terça-feira, 13 de março de 2018

Conheça reciclagens da música de Drácula


Quando estreou no final de 1992, Drácula de Bram Stoker (de Francis Ford Coppola) não fez a crítica morrer de amores. Recebeu elogios, mas de toda pompa à novíssima montagem digital, tudo pareceu desconexo à última década do milênio.

Conduzida por Anton Coppola e composta pelo polonês Wojciech Kilar, sua trilha sonora parecia chamar mais atenção do que dialogar com as imagens na tela. Mas às vezes o cinema parece existir para dar sentido à máxima “Nada como um dia após o outro”.

Poucas trilhas sonoras de filmes foram posteriormente tão reaproveitadas quanto a de Drácula de Bram Stoker! O diretor Coppola comenta nos extras do DVD distribuído em 2007 que “Todos falavam mal, mas eu estava certo, já que todo mundo a reutiliza agora”.

Na verdade, a composição de trilha musical costuma ser uma das últimas coisas a ficar pronta de um filme. Assim, na hora de fechar um trailer para ser exibido nos cinemas acaba recebendo música de outra produção qualquer, mesmo que seja tão emblemática quanto a de Drácula.

Abaixo você vê e ouve cinco exemplos de filmes que não tem nada a ver com Drácula, mas que reaproveitaram sua música. São cinco aqui, mas creia que existem dezenas!

O Demolidor (Demolition Man, 1993 de  Marco Brambilla)


Provável que esta ficção científica como Stallone e Wesley Snipes seja a primeira a emprestar o tema de Drácula.  Tão recente que não sei como pôde.

Stargate - A Chave para o Futuro da Humanidade (1994 de Roland Emmerich)

Com leves alterações, mas ainda a trilha de Wojciech Kilar!

Os 12 Macacos (Twelve Monkeys, 1995 de Terry Gilliam)


Tentáculos (Deep Rising, 1998 de Stephen Sommers)

Não confundir com o filme homônimo italiano dos anos 70. Aqui é um caso estranho, que como outros, posteriormente seu trailer recebeu uma música especifica, mas no Brasil apareceu até nos intervalos da TV assim mesmo, remetendo ao Drácula do Coppola.

A Múmia (The Mummy, 1999 de Stephen Sommers)

Se Drácula foi uma tentativa da Columbia em resgatar os monstros da literatura clássica nos anos 90, o quão bizarro é a Universal usar sua música para anunciar A Múmia, sua tentativa de resgatar os monstros clássicos, área que reinou na década de 30? Bugou!

Veja também:
Drácula e a mágica da pesquisa visual
Leiloada peruca assombrosa de Gary Oldman
Sessentões na luta: Quando os monstros voltaram a assombrar
Drácula de Bram Stoker, o vídeo game
Quibe do Coppola?

O Drácula favorito do Coppola
Lado sombrio de John Williams


0 comentários:

Related Posts with Thumbnails