sexta-feira, 3 de junho de 2016

Uma cilada para a memória: Jessica não é uma pessoa má

Um filme nunca mais é o mesmo filme, porque, obviamente, nós nunca somos os mesmos. Isso se eleva quando se trata de rever alguns filmes da nossa infância.

Uma Cilada Para Roger Rabbit (Who Framed Roger Rabbit , 1988 de Robert Zemeckis) é um caso clássico desses. Antes de tudo, é muito melhor com menos histeria do marketing a que fomos expostos na época.

Ele não alcançou o patamar de popularidade póstuma do De Volta Para O Futuro (1985 de Back to the Future), filme anterior de Zemeckis, e a personagem Jessica Rabbit virou referência cafona de sensualidade. Isso não pode tirá-lo os méritos de um dos melhores da década de 80, refinado em técnica e arte.

A trama, uma frenética história de detetive, é ambientada na década de 40, Era de Ouro da animação norte-americana e também a do cinema noir. Um deleite de citações cinéfilas que nenhuma criança assimilaria.

Steven Spielberg, aqui como produtor executivo, nunca foi tão picante. Os diálogos sensuais de humor adulto têm algumas pérolas inesquecíveis como a dequando Jessica vai atrás do detetive Eddie Valiant (Bob Hoskins) em seu escritório e o pega literalmente de calças curtas.

 -Você não imagina como é difícil ser uma mulher que se parece como eu me pareço.
 -Você não imagina como é difícil ser um homem e olhar para uma mulher que se parece como você se parece...
-Eu não sou má. Apenas fui desenhada deste jeito.

“I'm not bad. I'm just drawn that way.”, melhor frase para um Hoskins com olhinhos brilhantes de volúpia. O ator, aliás, também não era fácil de se ser olhado, se é que você me entende.

Dá pra assistir só essa cena no player abaixo ou clicando aqui.

Coisa bastante óbvia de se perceber agora é a voz de Jessica Rabbit, a inconfundível da Kathleen Turner, super estrela do momento, não creditada para preservar a personagem. Cantando ouve-se Amy Irving, aquela altura esposa de Spielberg.

Uma Cilada Para Roger Rabbit está disponível na Netflix. Oportunidade ainda de ser assistido dublado (como eram todos os VHS do Brasil) ou legendado e com as ótimas vozes originais.

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails