quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Figurinos repetidos e uma memória prodigiosa

Outro dia levei o seguinte diálogo pelo chat do Facebook com uma amiga e lhe pedi autorização para compartilhar aqui. Vai lendo o papo!


Fui conferir. O que é mais estranho: A Globo repetir figurinos em cenas marcantes de épocas próximas ou uma memória dessas misturada com um absurdo senso de observação?
O casaco “icônico” da Viúva Porcina no último capítulo de Roque Santeiro (1985/1986 de Dias Gomes e Aguinaldo Silva)

E novamente o casaco “icônico” agora na novela Cambalacho (1986 de Silvio de Abreu) vestido pela cantora Rosemary em participação especial. Atualmente a novela é exibida no canal Viva.

A blusa preta usada pela Monique Lafond (a atendente da loja em que a Raquel rasga o vestido da Maria de Fátima) em Vale Tudo (1988 de Gilberto Braga)

Serviu para Carmosina ficar de luto na missa “de corpo presente” da protagonista em Tieta (1989 de Aguinaldo Silva)

Veja também:
Sonia Braga Vs. Joan Crawford

3 comentários:

Eduardo disse...

Gente, isso é caso de hospício, rs... Muito bom!

Edison Eduarddo disse...

Tem q falar pra essa sua amiga aí que há outros casos nas mesmas novelas...
O modelo do vestido usado na cena em que a Porcina e a Matilde se encontram numa festa com o mesmo vestido (um rosa shock bem cheguei) de RQST foi usado à exaustão em cenas de Cambalacho. O exemplo é numa festa onde uma mulher sai de um bolo. Várias outras mulheres estavam vestidas naquele estilinho...

Miguel Andrade disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts with Thumbnails