quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Mauricio Kill! Kill! Kill!

Quem aí viu Johnny Love (1987 de João Elias Jr.)? (grilos catam) Revoltante esse filme continuar sendo obscuro.

Maurício Mattar no pôster de mezzo fotógrafo, mezzo Rambo é promessa de quase um Citizen Kane nacional. Bizarro que o IMDB ainda não o catalogou...

Filme para jovens, com tudo o que de negativo pode ter a definição “para jovens”. Cinema no Brasil é de ondinha em ondinha, no caso, Beth Balanço (1984 de Lael Rodrigues ) abriu a Caixa de Pandora para muitos outros, adicionando música de FM ao que Menino do Rio (1982 de Antônio Calmon) já havia feito.

Daí teve (Rock Estrela (1986), Rádio Pirata (1987 ambos também de Lael Rodrigues, um tipo de John Hughes brasileirinho), Um Trem para As Estrelas (1987 de Carlos Diegues e Tereza Gonzalez) e assim por diante. A ironia de Johnny Love é que tem o mesmo título de uma canção do Metrô que o próprio grupo, popularíssimo nos anos 80, aparece interpretando ela em Rock Estrela.

No quesito “música” Johnny Love tem uma trilha sonora superior a qualquer outro do filme do tipo. Assinada pelo ex Mutante Sérgio Dias, o LP é raro e disputado por colecionadores.

Como o argumento não é de empolgar muito, dá pra assistir apertando a tecla Fast-forward (não fiz isso! JURO! rs). Jovem fotógrafo batalha para transformar a namoradinha numa estrela pop, tirando do caminho empresário inescrupuloso e Fim.

O pôster é uma gentileza Ivan Jerônimo.

[Ouvindo: Justice – ON'N'ON]

2 comentários:

Marco Gondim disse...

lembro de uma matéria do Celso Sabadin na revista Cinemim sobre a produção do filme mas não guardo lembrança dele ter estreado no cinema. Onde você conseguiu ver?

Miguel Andrade disse...

Marcio, saiu em VHS em 88 pelo que pesquisei. Dá pra encontrar o filme pra baixar na web. Um arquivo bem ruinzinho.

Related Posts with Thumbnails