segunda-feira, 31 de maio de 2010

Multiplicando o horror

A Casa de Drácula (House of Dracula, 1945) pertence à segunda fase dos monstros. Quando os novos donos da Universal estavam ávidos em por as mãos em seus maiores tesouros.

Colocaram pra quebrar, literalmente, com todas as criaturas que na década passada foram responsáveis por levar multidões aos cinemas em filmes solos. Depois de Filhos e Filhas, Drácula e Frankenstein passaram a ter casas!

Este A Casa de Drácula colocaria fim aos crossovers tenebrosos iniciado com Frankenstein Encontra o Lobisomem (Frankenstein Meets the Wolf Man, 1943). Os monstros voltariam a se reunir mas para fazer rir em Às Voltas Com Fantasmas (Bud Abbott Lou Costello Meet Frankenstein, 1948).

A sátira leva a vantagem de ter novamente Bela Lugosi usando a capa de Conde Drácula, papel que vinha sendo interpretado por John Carradine. Além de se ouvir no final a voz de Vincent Price como o Homem Invisível.

Tanto A Casa de Drácula quanto A Casa de Frankenstein (House of Frankenstein, 1944) foram lançados em DVD por duas distribuidoras no Brasil. Pela Universal naquela coleção de capas verdes padronizadas, e pela finada WorksDVD (DarkSide), que juntou os dois num mesmo disco.

Fora o fato de que a casa virou mansão no título, o da WorksDVD (DarkSide) contem vários trailers da serie. O do estúdio oficial tem a capa mais feia (não sei se confundiu Boris Karloff com Glenn Strange) e traz apenas um trailer de bônus.

Os motivos para reunir todos eles numa mesma produção eram esdrúxulos. Em A Casa de Frankenstein por exemplo, Lobisomem procura um médico/cientista bondoso que está disposto a lhe curar de sua maldição.

E não é que Conde Drácula também está cansado de ser um morto vivo e também decide sarar? Só que ele acaba mordendo o doutor, que se transformar num cientista louco ao ponto de ressuscitar o Monstro de Frankenstein!!!

Os aldeões enfurecidos que preparem as tochas. Terão um trabalho dos diabos!

Veja também:
A era das trevas
O Filho de Frankenstein em quadrinhos
Sucrilhos monstros Universal


11 comentários:

Sidney disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Miguel Andrade disse...

Acabei de excluir um comentário, porque eles estão disponibilizados gentilmente, sem passar por moderação, para que o internauta possa comentar o post.

Claro que prezo a liberdade, agradeço correções coisa e tal, mas deixar apenas isso, diante de todo o texto, não me parece uma coisa muito educada.

E ninguém atualiza um blog esperando ser desrespeitado.

Renné disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renne Ramos disse...

poxa e como essa coisa de refilmar, recriar, misturar já era feita naquela época tentando recuperar bilheterias... Será que tiveram sucesso (parcial) como nos primeiros filmes do Boris e Lugosi??

Miguel Andrade disse...

Renne, acho que não foi igual, mas deve ter rendido algum, já que fizeram vários!

qualquergordotemblog disse...

Desculpe, mudar um pouco de assunto, mas o SBT quando pode dá uma no cravo e outra na ferradura. Programou a versão original de Christine para passar no Cinema em Casa e a versão escrota (na minha opinião) de Carrie, a estranha no Cine Espetacular. Porque não passara versão original igual quer fazer com Christine? E pensar que o SBT já passou filmes bons de terror antigamente...

Miguel Andrade disse...

qualquergordo, eu fiquei sabendo dessa versão escrota de Carrie não faz muito tempo. E eles já passaram até Baby Jane no fim de noite de um sábado.

O SBT é uma coisa Corra, O Piloto Sumiu mesmo!

Refer disse...

Filme que pertence a essa liga (derivados dos filmes originais de monstros) que eu gostaria de rever, aqui passou com o título de A Filha de Frankenstein (ou algo assim). 'Lá' é Frankenstein Created Woman, com Peter Cushing e Susan Denberg, uma modelo loira e linda, que foi 'garota Playboy' - foi casada com Tony Scotti.

Informações sobre SD e sobre o filme são super bem-vindas.
:D :D

Miguel Andrade disse...

Refer, tem em DVD no Brasil, lançado pela mesma WorksDVD. Gosto muito desse filme também. É da Hammer.

Distribuíram agora aqui como
Frankenstein Criou a Mulher. Escrevi sobre ele no Cinemorama:

Refer disse...

Sério? Como dizia o meu avô, a gente tem de falar com quem sabe.

O título em português original não era esse não.

Vou ver se encontro para alugar.

obrigado.

Miguel Andrade disse...

Refer, dá pra achar, com sorte, nos moquifinhos do centrão daí!

Related Posts with Thumbnails