sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Peter Capaldi, o Doctor Who, declara seu amor a Peter Cushing, o Doctor Van Helsing

 A revista SFX de novembro trará uma declaração de amor de Peter Capaldi ao ator Peter Cushing. Capaldi é o 12° Doctor na série de TV Doctor Who e Cushing foi o Doctor em duas produções para o cinema na década de 60.

Cushing também foi um dos principais astros do estúdio britânico Hammer, sendo o mais importante a interpretar Van Helsing. O atual Doctor Who assume o veterano ator como uma inspiração profissional.

"Eu amo Peter Cushing. Não importa quão ruim é o filme onde ele está sempre entrega todas as suas linhas de texto com grande graça e verdade. Obviamente tinha uma pilha inteira de coisas que ele fez, que ele aprendeu, que talvez alguém o tenha ensinado a fazer para ajudá-lo a obter o resultado em discursos longos. E uma coisa que ele sempre fazia é ascender o cigarro. Sempre que ele faz um discurso como ‘O lobisomem é uma criatura que aparece na lua cheia ', ele vai abrir a caixa de cigarro, pegar um cigarro e ascender. Aconteceu de eu estar falando sobre a múmia em ‘Mummy on the Orient Express', e eu pensei bem, eu não posso usar um cigarro - Doctor Who não fuma - Mas eu vou conseguir uma cigarreira e colocar jelly babies nela!”.

Esse episódio da múmia que Peter Capaldi se refere é o oitavo da oitava temporada (2014). Na época foi notada a referência ao quarto Doctor (Tom Baker de 1974 a 1981) que tinha como marca o vício em jelly babies, um tipo de bala de goma parecida aqueles ursinhos, mas afinal, ia mais além.

Capaldi continua: "Ele é um ator maravilhoso, muito subestimado, muito subestimado, mas amado. Eu acho que ele tinha muitos métodos interessantes. Lembro-me sempre do final de Drácula. Ele captura Drácula ao amanhecer. É no castelo de Drácula, e o roteiro dizia apenas para ele puxar as cortinas para deixar a luz do sol entrar. Mas ele disse: 'Não, eu quero saltar sobre a mesa, correr ao longo da mesa, saltar e ir para baixo com as cortinas!' Eles disseram: 'Oh, ok, se você quiser tentar ...' E ele fez isso e ficou fabuloso. Então isso é o que eu tentei fazer no outro dia. Elas disseram: 'Você vai lá e salta sobre o Zygon ... ' Eu disse, 'Eu prefiro saltar sobre um mesa e, em seguida, saltar sobre o Zygon!'".

Ele se refere ao épico final de O Vampiro da Noite (Dracula, 1958 de Terence Fisher). Uma das sequencias mais marcantes da infância de memória afetiva de muita gente.
Peter Cushing fez muitos outros personagens além do doutor Van Helsing na Hammer, sendo sua interpretação de barão de Frankenstein iconográfica na série de filmes do estúdio com o monstro de Mary Shelley. Mas é como Van Helsing que se mostra pleno como ator, uma mestre da interpretação num personagem tão surrado.

Não dá pra dizer que ele é o herói contra o malvado Drácula, subvertendo o jogo ao demonstrar gana igual por sangue quando martela suas estacas. Seria Van Helsing um louco escondido na fé cristã?

Veja também:

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails