segunda-feira, 13 de maio de 2013

Maravilhas de beira de estrada

Não há viagem de ônibus mais infernal que não compense esperar pela parada no meio do caminho. Já disse aqui antes o quanto amo estes templos do gosto duvidoso.

No trajeto até o sul do Estado de São Paulo há um clássico que tinha o estranho nome Borsatto. Por muito tempo eu achei que devia ser “BoLsatto” e o povo é que pronunciava errado.

Agora trocou pra outro mais esquisito ainda que não me ative a decorar. Continuarei de qualquer maneira o chamando de Borsatto, aliás, ~Bolsatto~!

Na verdade são dois. cada um de um lado da rodovia (Raposo Tavares?), com conteúdo distinto, embora, encontramos coisas pitorescas em ambos.

O banheiro do da esquerda (para quem está vindo, sentido capital) foi reformado. Incluíram repositórios de sabonete líquido, substituindo os antigos tubos de detergente Ypê. Veja só!

Em compensação, é no caminho dos WC do da direita que existe uma imagem de Nossa Senhora Aparecida em tamanho quase natural dando as boas vindas! Logo ao lado, gigantescos pôsteres de Jesus Cristo estão à venda.

Para cinéfilos não cristãos há o interesse de que um deles trata-se do ator Robert Powell na minissérie Jesus de Nazaré, dirigida por Franco Zeffirelli em 1977. Não é a primeira vez que encontro o rosto do ator inglês sendo usado como uma pintura renascentista.

De certa maneira, esse sub aproveitamento pop lembra muito aquela cena da igreja no musical Tommy (1975 de Ken Russell) que ele também trabalhou. E falando em Tommy e divindades, a coisa mais joia que eu vi neste dia (no do lado de lá) foi um pôster 3D da Marilyn Monroe.


 Tridimensional naquele estilo kitsch que víamos em cartões postais antigamente. Conforme mexemos a cabeça a imagem muda!

Não me aguentei e fiz um videozinho demonstrando o efeito que você vê no player acima ou clicando aqui.

Sabendo agora que o nome disso é Impressão Lenticular (se não me engano, tenho copão do Batman assim, brinde de fast food) . Fiquei tão empolgado que gravei o vídeo com o celular e nem olhei preço nem nada.

Não só empolgado, mas confuso. Tentando imaginar o tipo de decoração fantástica que este poster combinaria (numa parede ao lado de um daqueles com o Chaplin e seu pensamento humanitário?) .

 E creio que seria muita ironia se a foto fosse referente a Bus Stop (Nunca Fui Santa). Marilyn com o vestido esvoaçante em O Pecado Mora Ao Lado (The Seven Year Itch, 1955 de Billy Wilder) rivaliza bem com Robert Powell em Jesus de Nazaré.

Ainda havia uns DVDs com bang-bangs, kung-fu entre outros filmes B obscuros à disposição. Pena que a viagem era tão longa que vi tudo correndo pra dar tempo de fumar de novo antes de voltar ao ônibus.

Veja também:
Da série “coisas que amo”
No banheiro da estrada

[Ouvindo: The Game of Love – Daft Punk]

2 comentários:

Leticia disse...

O que é que posso dizer, meu anjo?... Mas a gente melhorou um pouco, né? Já não se encontram taaaaantos cachaçômetros e aqueles caixõeszinhos com um boneco que você abre e....

Mas as canecas de peito continuam firmes e fortes. É o Zorra Total aplicado ao mundo rodoviário.

Miguel Andrade disse...

Letícia, nunca mais eu vi o caixão do cara pintudo!!!!

Related Posts with Thumbnails