terça-feira, 8 de maio de 2018

Hit levou atriz de filmes adultos às pistas de discoteca e trilhas de novelas


Em Almondegas (MeatBalls, 1972)
Andrea True é um dos raríssimos casos de atriz de cinema adulto a conseguir com sucesso seguir carreira no entretenimento comum. No olho do furacão do surgimento da indústria pornô, esteve em Almôndegas (1972), estreia na direção de Gerard Damiano, o mesmo de Garganta Profunda (Deep Throat).

Ao lado de Linda Lovelace participou de Garganta Profunda II, inevitável sequencia do estrondoso êxito x-rated de 1974. Andrea True já era bastante conhecida, embora às vezes mudasse de nome para coisas como Sandra Lips.
Em Garganta Profunda II (Deep Throat II, 1974)
Paralelamente seguiu carreira de modelo de comerciais numa tentativa de não deixar de lado sua vocação e atriz. Foi assim que em 1976 foi parar na Jamaica, a fim de estrelar serie de anúncios de televisão de uma imobiliária.

Após o fim do trabalho foi informada que as leis daquele país haviam mudado e eles não permitiam que estrangeiros saíssem de lá levando o dinheiro ganho localmente. Ou gastaria o caché ou perderia o dinheiro ao voltar para os Estados Unidos.

Com incrível senso de oportunidade ela teve a ideia de contatar o amigo e produtor musical Greg Diammond nos EUA e lhe pedir que trouxesse uma canção. Em pouco tempo ele chegou à Jamaica trazendo uma base instrumental e com ajuda de artistas locais finalizaram “More, More, More”.

A música foi um grande hit no mundo todo chegando ao incrível 4º lugar do Hot 100 da Bilboard. Assista ao clipe de More, More, More no player abaixo.

Logo Andrea True lançaria o LP Conection e sua voz ecoaria em qualquer discoteque que se presava. Embora existam alguns filmes datados do período, ela declarou que preferia “ser garçonete ou datilógrafa a fazer outro filme adulto", dando a entender estrar cansada da antiga carreira, a qual não escondia.

Ainda em 1976 a canção “Call Me” apareceria na trilha sonora da telenovela brasileira O Casarão, escrita por Lauro Cesar Munis e produzida pela TV Globo. Em 1978 a canção “N.Y. You Got Me Dancing” foi parar como tema de personagens da telenovela Locomotivas, de Cassiano Gabus Mendes, também da TV Globo.

A música de Locomotivas havia sido o primeiro single do segundo LP de Andrea True, "White Witch" de 1977. Mais uma vez ela frequentou as paradas da Bilboard e outras listas das mais tocadas.

Em 1980, com a onda disco cada vez mais distante, ela apareceria com um terceiro álbum que passaria despercebido pelas rádios e boates. Sem contrato com gravadora ela se viu obrigada a retornar aos filmes pornográficos, embora este ramo já não era mais como antes com a chegada do VHS e sua velocidade em produzir e descartar profissionais.

Isso e a chegada de mais idade a fizeram sair do mercado. Ao mesmo tempo descobriu um câncer na garganta que lhe obrigou também a abandonar os palcos onde ainda fazia shows.

No anonimato passou a trabalhar como astróloga e voluntária em centros de reabilitação de viciados em tóxicos. Em 2002 reapareceu em documentário do canal VH1 sobre Disco Divas e disse que sua principal fonte de renda eram os direitos autorais da canção “More, More, More”.

Pra gente ter uma ideia hoje da força que esta canção teve, em 1976 mesmo, ano em que Andrea True a gravou na Jamaica, aqui no Brasil a Evinha (aquela do Trio Esperança) a regravou em inglês mesmo. A faxia (que continha na capa o nome da americana) pertenceu ao terceiro volume da coletânea lançada pela famosa Discoteca Hippopotamus e, conforme vemos no vídeo abaixo, chegou ao segundo lugar do Globo de Ouro.

Na década de 90 ela ainda seria lembrada quando a banda canadense Len (lembra?), samplearam “More, More, More” em um de seus singles. Bem e a musica nunca parou de ser tocada em trilha sonoras ou regravada, sendo a mais recente em 2017, pela norueguesa Dagny.

 Andrea True faleceu aos 68 anos de idade por insuficiência cardíaca em um hospital de Nova York em 2011. Sua ideia ao ser obrigada a gastar o caché abriu as portas para que tantos outros colegas atores e atrizes do cinema pornô seguissem os mesmos passos.

De Cicciolina a Marilyn Chambers, passando por Traci Lords a Dennis Parker, aproveitar a fama no cinema adulto para virar cantor parecia ser um caminho natural a trilhar. Claro que aí a ser bem sucedido é uma outra história.

Veja também;
Marilyn Chambers atrás do microfone
Cicciolina Vs. Debbie Harry

Dennis Parker like a eagle
Tal qual Hitchcock, diretor de Garganta Profunda apareceu em vários de seus filmes. Veja!

2 comentários:

Too-Tsie disse...

Que história fantástica, eu nem tinha idéia! Eu amo as músicas do Dennis Parker, apesar de parecer datado e brega, eu gosto de prestar atenção em todos os intrumentos que usavam na Disco music, uma orquestra inteira!

Eduardo disse...

Que legal esse post, essa informação! Só aqui mesmo! Parabéns!

Related Posts with Thumbnails