terça-feira, 12 de junho de 2018

Haji, a mais versátil das garotas de Russ Meyer

Descoberta por Russ Meyer em um clube de stripers, Haji foi mais do que um amuleto do diretor. Participou de cinco de seus filmes como atriz e acumulou outras funções, como recrutar colegas da antiga profissão para atuarem no cinema.

Sua estreia no cinema foi no iconográfico Faster, Pussycat! Kill! Kill! (1965 de Russ Meyer) integrando o trio central de garotas caratecas capitaneado por Tura Satana. Um grande filme sensacionalista, cheio de defeitos, mas também, perfeito em subverter a tradicional linguagem cinematográfica.
 Em uma entrevista, quando o diretor já era cult, revelou que ao receber o convite disse que não sabia nem o básico sobre atuar. “Não se preocupe baby, apenas fique comigo, eu vou te ensinar tudo” lhe acalmou Meyer, “Então, eu meio que fiz isso, não era ótimo, mas era divertido".

Seria logo alçada a protagonista no próximo filme: Motorpsycho (1965). Uma loucura envolvendo gangue de motoqueiros delinquentes que perambulam pelo deserto atrás de arruaça e garotas.
Perguntada sobre o motivo que achava pra Faster, Pussycat! Kill! Kill! ter sido um sucesso acreditava que Russ estava à frente de seu tempo, “você simplesmente não via mulheres dominando e espancando homens naquela época. Russ fez algo que ninguém mais tinha imaginação para fazer. “ Imaginação, talento e coragem, pode-se completar.

Haji havia sido colega de Tura Satana em uma casa de stripers chamada “The Losers”, onde tirava a roupa ao som de coisas como “Garota de Ipanema”. Era uma das únicas com quem Satana se dava bem naquele lugar, as outras tinham medo dela, “Ela era muito ruim, ninguém se atreveria a usar a maquiagem ou a escova de cabelo, ou emprestar qualquer coisa dela.”.
John Waters considera Haji a mais versátil das mulheres de Russ Meyer, “pode mudar de uma ninfa exóticas a uma vadia jogando canivete em um piscar de olhos”. Responsável pelo casting em vários filmes, Waters acha que “Haji é a prova viva de que as mulheres de Russ Meyer eram melhores do que tudo o que possa estar no Screen Actors Guild”.
Exageros à parte, ela nasceu no Canadá em 1946 como Barbarella Catton. De uma família meio inglesa, meio filipina, seu nome artístico Haji na verdade era um apelido de infância dado por um tio.

 Até falecer em 2013 aos 67 anos de idade ela continuou fazendo shows burlescos e esporádicas aparições em comédias, quase sempre em referência aos seus tempos de atriz de Russ Meyer. Ela nunca se casou e teve uma única filha aos 15 anos de idade.
Haji em 2010   oxnardlbc
Contava com orgulho que nunca fugiu de casa, era apenas selvagem. Isso porque, começou a trabalhar como bailarina em clubes noturnos aos 14 anos, mentindo a idade mesmo temendo ser presa.

Em sua filmografia ainda se destaca A Morte de um Bookmaker Chinês (The Killing of a Chinese Bookie) dirigido por John Cassavetes em 1976. Mas claro, será lembrada para sempre pelos trabalhos com Russ Meyer.

E não era fácil trabalhar com Russ Meyer. Ele as empilhava em um caminhão e iam acampar no deserto onde tinham que tomar banho em barril de água gelada, lavar seus figurinos e tomar cuidado com cobras e escorpiões.
Por muito tempo ela achava que isso era normal para qualquer atriz até que a Fox, um grande e tradicional estúdio de Hollywood, contratou Meyer para De Volta Ao Vale das Bonecas (Beyond the Valley of the Dolls, 1970). “oooh !. . . Eles fazem o seu cabelo e maquiagem, eles te alimentam, eles te vestem. Mas estou feliz por ter aprendido com a escola Russ Meyer.”


Veja também:
Tura Satana por Billy Wilder
Como vestir uma vixen do Russ Meyer
De sensual pinup 50’s a mulher de negócios
Russ Meyer por John Waters ( ricamente ilustrado!)

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails