sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Momento Clube do Bolinha: Será ele ou ela?

Para quem gosta de enigmas, eis a multimídia Amanda Lear. A francesa, muito popular até a década de 90 no velho mundo, tem uma das biografias mais estranha que já vi.

Ex modelo e musa de Salvador Dalí na década de 60, conseguiu não se expor muito mesmo trabalhando como escritora, letrista, compositora, pintora, apresentadora de TV, atriz e cantora. Sabe-se que nasceu em 18 de novembro, mas pode ser no ano de 1939, 1946 ou 1950, em Hong Kong ou qualquer outra parte do planeta!

Brilhou como rainha disco com hits como Queen of Chinatown e Follow Me! As constantes aparições na TV, gerou dúvidas sobre seu gênero sexual: é ela ou ele?

Para tapar a boca do povo (e faturar em cima disso) posou para a Playboy em 1977. As fotos acompanhavam sua afirmação de que é uma mulher como qualquer outra.

Adiantou muito pouco. Existem alguns livros sobre Amanda que remontam seus tempos de teatro burlesco no Le Carrousel, antigo reduto de travestis parisienses frequentado por Dalí. Pintor e modelo teriam se conhecido nessa época.

Seria um transexual, o que se for verdade a torna a primeira a ser playmate. Honra que ela não está disposta a conquistar porque mesmo sua autobiografia sonega não só isso como o nome de batismo, filiação, data e origem de nascimento.

Agora a parte engraçada! A gente lê todo esse mistério, vai procurar um vídeo com ela e nos restam pouquíssimas dúvidas.

Não que vá mudar alguma coisa nas nossas vidas. Curioso tanta especulação em torno de um assunto tão simples e de pouca relevância a quem tem um currículo como esta senhora tem.

O mundo às vezes parece uma gigantesca gaveta de peças íntimas. Se as pessoas não conseguirem guardar calcinhas de um lado, cuecas do outro, ficam desbaratadas!

A primeira imagem é um oferecimento Jhalal Drut, e a segunda Dazzling Divas

[Ouvindo: Did I Remember (to Tell You I Adore You)? – Billie Holiday]

9 comentários:

BBardot disse...

kkkkkkkkk, Roberta Close define. rs
Ela tá bonita na primeira foto, hein? Parece que se inspirou na Jane Birkin...

Miguel Andrade disse...

BB, capaz que a seja o contrário em relação a Birkin.

Você ouviu? A voz pra mim é inconfundível! Hahaha!

BBardot disse...

Ouvi! hahahaa
Então, a foto tá lembrando a Jane mas talvez ngm se inspirou em ninguém até pq esse cabelo e makeup é típico parisiense ou swinging london. Prato cheio pra David Bailey, rs. E as duas eram ousadas! kkkk

Miguel Andrade disse...

BBardot, com certeza!

Daniel Tavernaro disse...

Miguel! Disco music... Bom, em relação a isto, até arrisco falar sem rotular um "suponho", rs.

Em 2000, ela gravou uma música chamada "From Here To Eternity", uma música super famosa nos anos 70, do Giorgio Moroder. Minha mãe tem um compacto simples dele!

Mas ele fez maravilhas - na época - que ecoam e guiam artistas até hoje. Inclusive fez um sucesso mediano aqui no Brasil, com suas gravações próprias. Porque, com Donna Summer, nem preciso citar, rs.

Mas esta música que ela gravou tem um estilo peculiar que ele "criou", que era distorcer algumas vozes femininas, dando aquele tom "metálico", com os recém-descobertos até então sintetizadores. O legal é que o maior exemplo de seu estilo é a música "Too Hot To Handle" (ouça se puder!), que está presente no álbum "From Hete To Eternity", e...preciso dizer mais, rs?

Mas....você diria "ok, entendo".
Ai, tem a versão dela de Copacabana e, quando a voz dela é mais grave que a do Barry Manilow, olha, é de se estranhar...hahaha.

Outra informação curiosa: Amanda Lear.... O som, em inglês, se aproxima a "A Man the liar", ou "O homem, o mentiroso".

Mas tem autores que afirmam que Dalí "o" encontrou como Alain Tapp ou "Peki D'Oslo", em Paris (no local citado em seu texto, Miguel - e também vale uma busca por imagens com este nome e... Bingo!?), e o levou para fazer um cirurgia de mudança de sexo em Casablanca.

Miguel Andrade disse...

Daniel, Moroder é a típica coisa que na época eu detestava e agora acho ~uma graça~!

Pelo menos nos anos 90 passei a ter horror dos sintetizadores 80's. Achava que tinha envelhecido demais.

E meu Deus, quanta informação! Não tinha reparado no lance do nome, faz muito sentido e deixa a personalidade ainda mais interessante!

Olha, já estou ouvindo Too Hot to Handle. Super valeu!

Daniel Tavernaro disse...

Tive que voltar aqui.
"Ela" lançou álbum novinho há algum pouco tempo. Alguns sites afirmam 2011, outros 2012; no entanto, só pude colocar as "mãos" nele agora.

Bom, de duas, uma: ou ela toma todos aqueles hormônios das Panicats (ou qualquer mulher "de corpão" da mídia) ou é irmão gêmeo do Cid Moreira!

Dê uma sondada Miguel...

Detalhe: fui dar uma conferida na Wikipedia e, não sei porque, algumas coisas que citei aqui, que na época da postagem não existiam, estão lá, detalhadas.

Estranho não?

Detalhe 2: se ela for mesmo mulher, já deu né? Já rendeu, ninguém aguenta mais. Mesmo sendo mulher, eu, se fosse ela, falaria que nasci homem, rs. Só para render ainda mais e explicitar o que todo mundo já sabia.

Daniel Tavernaro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Miguel Andrade disse...

Daniel, e agora eu tropeço volta e meia em fotos antigas dela com o Dali. Não me engana mesmo.

Related Posts with Thumbnails