quarta-feira, 29 de junho de 2016

6 documentários estranhos pra assistir na Netflix

Evito recomendar aqui coisas da Netflix porque ela muda constantemente o catálogo e o post envelheceria logo. Caso isso aconteça, vale procurar os filmes pela internet.

Espero que as informações deixadas facilitem a busca até de quem não usa a plataforma. Alguns trabalhos possuem vários pôsteres originais, mas tomei o cuidado de publicar os mais parecidos aos que são encontrados na Netflix.

The Nightmare (2015 de Rodney Ascher)

  O doc entrevista várias pessoas contam suas experiências de paralisia durante o sono. Sabe quando você acorda no meio da noite (mas também ainda pode estar dormindo...) e não consegue se mexer?

Interessante que o fenômeno é comum em vários cantos do mundo, mas nem sempre da mesma maneira. A maioria relata a visita de seres sombrios invadindo seus quartos na companhia de um misterioso homem de negro.

Junto aos depoimentos algumas reconstituições bastante realistas fazem ser um dos raros documentários assustadores. Isso sem descambar para sensacionalismo.

O filme jamais toma lado algum, tratando todos os casos com respeito assim como algumas possíveis explicações científicas ou metafísicas. Provável que você mesmo já tenha vivenciado experiência parecida.

The Birth of Saké (2015 de Erik Shirai)

Acompanhe o dia a dia do grupo de trabalhadores numa secular fábrica de saquê. A cada ano eles ficam isolados do mundo por seis meses durante o rigoroso inverso japonês.

Poético, o filme nos leva ao convívio das tradições milenares da manufatura da bebida quase sacra na cultura nipônica assim como do convivo entre os operários. Da colheita do arroz até chegar às prateleiras das lojas a bebida exige mais do que aptidão profissional, exige incrível abnegação.

No meio do caminho a luta para preservar a arte do saquê na fábrica familiar. Cada vez menos jovens aceitam a árdua tarefa, o que faz com que a empresa corra riscos com a aposentadoria ou morte dos velhos funcionários.


Finders Keepers (2015 de Bryan Carberry, Clay Tweel)

Cara comum vive de comprar em leilões o conteúdo de depósitos que as pessoas param de pagar. Num deles encontrou uma churrasqueira, ao abri-la se deparou com uma perna humana mumificada!

Bizarro?! Sim, mas não só isso é bizarro. O sujeito assumiu que o acaso fazia parte de seu maior sonho: ficar famoso, aparecer na TV e tudo. Era um predestinado, disposto a tudo!

E assim foi. passou inclusive a vender ingressos para quem quisesse ver a perna junto a suvenirs como camisetas e bonés. Logo estaria dando entrevistas na televisão.

Os planos iam bem até que surgiu o dono da perna que a queria de volta! Ele havia sido amputado num acidente aéreo que vitimou seu pai e por isso guarda carinho pelo membro.

Os dois acabam na justiça para delírio da imprensa que acompanha o caso em todos os detalhes. Realmente eles ficaram famosos, mesmo que de um jeito duvidoso.

Como não podia deixar de ser, pessoas complicadas possuem históricos familiares complicados e não somos poupados deles. Mesmo com pontos trágicos, o filme mantém o humor.

Mea Maxima Culpa: Silence in the House of God (2012 de Alex Gibney)

Filme da HBO ganhador de três  Primetime Emmy de um total de seis indicações. Repugnante história dos meninos surdos mudos que foram violentados sexualmente no colégio religioso que estudaram na década de 50.

Eles eram vítimas fáceis porque não poderiam se queixar para ninguém. Só maios velhos, durante a década de 70, enquanto fumavam maconha é que eles começaram a se lembrar dos abusos que sofreram e resolveram pedir justiça.

A batalha deles só ganharia o mundo no começo dos anos 2000, ajudando na discussão sobre os casos de pedofilia praticados por sacerdotes que o Vaticano encobre. Até lá foram décadas de descrédito e mentiras.

Há momentos de forte impacto e de tensão, como quando eles foram até a casa do padre já aposentado Lawrence Murphy confrontá-lo e pedir que se entregue à polícia. São tratados aos gritos por uma ajudante do religioso que alega que “se eles são cristãos, devem perdoar”.

Chuck Norris vs. Communism (2015 de Ilinca Calugareanu)

Com esse nome não se engane: Não é sobre Chuck Norris. Apaixonante e mágico retrato da Romênia nos anos 80, quando estava sobre um regime comunista totalitarista em que eram proibidos inclusive os filmes de Hollywood.

Na mesma época surgiu no mundo uma máquina chamada videocassete que ao entrar naquele país por contrabando (caríssimo, custava o mesmo que um carro), revolucionaria o entretenimento local. Quem podia ter um organizava espécies de cinemas clandestinos em casa.

Dessa forma, Chuck Norris, Stallone, Julia Roberts e o "american way"passaram a ser amados em segredo por aquelas pessoas. O documentário é rico em depoimentos saudosistas de quem viveu a época, assim como de reconstituições muito bem produzidas que retratam momentos de pura nostalgia e suspense policial.

Na Romênia havia apenas uma emissora de televisão estatal que as vezes exibia filmes americanos, mas todos mutilados. Nem cenas de café da manhã podiam exibir! Tudo era encarado como afronta capitalista.

Esses filmes eram dublados, mas num sistema diferente do nosso aqui do Brasil. Apenas Irina Margareta Nistor, uma senhora de voz tremula quase chorosa, fazia todas as vozes e alguns sons dos filmes.

A revelia do governo a própria Irina foi contratada pelos contrabandistas de fitas de VHS para também “dublar” as fitas que entravam no país. Num esquema que logo pareceria industrial (embora com fitas desgastas de qualidade sofrível), ela se tornaria um ícone romeno dos anos 80.

The Galapagos Affair: Satan Came to Eden (2013 de Daniel Geller e Dayna Goldfine)

Uma história absurdamente cheia de suspense e interrogações. Na Alemanha da década de trinta, Heinz Wittmer conhece Dore Strauch, se apaixonam cada um se separa dos cônjuges e resolvem morar no arquipélago de Galápagos.

Atravessam o planeta até chegarem ao paraíso desértico em busca da felicidade. Como trocavam cartas com parentes, a história deles vazou na imprensa e se tornaram célebres no mundo todo como os novos “Adão e Eva”.

Moravam "felizes" sozinhos com um burrinho e algumas galinhas numa ilha. Depois de alguns anos chegou outro casal, que, embora construíssem uma cabana próxima a eles, não se tornaram necessariamente amigos.

Ainda aportaram no lugar uma baronesa milionária com seus dois amantes. Poderiam surgir outros triângulos amorosos sob o sol? Estariam todos amaldiçoados pelas tartarugas de Galapos que, segundo lendas, sabem quem chega à sua terra com más intenções?

Daí por diante somos apresentados a uma série de mistérios e crimes ainda não solucionados. Ao mesmo tempo alguns depoimentos das poucas pessoas que ainda vivem nas ilhas vizinhas que cresceram ouvindo o estranho caso da década de 30.

Além da história intrigante, o filme é muito bem servido por material de arquivo em fotos e vídeos dos envolvidos e os diários de Dore Strauch são lidos por Cate Blanchett. 

1 comentários:

Eduardo disse...

Que dicas legais! Morro de preguiça de navegar no menu da Netflix, normalmente desisto antes de conseguir escolher qualquer coisa.

Related Posts with Thumbnails