quarta-feira, 12 de agosto de 2009

O que não dizem sobre o cowboy Marlboro


É um dos principais discursinhos antitabagista: “Sabe o cowboy da Marlboro? Morreu de câncer!”. É verdade! O primeiro garoto propaganda que a Philip Morris usou nos anúncios morreu de câncer, mas e daí?

Clarence Hailey Long, descoberto numa matéria da revista Life sobre a vida bruta norte americana, nasceu em 1910!!! Como ninguém fica pra semente, isso não me parece argumento válido.

Já perguntei a um médico sobre o fato de cigarro ser associado a câncer e Bette Davis ter vivido tanto. Ele foi enfático em afirmar que propagar tal coisa era absurdo, que dizer isso só serve de desestímulo a quem quer deixar o cigarro.

Segundo ele, você terá câncer se houver propensão a ter. O tabaco entraria na história como agravante.

Volto a dizer que essa lei anti fumo é bobagem porque tenta resolver um problema de educação através de veto. Fumar em lugar fechado é coisa tão deselegante quanto usar muito perfume, ouvir música alta, furar fila, etc.

Não deveria caber ao estado decidir quem é educado ou não e sim dar apoio a que se formem cidadãos conscientes. Isso sem entrar no mérito da Justiça do Brasil que mal tem o que fazer, né?

Veja também:
Cigarro não tem hora pra acabar
Baforadas de maldade


[Ouvindo: Moon River – Andy Williams]

30 comentários:

Ana disse...

Pois é...o Estado mete-se demais em assuntos que não lhe dizem respeito, e o que realmente precisa ser legislado fica parado por eras. =/

Linda Carioca disse...

Bom, infelizmente o nosso povo só "aprende" a ser educado quando sente no bolso.

Eu sou super a favor dessa lei. Me sentia super mal em ficar perto de gente fumando, sentir aquele fedor insuportável, correr o risco de ser queimada ( por que tem gente que simplesmente fica com a mão baixa ou então fica se mexendo o cigarro em todas as direções) e voltar dos lugares fedida da cabeça aos pés. Sem contar que a minha saúde agradece bastante !

Beijos !

Miguel Andrade disse...

Ana, provavelmente porque se metendo na nossa vida dê nos a sensação de que ele olha por nós...

Linda Carioca, é uma questão de civilidade. Sou fumante faz tempo e não me lembro de ter fumado alguma vez em lugares fechados.

Embora acredite que em caso de casas noturnas seja válido o "quem está na chuva...".

Álcool faz muito mais vítimas, seja no trânsito, destruindo famílias coisa e tal e está aí firme e forte. Bêbado no Brasil é personagem folclórico, tema de programas de humor, piadas.... Raramente associado a situações dramáticas, muito mais reais.

Leticia disse...

Acato a lei, porque entendo que há gente que só no cabresto.

Mas eu, como meu amigo Miguel, sou uma pessoa elegã: não fumo na cara de ninguém, não uso perfume da moda, nem adocicado nem demais. Não falo alto,não arrasto cadeira, não palito os dentes, não falo largatixa e não escrevo concerteza. Saio do metrô pela porta direita, assim me mantenho em escadas rolantes, não chamo estranhos de querido nem inicio ligações telefônicas perguntando: "Quem?"

Agradeço sempre, dou bom dia sempre, peço por favor, não começo a comer antes de minha companhia, não dou escândalo em enterro e deixo intacto qualquer banheiro após o uso.

E tenho sempre um álcool gel na bolsa, muito antes da gripe suína.

Mais alguma coisa?

Miguel Andrade disse...

Letícia, idem, idem, idem! Tem gente que bate no peito o amor à mãezinha que lhe criou sendo que perde a oportunidade de demonstrar a competência da progenitora em lhe dar educação de vez em sempre.

Refer disse...

A próxima lei antitabagista, pelo andar da carruagem, será a legalização do apedrejamento de
fumantes. Legisladores americanos cederam aos grupos antitabagistas fanáticos e gerou essa fúria irracional contra o cigarro. Onde isso vai parar?
Essas 'pesquisas' que associam cigarro a câncer é tudo invenção, não tem o menor fundamento. Personagem de teatro tabagista em SPaulo tá proibido porque 'não pode' fumar em lugar fechado — ridídulo! A cultura da proibição, do 'não pode' está instalada no Brasil e não sei como vamos nos livrar disso, porque o povo não reage. Se faz tão mal, como dizem esses xiitas malditos, por que não botam o tabaco fora da lei? Por que se permite que se fume em 'templos religiosos'?Macumbeiro tem licença pra morrer de câncer, é? Raça do caralho, hipócritas, bando de energúmenos filhos dp. Aí aparece um assessor do Serra dizendo que a proibição é legal porque não estão proibindo o cigarro, "porque fumar em casa está
liberado". Ora, em casa, tenho certeza que o cu da mãe desse puxa-saco também está liberadíssimo. Os
caras cerceam as liberdades individuais e ainda se sentem seguros pra fazer pilhéria. Isso vai contaminando todo mundo que não percebe que não é o estado que tem de dizer se vc pode ou não fumar. Somos o quê? Incapazes? Não temos discernimento para fumar onde é possível e viável? Somos índios para sermos tutelados pelo estado?

Miguel, nunca te vi sempre te amei — vc ouve as músicas certas com os caras errados. Vc tem de saber de mim, saber o que eu sei. 'Moon River' porreta é com Danny Williams.

http://www.youtube.com/watch?v=yBrF8-TMEr0&feature=related

Miguel Andrade disse...

Refer, o povo não só não reage porque apóia. Fruto da cultura dos coronéis. Se o coronel diz que tá bom, é porque tá.

Eles já nos dizem quando devemos gerar um filho, com quem podemos fazer sexo, o que comer, o que vestir, o que assistir, o que comprar e assim por diante.

Não me canso de falar que filmes de zumbi nunca fizeram tanto sentido como nos dias de hoje!

Ah, eu tenho Moon River com meio mundo!

Olga disse...

Dependências químicas e psicológicas despertam debates apaixonados e fazem assomar argumentos pueris, sempre invocando a liberdade de escolha para justificar um hábito comprovadamente nocivo.
Em qualquer país do mundo os governos têm a obrigação de regular as atividades sociais, sim. Usar drogas - lícitas ou não - é decisão de cada um. Porém o uso em espaços públicos deve ser disciplinado.
Defender cigarro é o mesmo que achar desnecessário o uso de capacete para motociclista ou cinto de segurança em carros.
Miguel, os cigarros são tão ou mais nocivos que o álcool. A diferença é que seu consumo não traz mudanças comportamentais.
Proibir uma droga lícita com um número altíssimo de consumidores - algo em torno de 35 milhões de pessoas, só no Brasil - é impossível. Cercear seu consumo, no entanto, é possível e bem mais barato do que tratar da saúde de quem perece por seu uso.
Ah, e eu fumei por 12 anos pesadamente, em torno de dois maços por dia. Sei o quanto é bom. Mas também sei que é prejudicial. E muito.

Miguel Andrade disse...

Olga, não disse em momento algum de que não era nocivo ou defendi seu uso. Não recomendo cigarro a ninguém, mas também não gosto que me digam o que devo fazer, sou bem grandinho pra isso.

Agora, quanto aos argumentos, pueris ou não, é sempre um ponto de vista que respeito.

Caso não saibam disse...

bom, nao concordo com o que você disse. em parte. mas a questao é: se as pessoas nao tem o bom senso/educacao de nao fumar em ambientes fechados, o que resta eh a proibicao mesmo. afinal, ja pensou se o garcom do restaurante tem propensao a cancer e justamente por isso nao fuma? o que faz? fuma o cigarro dos outros ou perde o emprego. eu sou fumante mas concordo com a proibicao. diminue a quantidade de cigarros que eu fumo e tbm nao causa problemas com quem nao fuma. acho justo. apesar de ser contra proibicoes. :/

Igres Leandro disse...

Acho que a lei não vai pegar, mas a intenção é boa.

Leticia disse...

Olga, o problema nem é a lei.

É o apoio e o salvo-conduto que ela acaba dando à turma do higienistmo perfumado (que, por sinal, nem olha pro próprio rabo).

Ca VM disse...

Já me diverti e também me irritei com os comentários.
Estou aqui fumando meu quinto Marlboro dourado do dia, e como todos já disseram tudo o que havia para se falar, eu não deveria nem me meter, porém não resisto em ressaltar um ponto:
BEBIDA MATA MUITO MAIS INOCENTES QUE O CIGARRO!

Deixando claro... Além do cigarro, adoro um uísque cowboy, uma vodka pura com duas pedrinhas de gelo, e cerveja (Odeio drinks coloridos e cheios de misturas exóticas). Esses dois pontos da minha pessoa não me deixam cego ou deficiente visual (Já que se deve ser extremamente politicamente correto) a ponto de não ter meu coração partido ao observar famílias inteiras sendo mortas em acidentes de carro provocado por motoristas alcoolizados, mulheres e crianças espancadas por maridos e pais bêbados, enquanto todos fazem vista grossa. Além do coração partido, fico com nojo da propaganda de bebida na TV e meio impresso rolando a valer com pessoas felizes, celebridades felizes e mulheres gostosas felizes.

Se querem que o Brasil seja um país civilizado, com todos cidadãos respeitando o próximo, me diga, para começar, que tal proibir qualquer comercial de bebida? Pense nisso enquanto lava o cabelo fedendo cigarro. Ou lavava, já que esse problema acabou.

Acho que fiquei pesado, mas...

Abraços para todos!

Miguel Andrade disse...

Caso não saibam, entendi o que você disse, mas sempre me pareceu um exagero, pura paranóia importada dos EUA esse lance de fumante passivo.

Igres, se a lei existe, criada pelos governantes votados democraticamente pelo povinho bunda que há, terá que ser obedecida.

Letícia, isso mesmo!

CA VM, drinks coloridos e cheios de misturas exóticas é coisa de moça!

Poderiam também proibir cantora de axé que anunciam cervejas, rodeios nojentos que maltratam animais e são exibidos na TV, cantores pop que fazem shows em rodeios, etc, etc...

Mas falar mal de cigarro socialmente é mais bonitinho. Isso porque acho mesmo um trem nocivo fedido e caro...

Fabulastic disse...

Ui...trouxe a lume um dos meus assuntos favoritos, como já deve ter visto no meu blog.

Fumei durante um largo período de tempo, depois parei por um período quase igual e agora retomei. O facto de ser cada vez mais politicamente incorrecto fazê-lo é um prazer extra...

A questão não está tanto em se o tabaco faz cancro (câncer, como vocês dizem) mas qual o direito do Estado e sobretudo das empresas imporem restrições ao fumo. Simplesmente não admito. Sobretudo hotéis. Pago um quarto de hotel quero fumar lá dentro e se não gostam que invistam em saídas de ar eficientes. Penso que a perseguição ao tabaco tem mais a ver com questões de direitos civis, ou seja, o Estado ao fazer restrições à liberdade do fumador (aceites e ratificadas pela sociedade civil) cria um precedente para futuros impedimentos. Tal como também acontece com as cameras de vigilância...

Há uns dias um cliente americano com quem tenho negócios, dizia-me que devia parar de fumar porque era muito prejudicial para a saúde. Esse senhor é médico oncologista...e supinamente obeso! Aliás é a pessoa mais gorda que alguma vez vi de perto!

Respondi-lhe acidamente:« Well, Dear, not all of us can mantain such a healthy life style as yours...»

[Não sei se conhece a história da marca marlboro (um dos maiores golpes de marketing de sempre), gostaria de contar mas acho que o comentário já está para lá de longo...]

Miguel Andrade disse...

Fabulastic, esta história do Marlboro não chegou aos trópicos... Podes contar!

O que sei é que era um cigarro para mulheres, não?

Olha, tocaste num outro tema pertinente à minha cabeça: Que porra é essa de câmeras para todos os lados? Só na minha rua tem umas quatro ou cinco. Não posso ir comprar cigarro, por exemplo, sem que meus vizinhos saibam.

Deveria haver lei proibindo câmeras apontando para a rua. Em nome da pretensa segurança acham que podem fiscalizar a vida alheia.

Talvez aí não tenhas noção do clima de insegurança imposto pela mídia em que o Brasil está. Vivemos num clima de pânico e todos acham isto natural. Todos têm medo de todos.

É aquela história de dominar pelo medo. E num país pobre e miserável como o Brasil as coisas neste sentido são mais fáceis. Enfim...

Refer disse...

Fabulastic... vá escrever bem assim no raio que o parta!

Miguel Andrade disse...

Refer, aham...

Marcus disse...

Miguel, long time no see! O que mais me espanta, mais do que a própria lei absurda que impede até a existência de fumódromos isolados de outros ambientes e tabacarias que sirvam bebida e comida, é o ÓDIO, a RAIVA que muitos não fumantes têm demonstrado contra quem fuma. Por que tantas palavras de ódio para quem fuma??? Que neura é essa? Desejo reprimido de fumar? Descarregam toda a amargura e recalques que têm na vida em cima do bode expiatório da vez? Medo. E muita gente se pergunta como um regime de ódio como o nazismo pôde ser permitido pelo povo alemão, por exemplo. Bem, a resposta está por aí pra quem quiser ver, guardadas as proporções, mas é o mesmo mecanismo. Com licença, mas agora vou sair pra fumar meu Free One (não me gongue, mas é o cigarro que eu curto, hehehe!)

Miguel Andrade disse...

Marcus, esse ódio tem me feito rir pencas!

Galerinha pseudo descolada, por dentro das últimas noticias da moda, últimas bandinhas pops, reproduzindo um discurso repressor e careta!

Servindo de caixa de ressonância para o que de pior tem a cultura norte americana...

Carolina disse...

"Usar muito perfume, ouvir música alta, furar fila etc" não podem agravar uma doença que leva a morte milhares de pessoas por ano.
Proibição? Me desculpe, mas a preocupação não é com o fumante. Quer aulmentar sua chance e morrer? Problema deles. A preocupação é com os NÃO fumantes, que não fizeram a mesma escolha.

Anônimo disse...

As causas de câncer são variadas, podendo ser externas ou internas ao organismo, estando ambas inter-relacionadas. As causas externas relacionam-se ao meio ambiente e aos hábitos ou costumes próprios de um ambiente social e cultural. As causas internas são, na maioria das vezes, geneticamente pré-determinadas, estão ligadas à capacidade do organismo de se defender das agressões externas. Esses fatores causais podem interagir de várias formas, aumentando a probabilidade de transformações malignas nas células normais.

Na biologia chamamos isso de mutação.

Miguel Andrade disse...

Ana Carolina, aham! Vai nessa que a preocupação é com os não fumantes.

Essa historinha dos não fumantes é conversinha para manipularem a galera sempre ávida a seguir a o que os outros querem e acacham politicamente correto. Há muito exagero.

Alcool também mata, e muito mais rápido, famílias inteiras e é socialmente aceito. Aliás, alcoolatras ainda podem ser vistos em programas de humor como sendo engraçados.


Anônimo, obrigado pelas explicações.

Anônimo disse...

Bom, até agora só percebi uma coisa, como tu é enjoado, credu.

Miguel Andrade disse...

Anônimo, ;)

O cinzento disse...

Olá para todos ............
Maravilha o direito de uns, quando não interfere no direito de outros.
Apreciei a elegância da Letícia, parabéns !!!!
Se 73,5% da população mundial fosse assim ......... IDÍLICO ........... seria este planeta. Porém, estamos falando de realidades e baforar pro lado uma fumaça que deveria ser engolida e absorvida, é o fim! Almoçando, tomando café, na disco ou no teatro, não dá. Se formos tender para este lado, me dou o direito de "ARROTAR, TOSSIR, E FLATULENCIAR" mirando a pessoa ao lado.
O problema não é o câncer e sim, o incômodo que a fumaça causa, assim como bebidas alcoolicas e seus dependentes esdrúxulos e nonsense.

Miguel Andrade disse...

O Cinzento, Letícia é um luxo!

Ah, mas chega de leis paliativas á falta de educação. Se bem que hoje, desde que escrevi o post acima, mudei bastante.

Agora tanto faz, tanto fez. Isso aqui nunca deixará de ser o que é.

Juliana disse...

"Fumar em lugar fechado é coisa tão deselegante quanto usar muito perfume, ouvir música alta, furar fila, etc."
A questão é a seguinte: minha amiga trabalhava num ambiente fechado onde muitos fumavam e quase morreu por conta dos deselegantes fumantes, como fumante passiva. Os deselegantes que usam perfume e ouvem música alta não causam mal a saúde de quem é educado!!!

Miguel Andrade disse...

Juliana, mas aí é uma historia entre todas. Conheço também um alérgico a perfume que quase morreu...

Deselegância é deselegância de qualquer jeito, independente das historias pessoais de cada um.

Bruno disse...

Assino embaixo. O Estado não tem que ser babá de ninguém.

Related Posts with Thumbnails