sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Autor não teria visto a adaptação de Querelle

Quando Querelle (1982) chegou às telas o diretor Rainer Werner Fassbinder já estava morto, Jean Genet, o autor do livro que o inspirou não. E a gente sempre quer saber o que um autor acha da adaptação de seu livro.

Edição brasileira dos anos 80
Jean Genet simplesmente disse que não assistiu ao filme. “salas de cinema não permitem que se fume”, justificou. Quem nunca lamentou isso?

Tem o caso clássico de Anne Rice que desceu a lenha no andamento de Entrevista Com O Vampiro (Interview with the Vampire, 1994 de Neil Jordan) durante a produção e depois morreu de amores no lançamento. Quem leu o livro dela e viu o filme sabe que depois ela não podia estar falando sério.

Autores algumas vezes acabam elogiando o filme por terem porcentagem de bilheteria. O importante é saber que livros são livros, filmes são filmes, mas nem por isso estão sujeitos a terem seus deslizes perdoados.

A novela “Querelle de Brest” foi publicada originalmente em 1947 com autoria anônima. O roteiro foi adaptado pelo próprio Fassbinder, que teria desprezado a trama central destacando o impacto moral.

Inevitável que tenha retornado às livrarias de todo mundo após o impacto do filme. Aqui no Brasil a editora Nova Fronteira o publicou com o ator Brad Davis na capa além de abreviar o título apenas para Querelle.

Veja também:
“Todo homem mata aquilo que ama”

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails