terça-feira, 6 de março de 2012

Sentinela da TV: Te Amarei Até Te Matar

O canal A&E estreou ontem (segunda-feira, 6) a série Te Amarei Até Te Matar ('Til Death Do Us Part aka Love You to Death). Produzido no Canadá, o programa gerou duas temporadas exibidas lá em 2006 e 2007.

Cada episódio independente ilustra um caso "baseado em fatos reais" onde o matrimônio acabou em assassinato. O apresentador, aos moldes de Tales From The Crypt, Alfred Hitchcock Presents e tantos outros, é o cineasta John Waters.

E é aí que a porca torce o rabo! O principal charme seria exatamente a presença de Waters, que não só apresenta e encerra, mas narra as histórias.

Seria... Se a emissora não o exibisse dublado em português! 80% do interesse em acompanhar o seriado foi pro ralo.

A dublagem é do tipo insuportável ou intolerável. Colocaram nele a voz de uma bicha velha genérica, comum nas dublagens, que deixa qualquer um parecendo que está recebendo encosto do Clodovil.

Entendo que colocar o áudio em português é necessário, porque há idosos com dificuldades em acompanhar legendas e também nem todo mundo sabe ler. Mas, não se trata de TV aberta.

Ainda mais com essa lei quando estiver em vigor obrigando TV fechada a ter horários específicos de programação local, pagar pra ter TV se tornará burrice. Sem falar no enxame de novos assinantes e a disputa por audiência das emissoras, antes muito mais seletivas no que exibiam.

Quem paga pra assistir um programa não tinha que ser como qualquer outro produto que se adquire esperando que ele funcione a contento? Te Amarei Até Te Matar, por exemplo, eu tive pela metade.

Minha operadora pelo menos dava a opção de áudio original, mas a de uma amiga não! Tive áudio original mas nada de legendas, como geralmente acontece.

Se a tecnologia hoje permite várias legendas e áudios em transmissões, não seria mais do que obrigação que fossem disponibilizados. Qualquer coisa que danifique a originalidade (como vozes em português do Brasil) tinha que ser uma segunda alternativa.

6 comentários:

Penny Lane disse...

Oi, Miguel!

Eu sei que a Sony está trazendo alternativas em relação a isso, com episódios dublados das séries de maior sucesso em horários alternativos. Acho que foi uma ótima sacada do canal. Espero que a lei não vigore, pois tenho dúvidas quanto à qualidade do que começará a ser transmitido pelos canais.

Um beijo grande.

Miguel Andrade disse...

Penny, não boto fé também. Óbvio que entendo que nosso mercado precisa ser protegido, como acontece em outros países.

Mas nãos e compara o que podemos esperar de "conteúdo classificado" com o que é feito na Inglaterra ou França.

E quem decidirá o que tem qualidade? O que é qualidade? rs

Dublados, dramaturgia rastaquera e mais um monte de porcarias já somos bem servidos de graça na TV aberta.

Penny Lane disse...

É diferente, por exemplo, das séries nacionais produzidas pela HBO, que apesar de contar com globais e afins, são produções de qualidade. As pessoas procuram a TV paga exatamente pela possibilidade de não ter que assistir a "pobreza" da TV aberta, e agora parecer que querem enfiar isso goela abaixo. Será que é 'tudinveja'? Acho que vou boicotar de vez a televisão.

Miguel Andrade disse...

Penny, e o que eles acham que é qualidade? Pq não fará parte da cota realitys...

Mas há realitys de incrível relevância perto daquelas produções ridículas nacionais com arremedos de sitcoms gringas que o Multishow já exibe.

Leticia disse...

Bem não tenho nada contra dublagem, desde tenha boa qualidade e seja uma alternativa. Você falou da bicha velha genérica e pude praticamete ouvir. É simplesmente horrendo, tosco.

Mas se preparem, viu? Sou de um tempo em que o Rádio FM era coisa de classe alta...

Não esperem muito mais do cabo. Meu pacotinho é basiquésimo, mas quando tenho oportunidade de dar uma passeada em pacotes imensos, fica difícil encontrar algo que valha a pena. Acaba-se pagando uma fortuna pra pinçar um ou outro filme bacana. O resto é depoimento da vida adiposa americana.

Miguel Andrade disse...

Letícia, se há a possibilidade tecnológica de todo mundo sair satisfeito, lamentável a gente ter a programação danificada.

A voz genérica de bicha está se tornando comum na TV a cabo. Principalmente naqueles programas de artesanato.

Evidente que ninguém fala de forma tão caricata. Imagino os atores morrendo de rir fazendo aquelas vozes...

Olha, o meu, graças a um regalo do tipo "cala a boca cliente chato", tá bem farto. As vezes passo semanas sem zapear até o último canal só de preguiça! hahaha!

Related Posts with Thumbnails