quarta-feira, 16 de maio de 2012

Ano Um e O Papa Negro

Parece uma daquelas fantasias de capeta, usadas nos carnavais do começo do século passado, mas é sério! Sério mesmo!

Esse é Anton LaVey, conhecido por ter fundado a primeira organização abertamente satânica da história recente. Mas antes ele foi músico em casas de burlesco, fotógrafo forense e domador de feras em circos...

Viu que em apresentações de (suposto) ocultismo atraia atenção da mídia. Deu tão certo que algumas celebridades toparam pegar carona, como Jayne Mansfield na imagem ao lado.

Em abril de 1966 ele raspou a cabeça num ritual, alegando se tratar da antiga tradição dos carrascos. Fundando a Church of Satan alardeou que 1966 era considerado o “ano 1”, o que nos remete a O Bebê de Rosemary (Rosemary's Baby, 1968 de Roman Polanski).

Na bíblia satânica que escreveu, defendia valores como materialismo e individualismo. Coisa que não faria o menor sentido a boa parte das igrejas cristãs de hoje que parecem indiretamente pregam o mesmo.

Ironia máxima ao passar mal em 1997, Lavey foi levado a um hospital católico, porque era o mais próximo. Morreu de edema pulmonar, numa data não revelada, embora seu atestado de óbito conste o dia de Halloween daquele ano.

A primeira imagem é um oferecimento Life on Mars, a segunda Phantom Patrol

Veja também:
O homem que enganou o papa


2 comentários:

Leticia disse...

Miguel, você me faria a gentileza, a amabilidade de dizer o significado ATUAL de "burlesco"? Agora todo mundo usa, e sinceramente, não consegui captar o sentido exato.

Miguel Andrade disse...

Letícia, bem lembrado! Burlesco já tá uma coisa "genial".

Tudo agora é "genial".


Qualquer puta sacolejando é burlesca. Só um rótulo pra não pegar tão mal quanto a força da palavra stripper.

Related Posts with Thumbnails