terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Pausa para nossos comerciais


Com um pouco mais de luz, estas criaturas jamais teriam pisado a face da Terra. Lâmpadas OSRAM
Existe uma coisa comum entre Drácula, Lobisomem e Frankenstein além do fato dêles serem sanguinários, e você nunca tê-los recebido em casa.
Êles foram vistos por olhos que não podiam contar com a ajuda de muita luz.
Sem luz o homem não enxerga. Por isso, quando não pode ver o que existe, o homem inventa o que enxergar.
Quem está pagando este anúncio, é uma empresa que fabrica lâmpadas há quase cem anos. Nós fazemos um pouco de tôda luz, que ajuda você a ver as coisas.
Não pense que nós estamos nos chamando de "A empresa que arrancou o homem das garras de Drácula e outros monstros Ltda"; nós produzimos uma luz boa e correta.
OSRAM - Nós estamos ajudando o homem a enxergar a realidade. 

Fábrica de lâmpadas usa todos os monstros clássicos numa propaganda para explicar sua importância. Não é à toa que a existência de “Drácula e outros monstros Ltda.” pertencem ao imaginário do século XIX além dos romances que protagonizaram, quando energia elétrica estava surgindo.

A revista Popular Science trouxe um curioso artigo numa edição de 1933 tentando explicar cientificamente aparições fantasmagórica que acaba por dar no mesmo do texto das lâmpadas Osram, mas além da imaginação aponta também o físico. Leia clicando aqui.

Elas sobreviveram no século XX e (vão muito bem obrigado) neste começo de XXI graças, sobretudo, ao cinema. A propaganda, aliás, foi publicada em 1972, época em que as criaturas voltaram à moda com os estúdios Hammer, embora a aparência delas lembre bastante as vistas nos filmes da Universal dos anos 30 e 40.

Mas nem tudo é culpa da falta de luz. Dizem que em 1961, quando lançaram o primeiro Drácula da Hammer aqui, O Vampiro da Noite (Dracula, 1958 de Terence Fisher), houve uma onda de boatos em São Paulo sobre ataques de vampiro. Isso em S-ã-o P-a-u-l-o!

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails