segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Estranha na fúria do sexo

A perigosinha Rose dando dica involuntária do que poderia ter sido Rabid – Enraivecida na Fúria do Sexo (Rabid, 1977 de David Cronenberg). Podemos ver claramente o cartaz de Carrie, A Estranha (Carrie, 1976 de Brian De Palma) na porta de um cinema enquanto caça futuras vítimas.

Era pra ser da Sissy Spacek o papel da moça bonitona que após sofrer um acidente e ser submetida a experiências médicas vê surgir um ânus assassino em suas axilas. Vinda de Carrie, teria se tornado uma scream queen 70’s.

Há duas versões para a troca. Uma diz que Spacek foi recusada pelo forte sotaque texano, e a outra de que o produtor pediu mais apelo sexual ao personagem.

Sorte de Marlyn Chambers, ex garota propaganda angelical, estava na crista da onda desde que protagonizou o clássico X-Rated Atrás da Porta Verde (Behind the Green Door, 1972 de Artie Mitchell e Jim Mitchell).

E assim aconteceu uma das primeiras tentativas de atores do cinema adulto tentarem seguir carreira em filmes convencionais, façanha dificílima até hoje.

Bom dizer que o talento dramático de Chambers não comprometeu em nada o trabalho de Cronenberg, além de ter ajudado no aspecto cult. E é graças à sua presença que o filme ganhou no Brasil o subtítulo estapafúrdio “Enraivecida na fúria do sexo”.

Veja também:
Quando um pause é perdoável
R.I.P. Marilyn Chambers
Astros pornôs que quase chegaram lá



0 comentários:

Related Posts with Thumbnails