sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Experimentos reais de exposição á violência

É apenas impossível ver pessoas atreladas a um fisiógrafo enquanto assistem filmes sem pensar no Alex de Laranja Mecânica (A Clockwork Orange, 1971 de Stanley Kubrick). E é igualmente difícil não associar o doutor nas imagens a intenções escusas do Estado.

A sequencia de imagens abaixo foi publicada na revista Life em janeiro de 1970.

“Os norte-americanos estão se tornando dependentes de violência? Em caso afirmativo, a violência que pode ser vista diariamente na televisão, por exemplo, pode contribuir para a dependência? Dr. Victor Bailey Cline, psicólogo clínico da Universidade de Utah, iniciou uma série de experimentos que lhe parecem apontar para uma conclusão afirmativa definitiva. Em um cinema de um assento em seu laboratório de Salt Lake City, Dr. Cline, à esquerda, e um colega, o Dr. John Atzet, exibem imagens em movimento de tipos e graus de violência diferentes aos indivíduos ligados a sensores que produzem fisiógrafos (à esquerda) com suas respostas para o que está aparecendo na tela. Os traços registram, respiração, umidade da pele e de ritmo cardíaco.

Dr. Cline diz que as crianças que assistiam televisão tendem mais a mostrar a menor resposta a episódios de violência. A partir disso ele tirou algumas conclusões preliminares: estamos criando viciados em violência, os atos de violência que a criança vê em média a cada 14 minutos nas 15 a 20 horas de TV que assista toda semana já deixou insensíveis muitos deles.

Além disso, Dr. Cline acredita que esses atos podem se tornar modelos a serem imitados por crianças, mais tarde, na vida real. "Estou convencido", diz ele, neste contexto, "que os soldados norte-americanos que derrubaram as mulheres e crianças vietnamitas em Mylai haviam sido insensíveis".

Participante do teste, Chris Cline, 9, uma dos oito crianças do Dr. Cline, demonstrou interesse, mas a resposta emocional foi pouca enquanto assistia a um curta de esqui, maior reação a uma cena de perseguição de WC Fields, The Dick Bank, e acima de tudo a uma cena de luta de boxe brutal em que Kirk Douglas é espancada em O Campeão. Dr. Cline, que tem dificuldades em encontrar crianças que não assistem TV para o grupo de controle de seu estudo em curso, diz que as crianças devem ser limitadas diante da TV (as dele estão restritas a uma hora por semana) e que "classificações gerais "de filmes devem ser estendidas a forte violência, não só para a pornografia.”


Para ler o texto original em inglês, clique aqui e vá ao Modern Mechanix. E tenho que falar algumas palavrinhas sobre o Dr. Cline!

Oito filhos? OITO!!! A televisão da casa do Dr. Cline fica restrita ao uso dos moleques, claro.

Bem esquisito também o papai afirmar que algo é negativo e mesmo assim permitir que suas cobaiazinhas tenham acesso. Digo, filhos.

4 comentários:

Leticia disse...

Meu querido, estou passando para afanar a fotinho do MacDowell lá pra casa, ok?

Sei que você não se importa. Darei créditos HDzísticos.

Bjos,

Miguel Andrade disse...

Letícia, opa! Mi casa su casa! :D

Leticia disse...

Obrigada, ornou muito bem. Bjs,

Miguel Andrade disse...

Letícia, ás ordi! Haha!

Related Posts with Thumbnails