segunda-feira, 16 de julho de 2018

5 astros clássicos em filmes disponíveis em sites de vídeos adultos

Não há Oscar ou super agentes que mantenham todas as carreiras sempre nos trilhos. Alguns atores e atrizes que  até foram indicados à estatueta da Academia participaram de alguns filmes que hoje não estão na Netflix ou Youtube, mas no Pornohub, Xhamster e Xvideos da vida.

É claro que entre os anos 60 e principalmente anos 70 o conceito de “filme adulto” era bem distinto do que entendemos hoje. O mundo vivia a euforia da revolução sexual e o cinema tentava levar isso como um gênero qualquer.

Por razões obvias, não colocarei o link para estes títulos, mas basta usar o tio Google do jeito que todos nós estamos carecas de saber usar.

Diana Dors em What the Swedish Butler saw – Champagnegalopp (1975 de Vernon P. Becker)
Linda e loira, Diana Dors surgiu como a resposta britânica ao fenômeno Marilyn Monroe. Atravessou o Atlântico rumo a Hollywood após uma série de filme românticos em seu país, alçando o estrelato também como cantora, mas jamais com estrelato jamais comparado ao de Marilyn.

Com o passar do tempo se manteve na mídia além dos filmes, aparecendo em programas de entrevistas e series televisivas.  Também conheceu o sucesso como cantora inclusive no Brasil.
Diana Dors como Madame Helena em Champagnegalopp
Ela já era uma senhora quando participou de Champagnegalopp, comédia sexplotation (fotografada em 3D!) que equivale a uma de nossas pornochanchadas. Participa de sequencias de sexo como espectadora além de aparecer cercada pelo elenco nu em algumas oportunidades da fita.

Aldo Rey em Sweet Savage (1979 de Ann Perry)
Galã promissor, chegou a trabalhar com nomes como Humphrey Bogart e homenageado por Quentin Tarantino em duas oportunidades. Em My Best Friend's Birthday (1987) o próprio Tarantino se diz chamar Aldo Rey e em Bastardo Inglórios (Inglourious Basterds, 2009) batizou o personagem de Brad Pitt de Aldo Raini.

Rey conseguiu uma sólida carreira em Hollywood, mas teve problemas com alcoolismo. Para piorar sua situação financeira ele acabou expulso do sindicato de atores.
Aldo Rey em Sweet Savage
Sua participação em Sweet Savage, um dos poucos a misturar faroeste com sexo, foi abordada aqui no blog anteriormente neste outro post aqui.  Ele nãos e arrependia de ter participado, ainda comemorava o tipo de férias que passou no deserto  e ainda recebeu alguns dólares.

Peter O'Toole em Calígula (Caligola, 1978 de Tinto Brass e Bob Guccione)
8 vezes indicado ao Oscar, Peter O'Toole (assim como todo o elenco “sério”) caiu em um filme de sexo explícito meio sem querer. Tinto Brass fez um filme forte, mas ameno em matéria de erotismo, o que obrigou o produtor Bob Guccione (da revista Penthouse) a dirigir sequencias hardcore para misturar ao que havia sido feito.
Peter O'toole como Tiberius
No elenco ainda a futura ganhadora do Oscar Helen Mirren (que seria indicada quatro vezes ao prêmio). A fama do filme até hoje talvez seja maior do que ele mereça, mas se encontra em vários destes sites, inclusive no pudico Youtube.

Jayne Mansfield em Promises..... Promises! (1963 de King Donovan)
Jayne Mansfield se notabilizou como uma espécie de caricatura de Marilyn Monroe. Chegou até a conquistar um contrato com a Fox, mas era difícil encará-lo como algo mais além de uma cópia estridente e cômica de Marilyn.

Além de loiras platinadas saírem de moda no começo dos anos 60, quando Marilyn faleceu em 1962 aquele tipo de humor que Mansfield fazia perdeu em absoluto sua graça. Para sobreviver ela intensificou shows em casas noturnas e participações em comédias de forte apelo sexual.

Promises..... Promises! é uma daquelas tantas comédias de situação comuns naquele tempo, mas de orçamento tão apertado que foi filmado em preto e branco. E Mansfield ainda aparece nua, mostrando os enormes seios que ajudaram a lhe fazer famosa.
A ousadia de Jayne Mansfield em 1963!
Jayne Mansfield trabalhou com Cary Grant entre muitos outros astros, mas jamais se tornaria estrela de primeira grandeza como Lana Turner e muito menos Marilyn Monroe. Fazer um nu no cinema daquela época também não a ajudou em nada.

Robert Strauss em Dagmar's Hot Pants, Inc. (1971 de Vernon P. Becker)
Ele foi indicado ao Oscar em 1954 por sua atuação em O Inferno N° 17 (Stalag 17), mas é rapidamente lembrado como o zelador incômodo em O Pecado Mora Ao Lado (The Seven Year Itch, 1955), ambos de Billy Wilder. 
Com Marilyn Monroe e Tom Ewell em O Pecado Mora ao Lado
Seu tipo de humor físico e versátil o levaria a TV. O veículo era relativamente novo, mas ele conseguiu fazer carreira em seriados como A Feiticeira, Perry Mason e The Alfred Hitchcock Hour.
Em Dagmar's Hot Pants no final de carreira
Quando participou de Dagmar's Hot Pants, Inc. (co-produção EUA, Dinamarca e Suécia) ele estava afastado da tela grande fazia algum tempo. Seria seu penúltimo trabalho o que é bem estranho vê-lo idoso (e ainda careteiro) em algumas sequencias de sexo simulado.

E é claro que este post deverá ser atualizado com o passar do tempo.Poucas coisas são mais maravilhosas do que obscuridades da sétima arte.

Veja também:
Jayne Mansfield VS Fafá de Belém

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails