quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Corre, Belinha!

Nem comentei que no mesmo supermercado onde achei o tal Fido, tinha um DVD com a familiar Divine dando sopa. Pra dona de casa ler o resumo sentindo o cheiro dos hortifrutigranjeiros...

Divine a preço de mandioca junto a melancias, alho, cenouras e beterrabas, combina sim! Íntimo, cheguei a pensar “Olha só quem ta aquiiii!”.

A Louca Corrida do Ouro é aquele em que ela é mocinha de saloon, repetindo a gloriosa parceira romântica com o Tab Hunter. Para ver umas capturas de tela clique aqui.

Um oferecimento Mom Smackley

[Ouvindo: Conoci La Paz – Beny More]

7 comentários:

Daniel Barros disse...

Me inspirei no seu post pra rever o Female Trouble. Divine foi a curandeira da noite sorumbática de quinta-feira. Morfina d'alma essa mulher.

Miguel Andrade disse...

Daniel, bacana ter sido útil! Hehehe

rafael disse...

A Louca Corrida do Ouro não é aquele que as moças tem os mapas na bunda?

Miguel Andrade disse...

Rafael, ótimo! Contou o final pra quem não assistiu!!! Haha

rafael disse...

UHAUHAUHA. Faz muuuuuuuito tempo... nem sabia uqe era o final. Era da epoca q meu pai me obrigava a assistir western e eu nao gostava ... dexa ele saber q eh a atriz hehehehe

rafael disse...

Ha! e sabe o q acabei de descobrir, Paul Bartel, o diretor, fez um papel no Frankeweenie do Tim Burton!

Miguel Andrade disse...

Rafael, que pai espertinho vc tem! hehehe

NOSSA!!! O que será que ele fez: Vou pesquisar já!

Related Posts with Thumbnails