quinta-feira, 12 de abril de 2012

Sexo: Dos quadrinhos para a tela do cinema

Há quem acredite que se Sex in the Comics (de Eric von Letch) tivesse sido vendido apenas como uma comédia pornô seria lembrado agora como cult.
Mas era 1974 e pra atrair público foi divulgado mesmo como um pornô cômico.

Ponto pro atual obscurantismo. Uma das mais antigas adaptações de quadrinhos eróticos para o cinema, chama atenção pela fidelidade à origem, com cenários cartunescos e quase todo o elenco masculino usando bizarras máscara para parecer desenho.

A premissa é simples: jornalista visita um artista do estilo Tijuana Bibles (conhecido no Brasil como catecismo) e toma uma aula de história sobre a sexualidade invadindo mídias convencionais. A princípio ela toma só isso mesmo. Risos.

Junto à entrevista surgem imagens ilustrativas raras e depois as sketches, apresentadas por intertítulos. O humor do texto é ingênuo como se espera, sempre descambando para uma piadinha visual fácil tal e qual as publicações.

Não chega a ser memorável, mas vale a pena pela produção inusitada. Principalmente pra quem gosta de ganhar uma boa dose de vergonha alheia.

Aqui adaptaram os catecismos do Carlos Zéfiro em 1986. Os Anos Dourados da Sacanagem (de Paulo Antonione) tem roteiro melhor, mas não é tão bem feitinho quanto Sex in the Comics.

[Ouvindo: Johnny Remember Me – The Meteors]

4 comentários:

Alexandre disse...

Se gostasse de mulher ficaria bem desanimado com esse filme, não gosto de pornôs que retratam coisas sem sentido, tipo aqueles que os homens vestem couro hahaha

Miguel Andrade disse...

Alexandre, mas no caso é uma mera curiosidade. Não pornô pelo pornô.

Alexandre disse...

Miguel, teria medo de saber que alguém viu esse pornô pelo pornô. rs

Miguel Andrade disse...

Alexandre, é esse o ponto do "fracasso". Se bem que qualquer coisa que não seja pornô, mas tenha sexo explícito já acho uma furada.

Related Posts with Thumbnails