terça-feira, 12 de abril de 2016

Cores reais: Histórico figurino de Joan Crawford

La Gatta Ciara
O título era The Bride Wore Red, A Noiva Estava de Vermelho literalmente em português, e isso devia bastar para que a plateia imaginasse a cor real desse espetacular vestido num filme originalmente fotografado em preto e branco. Apenas a gente pode realmente ver todo seu brilho e cor graças a fotos atuais.

Crawford diante do croqui de Adrian
Sim, ele sobreviveu ao tempo, quase oitenta anos depois! Hoje ele é exibido em mostras dos grandes figurinos de Hollywood, provas do período mais glamouroso do cinema.

No Brasil esse filme se chamou Felicidade de Mentira, produção de 1937 da MGM, dirigida por Dorothy Arzner, a única mulher na função durante a Era de Ouro dos estúdios de Hollywood. Um fiasco que entrou pra história mais pelo vestido e pela estrela Joan Crawford ser chamada de “Veneno de bilheteria” após uma sucessão e fracassos.

Crawford num encosto de Marlene Dietrich chega a cantar, o que foi bem raro em sua trajetória, mas não foi o suficiente para animar as plateias para este romance pouco otimista. Assista a esse trecho em que ela canta “Who Wants Love?” disponibilizado  gentilmente pela Warner Archives no player abaixo ou clicando aqui.

O vestido vermelho mesmo, claro, fica para o grand finale. Ele é de autoria do Adrian, figurinista da MGM fortemente associado a Joan Crawford por ter lhe criado as ombreiras, recurso que disfarçaria seus ombros largos os exagerando e que se tornaria a marca registrada da atriz.
Segundo o divulgado na época, o vestido foi produzido com dois milhões de canutilhos, costurados manualmente por dez costureiras durante duas semanas, pesando cerca de 13 quilos. Crawford teve que ensaiar com um outro vestido para preservá-lo.

Devem ter tomado cuidado mesmo, porque se mantém perfeito. Logo depois ele ainda foi reaproveitado em pelo menos outros dois filmes, sendo o primeiro Casa Maluca (The Big Store, 1941 de Charles Reisner ), comédia dos irmãos Marx.

Em uma de suas falas, Groucho não deixa de fazer piada com a magnitude da peça: “Este é um modelo vermelho brilhante. Mas Technicolor é tãããããããão caro...”. Era preciso ter imaginação.
Recycled movie costumes
Em 1943 ele reapareceu no extravagante Du Barry Era um Pedaço (Du Barry Was a Lady de Roy Del Ruth),  musical com Lucille Ball, Red Skelton e Gene Kelly, e finalmente foi mostrava em brilhos e cores vivas. Ainda assim, sem a capa.

Veja também:
Joan Crawford inspirou vilã de HQ
Sonia Braga usando um modelo de Adrian para Joan Crawford
Joan Crawford e Clark Gable antes e depois da fama
Onde patinhos feios tornam-se cisnes

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails