sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

5 papéis que Bette Davis perdeu e que foram sucesso com outras atrizes

Em uma entrevista na década de 80, já considerada um mito, Bette Davis relembrou dos papeis que teve no seu auge como mocinha da Warner: "Lixo! Lixo e lixo!".  Sua fama de terrível começou aí, na década de 30.
Parece claro que essa “fama” não é muito justa, visto que a maioria dos problemas era porque ela só queria atuar em bons filmes. Mais do que uma estrela, foi uma operária da arte. Um filme com Bette Davis sempre vale a pena!

A própria se divertia ao se definir como um “lendário terror”. Na ocasião de seu obituário (em 1989) o New York Times relembrou suas palavras: "Eu era insuportavelmente rude e mal-educada no cultivo da minha carreira. Não tinha tempo para brincadeiras. Disse o que estava na minha mente e nem sempre era o que interessava. Eu tenho sido intransigente, apimentada, intratável, monomaníaco, sem tato, volátil e muitas vezes desagradável. Acho que sou maior que a vida".

10 vezes indicada ao Oscar (sempre por atriz principal), Bette Davis estrelou cerca de uma centena de filmes e apareceu em outros tantos entre 1931 a 1989. Alguns papeis ela perdeu, outros simplesmente não quis!

O jornal News Max listou cinco desses papeis que deixaram de tê-la no elenco e que foram um tremendo sucesso para a s atrizes que lhe substituíram.

1 – Uma Aventura na África (The African Queen, 1951 de John Huston)
O projeto original da Warner em 1938 era colocar David Niven e Bette no berço da civilização. Só que o filme empacou até 1949 quando a atriz estava grávida. O papel acabou dando uma indicação ao prêmio da Academia a Katharine Hepburn.

2- Anna E O Rei do Sião (Anna and the King of Siam, 1946 de John Cromwell)
A atriz ficou empolgada em aparecer nesta primeira adaptação de “Anna e o Rei” segundo seu biógrafo Ed Sikov. Já o estúdio dela, a Warner, não ficou nem um pouco e recusou emprestá-la para a Fox. Sorte para a atriz Irene Dunne.

3 – A Cruz da Minha Vida (Come Back, Little Sheba, 1952 de Daniel Mann)
Bette Davis recusou o papel neste melodrama sobre alcoolismo e considerava este o maior erro de sua carreira. Em 1952 ela havia feito Lágrimas Amargas (The Star, 1952 de Stuart Heisler) onde interpretou maravilhosamente uma estrela de Hollywood decadente (dizem que era inspirada na Joan Crawford), foi indicada ao Oscar e perdeu para Shirley Booth por A Cruz da Minha Vida. Booth ainda levaria o Golden Globe naquele ano.

4 - Porque o Diabo Quis (God's Country and the Woman , 1937 de William Keighley)
Célebre estopim da homérica briga que Bette Davis teve com a Warner. Seria este um dos “Lixo! Lixo e lixo!” que lhe ofereciam? Recusou-se a aparecer para trabalhar e foi suspensa o que gerou uma batalha legal entre ela e o estúdio. Coube a Beverly Roberts  estrelar o primeiro longa da Warner em Technicolor.

5 - ... E O Vento Levou (Gone with the Wind, 1939 de Victor Fleming e outros)
A decepção mais amarga foi perder o papel de Scarlett O'Hara para Vivian Leigh, conforme revela seu biografo.  Pro resto da vida ela se irritava ouvindo até uma simples menção ao filme.



0 comentários:

Related Posts with Thumbnails