quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Doce lar de um bad boy


Momento de pura ternura de Robert Mitchum cozinhando para seus filhos James e Christopher. Para um ator que insistia em ser o cara do mau, o machão que desprezava a arte, deixando claro que só fazia filmes pra pegar mulher e ganhar uns trocos, é de uma candura ímpar.

Mitchum conquistou uma carreira espetacular de tipos detestáveis ou assustadores. É um dos quatro atores a aparecer duas vezes na lista do American Film Institute sobre os 100 anos dos maiores vilões (e heróis).

Apareceu lá como Max Cady de O Círculo do Medo (Cape Fear, 1962 deJ. Lee Thompson) e o nada religioso pastor Harry Powell deo Mensageiro do Diabo (The Night of the Hunter, 1955 de Charles Laughton). Os outros atores que aparecem duplicados são Jack Nicholson , Bette Davis e Faye Dunaway.

Na vida real, seu alcoolismo veio a público em 1984 quando se internou numa clínica, não que antes não cultivasse imagem de bêbado. A fama de incansável mulherengo não atrapalhou seu único casamento que durou mais de 60 anos, até sua morte em 1997.

No final de 1940 tornou-se um dos primeiros grandes astros a ser detido por porte de maconha. Ainda assim, era conhecido como célebre defensor das causas republicanas, chegando a fazer campanha para Bush pai em 1992.

A primeira imagem é um oferecimento WELCOME TO THE BIG SLEEP

Veja também:
Robert Mitchum CANTA!
Mais vida doméstica das estrelas

2 comentários:

Blob disse...

Vale mencionar que, segundo uma lenda, ele teria ajudado Charles Laughton a dirigir as crianças em "O Mensageiro do Diabo", pois o velho gorducho não gostava de crianças! mais uma prova de ternura do Mitchum. :)

Miguel Andrade disse...

Blob, uma lenda que toma força. O nome dele está incluído no IMDB como direção não creditada...

Related Posts with Thumbnails