segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Duelo de Tietas: Betty Faria Vs. Sonia Braga

Quem gosta de uma boa contenda entre damas se divertiu bastante quando foi anunciado que Tieta, livro de Jorge Amado, viraria um filme estrelado por Sonia Braga. Betty Faria, que havia estrelado a adaptação do mesmo livro em telenovela em 1988, não se fez de rogada e aproveitou todas as entrevistas para reclamar que ela era a única Tieta.

Dirigido por Cacá Diegues, o filme chegou ao cinema em 1996. Betty Faria reclamando foi o menor dos problemas visto que o banco que apoiava a produção faliu no meio do caminho, o que atrasou as filmagens dramaticamente, mas causou mais burburinho.

É claro que sem o tremendo sucesso da novela em 1989 o filme não teria chamado tanta atenção, atraindo os melhores do Brasil em termos de música, figurinos, fotografia, etc. Mesmo sendo um  veículo diferente da televisão, Betty alegava que as pessoas jamais deixarão de lembrar dela  como Tieta.

Em entrevista recente ao programa do Pedro Bial no canal GNT (2016) a atriz relembrou que Zelia Gatai, esposa do autor foi quem disse que Tieta era para ela, enquanto ele ainda finalizava o romance lá em 1977. “Daqui a alguns anos você poderá ser ela” teria escutado, e assim foi, Betty correu atrás dos direitos para televisão na década de 80.

Consta que Sonia Braga, rosto fortemente associado a Amado por ter estrelado os grandes sucessos de bilheteria Dona Flor e Seus Dois Maridos e Gabriela (1976 e 1983, ambos de Bruno Barreto), além de Gabriela como novela em 1976, também foi atrás dos direitos da anti-heroína do agreste assim que terminou de filmar Luar Sobre o Parador (Moon Over Parador, 1988 de Paul Mazursky). Na época ela se relacionava com Robert Redford que aceitou bancar a obra.

Só que no meio do caminho estreou a novela escrita por Aguinaldo Silva e acabaram por engavetar o projeto cinematográfico. Em 1994, o produtor norte americano Donald Ranvaud (o mais importante do momento segundo o jornal Folha de São Paulo), concedeu entrevista ao jornal dizendo que só viu um capítulo da novela e gostou bastante da atuação de Betty Faria, mas a história seria diferente, atualizada para a era Collor.

Edição do livro após a novela EstanteVirtual
A ideia de Betty, segundo dizia na época, era registrar todo o elenco em película, o que seria muito prazeroso a todos, inclusive ao público. Hoje, com tanta coisa menor sendo adaptada da TV para as telas do cinema, pode parecer comum, mas na época não, fazer cinema no Brasil havia se tornado um luxo.

Em 1970 a novela Beto Rockfeller ganhou uma versão em filme com quase o mesmo elenco dirigido por Olivier Perroy, sendo que o maior atrativo era assistir aos personagens em cores! Tieta nos cinemas com elenco da novela teria, pelo menos, evitado as inevitáveis  comparações por parte do público.

 Em entrevista aocolunista Bruno Astuto em outubro deste ano (2016, vinte anos após a estreia do filme), Betty Faria respondeu sobre a suposta rixa que teria com Sonia Braga. “Tivemos contato há muitos anos, mas não somos amigas. Pelo contrário: ela não pediu licença para ser Tieta no cinema, e isso foi péssimo. Eu fazia turnê na época e, a cada cidade que chegava, as pessoas comentavam que odiavam, ficaram indignadas.” respondeu a musa.

Muitos anos antes disso tudo, Sonia Braga ficou com o papel de Julia Matos, protagonista originalmente escrita para Betty na novela Dancin Days (1978 de Gilberto Braga). Ela havia terminado o relacionamento com o diretor Daniel Filho preferindo estrelar o programa Brasil Pandeiro, musical mensal nas noites de sexta-feira da Globo.

A presidiária Julia Matos se tornou um tremendo sucesso, consagrando sua intérprete no país. Betty Faria sempre garantiu não ter problema nenhum com isso, que cada personagem tem “seu endereço certo”.

Veja também:

2 comentários:

Anônimo disse...

Adoro o trabalho da Betty, mas fora de cena tem comportamento típico de gente recalcada.

Xaverico disse...

Uma das maiores burradas do cinema nacional foi não ter chamado Betty Faria para fazer a Tieta e Joana Fomm para fazer a impagável Perpétua Esteves Batista.Esse erro é imperdoável.
Amo Sônia Braga e Marília Pêra mas Tieta não é Tieta sem Betty Faria e Joana Fomm.

Related Posts with Thumbnails