quarta-feira, 25 de maio de 2016

O avesso da cena: Gloria Swanson e o leão

A super estrela Gloria Swanson contava com orgulho das perigosas filmagens de Macho e Fêmea (Male and Female, 1919 de Cecil B. DeMille). No filme ela deixa um leão de verdade colocar as patas sobre suas costas nuas: "Foi a coisa mais impressionante, perigosa, fascinante... Suponho que o perigo seja sempre assim, eu não sei, mas foi algo que eu nunca vou esquecer".
Demille havia cancelado a cena por achar muito risco para a estrela (uma das maiores do cinema mudo). Segundo entrevista que Swanson concedeu em 1981 (aos oitenta anos) ela foi até o diretor e implorou para fazê-la.

Sabia que era um momento importante para o diretor, então lhe lembrou que quando ela era criança sua avó tinha a reprodução de quadro onde se via um grande leão com as patas em uma treinadora morta. Então, ela estava disposta a representar a imagem que tanto lhe fascinava e não, mesmo sabendo do perigo.
Ao chegar para trabalhar naquele dia sentiu o peso do que faria ao perceber que Mr. DeMille estava segurando um pedaço de pau como arma, assim como a presença de dois treinadores igualmente armados. Para piorar, diziam que a fera havia matado alguém semanas antes.

Mas o show não podia parar e podemos imagina Swanson dizendo “Estou pronta para o ato de bravura, Mr. DeMille”. Um dos treinadores foi até ela e perguntou, se desculpando pela indiscrição, mas era para sua segurança se estava menstruada, não estava, para ela o maior risco era seu figurino pesado com quilos e quilos de pérolas e contas.
Na hora de rodar, por um instante abriu uma fresta de seus olhos. Sem levantar a cabeça, viu as pessoas da equipe técnica imóveis, absolutamente silenciosas. “Entre eles, alguém vestindo uniforme, com seus olhos parecendo quase fora de sua cabeça, era papai. Sua boca estava aberta de horror com a visão de sua filha única ao lado de um leão que ruge sobre ela. Foi o nosso primeiro vislumbre de um ao outro em cinco anos.”

Aí pensamos nas maravilhas que chroma-key e computação gráfica permitem hoje em filmes recentes que misturam humanos e animais ferozes como Mogli: O Menino Lobo (The Jungle Book, 2016 de Jon Favreau).  Menos risco, mas menos histórias pitorescas no futuro.
Ela sempre será grande, os filmes é que ficaram pequenos!

1 comentários:

Nayara disse...

Que bela história, que belo texto Miguel.

Related Posts with Thumbnails