quinta-feira, 4 de abril de 2013

Lauro Corona e os mexericos pra posteridade

E andei lendo meu guia prático Astros e Estrelas da Nova Cultural (sim, aquele clássico de 1990!). Deparei-me com as seguintes linhas amareladas na bio do Lauro Corona:

“(...) e estreou no cinema em O Sonho Não Acabou (81). Mas nesse mesmo ano sua imagem de jovem sadio foi comprometida com a descoberta de um cheque seu em propriedade de traficantes de cocaína.”.

Desconhecia completamente esta informação... Mas, sinceramente, pouco, ou melhor, nada me interessa nela.

Burrada todo mundo já fez na vida. Nem faz muito tempo acompanhamos outro ator nas páginas dos jornais por um motivo bem semelhante, lembra?

Entendo o suposto "interesse jornalístico" do fato na época em que ocorreu. Tietes querem saber de tudo, algumas mais mórbidas inclusive as baixas de seus ídolos.

Agora registrar tal coisa numa biografia, que por natureza seria para a posteridade, sendo que não influiu em nada na trajetória do profissional é que é duvidoso. Como nunca tinha ouvido falar, pressuponho que não tenha influenciado.

Lauro Corona continuou sendo um dos galãs na TV e cinema mais conhecidos dos anos 80. Com ou sem a sua imagem de “jovem sadio”.

Veja também:
Nos anais da fofoca brasileira: Mario Gomes e a cenoura.
Louella Parsons e Hedda Hopper - As rainhas do mexerico
Pecado na Cidade dos Anjos
Narcisa e Isis de Oliveira na Veja


[Ouvindo: Jealous Guy – Robin Morris]

2 comentários:

Hélio Silvestre disse...

Vi pela primeira vez na TV , Lauro Corona, em Dancin Days, e achei aquele ator bem novinho carismático e com futuro na televisão. Infelizmente a vida apronta das suas...

Miguel Andrade disse...

Hélio, mas DD é de 78. Foi a primeira, ele era bem cru.

Teve um longo caminho depois.

Related Posts with Thumbnails