terça-feira, 30 de agosto de 2016

Kiki Roberts: Legítima subcelebridade 30's

Daily News
Beldades que se tornam famosas por vias tortas existem aos montes, mas não são exclusividade destes tempos de internet. Kiki Roberts, bailarina sensual, ficou conhecida dando entrevistas para vários jornais e revistas no mundo todo depois que seu amante, um perigoso gangster de Nova York, foi assassinado em 1931.

Kiki Roberts (nascida Marion Strasmick) abandonou os palcos na companhia renomada de Ziegfeld assim que conheceu Jack "Legs"Diamond na década de 20. Legs (Pernas em português) tinha esse apelido pela facilidade com que fugia da polícia e uma ficha corrida que remonta ao começo do século XX.
Legs era casado com Alice, mas sua esposa parece não ter se importado com a existência de Kiki. Naquele tempo o país estava em plena Grande Depressão, com a lei Seca em vigor transformando gangsteres em celebridades de tanto que apareciam na imprensa e raramente eram pegos.

Em 18 de dezembro de 1931, por volta da uma da madrugada, se despediu de Alice (que estava numa confraternização com amigos festejando Legs ter sido absolvido de mais um processo) e foi visitar Kiki numa casa que havia alugada para eles. Quando voltou por à 4h30 se deitou na cama e adormeceu, até que a casa foi invadida por dois homens do submundo, um lhe agarrou, outro atirou na sua cabeça.

Kiki só soube da noticia quando o dia amanhecia e ouviu os meninos vendedores de jornal gritando a manchete. Jack "Legs" Diamond havia sofrido incontáveis atentados de rivais do crime, mas nunca a moça nunca pensou que esse dia aconteceria.

A esposa era Alice, mas quem interessou mesmo para a imprensa foi a amante bailarina. Na entrevista para um cinejornal que você pode assistir abaixo (ou clicando aqui) ela aparece ao lado da mãe.

Revelou ao jornalista que o gangster era um namorado maravilhoso, carinhoso e amável. No fim aconselha as jovens como ela a ouvirem suas mães, coisa que infelizmente não fez, (mas que agora jamais se separaria da sua) e que iria tentar retornar sua carreira nos palcos (e encerram com o que parece ser um constrangedor beijo na boca. Assista!).

Depois do alvoroço ela continuou pipocando na mídia, até que Alice, a esposa oficial de Jack "Legs" Diamond foi assassinada em 1936, possivelmente pelos mesmos mafiosos do marido,  e a imprensa correu procurar Kiki Roberts.

Capa de uma revista polonesa   tajnydetektyw
Aqui no Brasil ela foi mencionada na coluna Semanatographo publicada em 23 de setembro de 1934 na Folha da Manhã (atual Folha de São Paulo). O artigo assinado por Helio Silva tratava sobre mulheres de criminosos. Talvez ela nunca soube, mas ficou famosa internacionalmente.

William Kennedy (ganhador do Politzer por Ironweed) na década de 70 foi pesquisar nos jornais de sua cidade natal (Albany, Nova York) para escrever romance sobre o Gangster e se deparou com a meteórica trajetória da bailarina, uma das primeiras subcelebridades da história moderna.

A partir de 1934, Kiki Roberts realmente tentou fazer um retorno. Ela chegou a ir para Hollywood e tentar entrar no cinema (filmes de Gangster eram a coqueluche do momento). Mas Will Hays, futuro czar da censura no cinema americano, decidiu que sua reputação era muito obscura e proibiu-a de aparecer nas telas. Então, ela voltou para o palco.

No ano seguinte foi agenciada por um dono de hotel, se apresentava em casas noturnas como “A amante do gangster Legs Diamond”.  Mesmo tendo sido uma garota dos célebres shows de Ziegfeld, seu romance proibido chamava mais atenção, o que nem sempre facilitava sua vida na hora de conseguir licenças para os espetáculos.

Ousada: Kiki Roberts se apresenta  
Para a polícia de algumas cidades, a reputação da moça era o suficiente para ela nem pisar lá. Mas a sorte pareceu que finalmente sorriria para ela em 1937 quando foi pedida em casamento por um empresário distribuidor de cerveja e, claro, aceitou.

Kiki enfrentaria outro problema amoroso. Numa noite, prestes a entrar no palco foi procurada pelo xerife local para assinar uma intimação de divórcio. Profissional, engoliu o choro e entrou em cena, mais sensual do que nunca.

A alegação era que, após a primeira semana do casamento, ela havia deixado o marido e voltado para o palco. Ela disse que amava o marido, mas assinou mesmo assim.

O problema seriam os sogros: “Eles insistem que sou uma caçadora de dotes. Isso machuca, porque realmente eu tenho conhecido ricos, mas nunca fui dessas. Se fosse eu teria algo para mostrar para eles.". E ninguém nunca mais ouviu falar em Kiki Roberts!

Arranjou um amor verdadeiro? Foi assassinada pelo mesmo grupo de gangsteres? Voltou novamente a morar com a mãe vivendo anonimamente em algum subúrbio até o fim de seus dias? Ninguém sabe.

Veja também:
Pierrot: O mistério da coquete desaparecida
Amante de Bruce Lee foi revelada da pior maneira possível
Sexo, álcool e morte no primeiro grande escândalo de Hollywood
Uma pinup no banco dos réus

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails