quarta-feira, 12 de março de 2014

“Em Hollywood conhecem-no como o bonitão”


Olha só que sinal de status em Hollywood era “ser o galã de Marilyn Monroe” segundo esta revista de 1954. Dá a entender que Rory Calhoun era um novato, após ter empregos muito duros.

Ele estava com exatos 10 anos de carreira! Aliás, O Rio das Almas Perdidas (River of No Return, 1954 de Otto Preminger) não é o primeiro filme com a Marliyn em que participava.

Alan Ladd e Sue Carol
Em 1953 esteve em Como Agarrar Um Milionário (How to Marry a Millionaire, de Jean Negulesco). Um papel menor, mas importante, fazendo par com Betty Grable, uma das atrizes principais.

E que danadinha essa Sue Carol! Atriz e agente com olho clínico para galãs, ~ por suas mãos ~ passaram Alan Ladd, Rory Calhoun e sabe Deus quantos outros mais.

Foi casada com o cliente Alan Ladd (com quem teve dois filhos) de 1946 até sua morte em 1964. Reza a lenda que Sue Carol conheceu Calhoun enquanto ele cavalgava em um parque público.

Conseguiu para o “bonitão” um teste na Fox e batata! Foi contratado para Alegria, Rapazes! (Something for the Boys, 1944 de Lewis Seiler), filme com ninguém menos do que Carmen Miranda, a maior estrela do momento.

Sua carreira durou muito além da beleza física de galã (leia mais clicando aqui), trabalhando em filmes de baixo orçamento como Motel Hell (1980 de Kevin Connor) e produções televisivas. Aposentou-se em 1993, aos 71 anos de idade, seis anos antes de falecer.

A segunda foto é um oferecimento whos date dwho

Veja também
Para bom fisionomista
Quando a altura interfere no romance

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails