2 comentários:

talita disse...

Gostei do Demo vestido de Tony Manero.

Miguel Andrade disse...

Talita, por isso que eu pensei que fosse de disco! hahaha

Related Posts with Thumbnails