quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Lado sombrio de John Williams

Com quase meia centena (!!!) de indicações ao Oscar, John Williams tem seu nome marcado para a eternidade na história do cinema. Mesmo sem saber seu nome, é provável que boa parte da população terrestre consiga assoviar quatro ou cinco de suas composições.

Poucos compositores de trilhas sonoras têm uma carreira representativa tão duradoura. Mas olha, embora possamos nos confundir com os temas de Star Wars com Superman e Indiana Jones, nada se compara ao “mais do mesmo” que o senhor tem feito nos últimos 20 anos.

 Banais, suas últimas trilhas nem de longe remetem ao brilhantismo de Tubarão (Jaws, 1975) ou E.T. - O Extraterrestre (E.T. the Extra-Terrestrial, 1982), ambos de Steven Spielberg. Em hipótese alguma o compositor merece ter seus antigos trabalhos desmerecidos pelo que apresenta na atualidade.

Ignorada por premiações, Drácula (Dracula, 1979 de John Badham) tem uma música injustamente pouco lembrada embora um momento memorável do compositor. Ouça no player abaixo (ou clicando aqui) a faixa“The Love Scene”, sombria, fresca e ainda com seu estilo tão marcado.


 É possível reconhecer nesta trilha citações a composições de John Badham para os Drácula da Hammer Films. Também é possível reconhecer algo do Williams daqui no que Wojciech Kilar fez em 1992 para o filme homônimo de Francis Ford Coppola.

A segunda imagem é um oferecimento Pongphun Chaigul

Veja também:
O Drácula de 1979
Trilha sonora do medo

O que há na música favorita de Norman Bates?
Filmes B trilhas sonoras A

[Ouvindo: Pé de Cedro – Duduca e Dalvan]

0 comentários:

Related Posts with Thumbnails