segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Deusa aprontando altas confusões

Que saudosismo ver estes avisos, comuns até hoje na Sessão da Tarde da Globo, num filme clássico. Quando Os Deuses Amam (Down to Earth, 1947) era figurinha fácil nos anos 80.

E embora musical, que invariavelmente me levavam ao sono já que eu estudava de manhã, era imperdível por lidar com deuses mitológicos. Rita Hayworth (Quem mais poderia?) é Terpsichore, musa da dança, que fica emputecida ao saber que farão musical na Broadway mostrando-a de forma vulgar. “Uma devassa!”

Vem pra Terra disfarçada de mortal e com nome Kitty Pendleton tentará reverter as coisas. Começando por conseguir o papel principal no tal espetáculo.

Argumento muito parecido ao de Xanadu (da Olivia Newton-John) e mais uma pá de filmes com divindades às voltas com problemas sentimentalmente humanos. Inédito em DVD no Brasil e dificílimo de ser encontrado na web.

E uma boa alma me agraciou com esta cópia digitalizada de VHS gravado da Globo. Lembrando que piorava ao ser gravado em VHS, a gente era feliz mesmo assistindo coisas com imagem toda rabiscada e dublagem antiga pronunciando os “erres” super direitinho.

Quanto à Sessão da Tarde capenga atual, tenho certeza que publiquei antes aqui a minha teoria. Infelizmente está entre os posts que sei lá porquê o Blogger sumiu.

Resumidamente, creio que nada mudou. A Globo continua exibindo no horário filmes produzidos há no máximo 30 anos.

O que mudou foi o cinema e a popularidade dos televisores. E é por isso mesmo que bendigo a invenção do DVD e poder colecioná-los pra se assistir quando bem entender.

[Ouvindo: Cajueiro Velho – Alcione]

36 comentários:

Anônimo disse...

Esse eu não tive a sorte de assistir na Sessão da Tarde! Mas lembro de ver a primeira versão do Pássaro Azul com a Shirley Temple! Tenho certeza que minha vida não seria a mesma se tivesse assistido a Rita Hayworth com 5 anos! Talvez me chamasse Gilda hoje...(refletindo)

Miguel Andrade disse...

Anônimo, hahahaha!

Pássaro Azul era outro clássico do período. Mas foi na Sessão da tarde que vi pela primeira vez Carmen Miranda, Marilyn Monroe (O Rio da Almas Perdidas), etc.

Inacreditável pensar, comparativamente com a de hoje em dia.

R. Scholl disse...

Eu estudei sempre à tarde, só assistia a Sessão nas férias! Mas eu assistia Sessão de Gala, Corujão 1 e 2 com 5 anos! Isso sim foi um "grande radar" na minha formação!

R. Scholl disse...

Ugi Tognazzi e Michel Serrault formaram meu cárater!

Miguel Andrade disse...

R. Scholl, passei a assistir estes horários na adolescência. No outro dia era infernal levantar cedo pra ir pra escola.

Pior que acho que este hábito ficou em mim.

Viu, e a Sessão da Tarde de férias? Muito Festival Jerry Lewis e coisas do gênero.

R. Scholl disse...

Tinha a Sessão de Férias! Mas lembro mais de passar desenhos, Jerry Lewis me lembra programação de sábado ou domingo, chato que dói ele! O fato é que ter ficado acordado na infância pra ver Corujão é que vou ser eternamente insone.

Miguel Andrade disse...

R. Scholl, programação de sábado e domingo pra mim era Bud Spencer e Terrence Hill. Detestava! :D

R. Scholl disse...

Tu deves lembrar de uma Sessão Bang-Bang que dava sexta à noite! ERA MEU CASTIGO! Sempre detestei faroeste, tinha que ir pra cama mais cedo. Passava faroeste italiano pro deleite do meu pai!

Miguel Andrade disse...

R, Scholl, não lembro! Mas sempre detestei também.
Hoje em dia pago pau pra Sergio Leoni. Adiei ver seus filmes por puro preconceito.

R. Scholl disse...

Ainda não cheguei nesse grau de evolução! Mas vou tentar um dia!

Miguel Andrade disse...

R. Scholl, hahahaha!

Você vai se arrepender de não ter assistido antes....

Renata disse...

Ah, eu sou mais uma das insones precoces da madrugada... lembro quando eu fiquei doente, tinha uns 7/8 anos e meu pai comprou uma TV nova para a sala e deixou a velha no meu quarto... Quantos clássicos! Adorava ver Bette Davis, Rita Hayworth, Marylin Monroe, Elizabeth Taylor, Fred Astaire, e outros...
Havia um filme de Bette Davis que eu gostaria muito de me lembrar o nome, mas não consigo... só me lembro dela no fim sofrendo o diabo (óóóó) rs

Miguel Andrade disse...

Renata, pode ser qualquer um! :D

Mas engraçado isso de TV nova. geralmente casas classe média tinham apenas uma TV na sala, então era preciso negociar o que se assistiria. Hoje há uma em cada quarto e boa!

Renata disse...

é... por isso ainda não achei... rs
fora a dificuldade de se achar filmes antigos mesmo...

sim, é verdade... mas hj em dia chega-se ao cumulo de estar se vendo o mesmo programa em lugares diferentes da casa...

Miguel Andrade disse...

Renata, é triste. Tenho muitas lembranças da família reunida vendo filmes.

Mas era péssimo às terças, quando a gente queria ver TV Pirata e minha mãe a Hebe.

Renata disse...

em casa eu lembro de assistirmos a Roque Santeiro e Anos Incríveis...

Miguel Andrade disse...

Renata, essa época de Anos Incríveis foi oi auge da Cultura. Hoje tem anúncios coisa e tal, e a programação não chega aos pés do que já foi.

R. Scholl disse...

Aproveitando o momento sessão "remember"!

Miguel, faz séculos que eu tento lembrar o nome de uma série que passou na Globo nos anos 80. Tu talvez lembre, era uma minissérie americana (acredito que tenha durado 1 semana), o enredo era meio mirabolante, uma milionária é jogada pelo marido num rio, onde crocodilos desfiguram seu rosto (!), essa mulher sofre várias cirurgias para recompor a face, se envolve com o cirurgião e um dia reencontra o marido numa partida de tênis, ele não reconhece a esposa mas se sente atraído por ela! Eu fiquei com isso na memória, deve ter passado por 84,85... eu tinha 5 anos! Um amigo tem a lembrança também, tinha uma música linda na abertura. Eu pensei em ir procurar num jornal da época pra descobrir o nome da série! É o cúmulo da falta do que fazer ?

Miguel Andrade disse...

R. Schroll, eu fiquei décadas com este filme na cabeça até que o achei >> http://cidadaoquem.blogspot.com/2009/04/quem-e-saladinha-de-frutas-da-mamae.html

Eu lembro vagamente desta série que você está falando. Mas era hora de criança estar na cama. A Globo passava umas coisas assim com a Loni Anderson.

Renata disse...

Nossa!! eu lembro desse filme!!! e aquele tb da menina que a irmã amarra o cadarço do sapato enquanto a familia viaja, ai não sei o pq o carro pega fogo... todos conseguem sair do carro menos ela... Daí ela morre carbonizada e volta pra assombrar a irmã "fanfarrona" rs

R. Scholl disse...

A criança era um pouco precoce! Mas resolvi a charada da minissérie, se chamava Paraíso Maldito (Return to Eden), era australiana e baseada (óbvio) num romance de Sidney Sheldon!

Ó o vídeo!

http://www.youtube.com/watch?v=xUYGKqroa5c

Miguel Andrade disse...

Renata, é esse mesmo do post!

R. Scholl, Sidney Sheldon ever!

Leticia disse...

Eu ia falar de um filme que adorei ver na ST chamado "Aconteceu aquela noite", com Claudette Colbert e Clark Gable, direção do Frank Capra. Uma gracinha de filme. E tinha muitos outros contemporâneos.

Quanto às TVs que vocês comentaram, hoje eu tenho duas só pra mim. E pensando em comprar a terceira. Traumas dos programas em família...

Miguel Andrade disse...

Letícia, somos dois. A que está no quarto nunca ligo. Há anos se bobear, porque durmo na sala!

Você lembra do outro post da Sessão da Tarde deletado? Lembro que você comentou que via filmes da Bette Davis.

Renata disse...

Gente, eu tenho uma TV no celular... rs...
Não que eu realmente a use, todo dia, mas serve pra quebrar galho.

Leticia disse...

Não lembro, Miguel! Quem mandou deletar, criatura?

Renata e Miguel, não chego a ter TV no celular, mas a da cozinha é batata! Lá eu tinha uma velhíssima, que faleceu. Fui nas Casas Bahia correndo comprar outra. É pequena tb., mas dá certo trabalho se eu quiser trazê-la para este quarto-escritório. Por isso me assaltam os mais primitivos instinos de comprar outra.

Renata disse...

Leticia, lembra-se daquelas TV pequeninas, do tipo boléia de caminhão? rs

Eu assisti muitos filmes antigos nela...


Ah, a TV no celular não foi escolha, foi pq eu precisada de um celular com dois chips, rsrs

Miguel Andrade disse...

Renata, tinha esquecido da TV do celular. Mas a uso pouco... só em casos de puro tédio em algum lugar, mas nunca esta passando nada que presta! :o

Letícia, mas não fui eu não! Quem deletou foram ELES!

Alguns posts lembro bem de ter escrito, lembro até dos comentários, vou procurar e eles não existem mais.

Ha, vai por mim,a que está aqui pertod o PC não uso nunca! Ser´[a dinheiro desperdiçado.

Renata, essas de boléia eram umas verdes que tinham AM/FM? Assisti bastante TV nela! Minha avó tinha uma. Um monitor hiper pequenininho.

Leticia disse...

Lembro, Renata, mas nunca tive uma à mão.

Eu uso numas, Miguel. É bom de ligar pra "ouvir" o noticiário enquanto estou fazendo algum trabalho que não me exija tanto os miolos. Fora disso, desligadíssima.

Miguel Andrade disse...

Letícia, ah, também deixo às vezes a da sala ligada pra ficar ouvindo. Tipo rádio.

Um desperdício de imagem :D

Renata disse...

Miguel, a minha não era verde, era cinza... do Paraguai mesmo. A tela é de 5 polegadas.

Quando eu estou sozinha em casa, até que ligo a TV pra me fazer compania... igual o rádio do carro... como faço uma verdadeira "viagem" até meu trabalho, deixo ligado pra acordar... rs

Miguel Andrade disse...

Renata, sim! Um cinza militar, quase verde, retangular. Você ainda a tem?

Renata A. disse...

Até que enfim eu achei outra pessoa que sente saudades da VERDADEIRA Sessão da Tarde, aquela que passava filmes antigos deliciosos, em vez da Sessão da Tarde de hoje, que só exibe filmes com "uma galerinha esperta que adora uma confusão". Ainda não cheguei a uma conclusão sobre se você ama ou odeia Rita Hayworth, mas eu a adoro desde menina. Sou fã doente dela e não me conformo com o descaso com que a obra dela é tratada na mídia até hoje. Infelizmente ela passou para a história apenas como "uma moça que dançava bem e tinha um cabelo bonito". Ridículo. Ela era uma artista fabulosa, provocadora, transgressora e insubstituível. Hollywood teve e ainda tem muitas divas, mas nenhuma como ela. Seus filmes venenosos e inteligentes encantam e fazem pensar até hoje.

Miguel Andrade disse...

Renata, sinto o mesmo quanto à Marilyn. Sempre vista como a sedutora coisa e tal... Ninguém enxerga o ser humano que se tornou em mito!

Quanto á Sessão da Tarde, a de hoje é a de sempre. Exibe filmes de 20, 30 anos atrás. Os filmes de 20, 30 anos atrás em relação a década de 80 eram os clássicos.

Ou seja, o cinema é que ficou pequeno, como diria Norma Desmond. rs

Renata A. disse...

Nada disso, caro Miguel Andrade. Foi o MUNDO que ficou MAIS BURRO, mesmo! É graças a pessoas como você e como o autor desse texto sensacional que a humanidade não emburrece de vez! Beijos.

Miguel Andrade disse...

Renata, será? hehehe Obrigado mesmo assim.

Related Posts with Thumbnails