sexta-feira, 19 de outubro de 2012

“A Laranja Mecânica dos anos 90”

Jura que Trainspotting – Sem Limites (Trainspotting, 1996 de Danny Boyle) é o Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971 de Stanley Kubrick)? Não é apenas nos títulos (e subtítulos) que as distribuidoras nacionais derrapam.

Os dois filmes foram comparados na campanha publicitária da época sem o mínimo pudor. Mesmo não existindo relação alguma além de mostrarem um grupo de jovens que consome drogas.

 E o tempo mostrou, após 16 anos, qual deles continua com uma incrível força. Vi o do Boyle no cinema, no finado Belas Artes em São Paulo, quase na mesma época em que conheci o do Kubrick em VHS assim como o li o livro de Anthony Burgess.

 Pra quem cresceu pós-ditadura militar havia um frisson em poder assistir a um filme proibido para menores de 18 anos. Eu tinha menos que isso, mas já ostentava uma farta barba, o que me fez passar batido pela bilheteira.

Com uma trilha sonora grudenta e um mundo cão de editorial de moda europeu era pra ser mesmo o hit do final de toda a adolescência. Revendo em DVD, com olhos de um adulto, parece ser uma histeria qualquer, com personagens de pouco interesse que caminham para um final moralista e edificante.

A discussão que ele pode proporcionar é meramente pessoal, principal diferença do Laranja, guardando, claro, conceitos artísticos à parte. Não deve ter muito que dizer a qualquer geração distante dos anos 90.

6 comentários:

Refer disse...

Lembro do rebu que Trainspotting causou na época, mas não assisti. Já havia há muito desistido de acompanhar cinema.

Mas há o problema de "rever o filme"; revisto, o filme piora.

Outro dia tentei rever A Última Sessão de Cinema. Desisti depois de meia hora — o filme é arrastado demais, tem personagens em exagero. É uma história pra ser resolvida em 70 minutos, no máximo. O filme tem mais de 120.

Miguel Andrade disse...

Refer, mas GRANDES filmes só melhoram. Agora há filmes que só fizeram zumzumzum na mídia e não eram tão bons assim.

Diferencinha entre clássico e filme antigo. rs

A Última Sessão de Cinema é aquele com a Cybill, não? Ainda não consegui ver, mas é bastante paparicado.

Refer disse...

O 1º filme dela. Tem Ben Johnson, Cloris Leachman e Ellen Burnstyn coadjuvando. Só pelos 3 vale a pena ver. Lembro de Sergio Augusto escrevendo sobre o filme no Pasquim. Incrível que lá se foram 40 anos.

Miguel Andrade disse...

Refer, e o primeiro a ficar famoso do Peter Bogdanovich, após coisas como O Planeta das Mulheres Pré Históricas.

Ela também tá linda em Taxi Driver. E putz, O SA era do Pasquima?

Refer disse...

SA era da patota do Pasquim. Quase tudo que li dele foi no jornaleco.

Bogdanovich fez um filme com Boris Karloff antes de 'A Última Sessão'. Aqui passou depois. O Karloff faz praticamente o papel dele mesmo. Achei muito bom. O título é Target. Em português, não lembro. Se ainda não viu, veja.

Miguel Andrade disse...

Refer, imaginei que el fosse mais novo. Se bem que o pasquim durou até os 80.

Sei desse filme, mas ainda não i. Tem em DVD no Brasil e tudo, mas sempre me escapou.

Ultimamente vejo muito o diretor em documentários de clássicos em DVD. Passou a estudar cinema.

Related Posts with Thumbnails