terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Como curar pileque em um passo simples

Oi? Peão acorda rapidinho, rapidinho! Melhor que café forte e sem açúcar.

Isso por que, Lana Turner é o interesse amoroso de Kirk Douglas em Assim Estava Escrito (The Bad and the Beautiful, 1952 de Vincente Minnelli). Se fossem inimigos, poderíamos esperar garrafada na cabeça!

O mais impressionante na cena é o plano sequência pra tirar qualquer duvida sobre a possibilidade de dublê. Horas em cabelo e maquiagem indo ao beleléu em um segundo, pensando que ser estrela é só glamour?

[Ouvindo: Fumando Espero – Libertad Lamarque]

10 comentários:

Leticia disse...

E é bonito o plano sequência, tipo assim: estou eu aqui sozinho tendo de tomar uma decisão.

Olha para cima, como que pedindo a anuência de Deus para gesto tão radical...

(Não vi o filme, veja bem...)

Miguel Andrade disse...

Letícia, exatamente isso. Ele é um produtor hollywoodiano tentando dar uma vida de estrela a uma figurante, filha de um finado figurão do cinema.

No dia de gravar suas primeiras cenas como grande estrela, ela simplesmente desaparece. A reencontra bêbada, dias depois.

Quase como um batismo! rs

Leticia disse...

Ô, Jesuis!

Na vida real ela acordaria sozinha, sem sequer uma cartinha de demissão ao lado.

Iria ao escritório do produtor tentar salvar a coisa e não passaria nem da portaria do térreo.

Miguel Andrade disse...

Letícia, certeza! E naquele tempo também... Mas tem o fator sentimental, né? hahaha!

Leticia disse...

Só no filme.

E mesmo na vida real, o cara, lindo, maravilhoso e phyno que é, e por mais apaixonado que esteja, vendo que a moçoila é bagaceira desse jeito, se livrava rapidinho.

Miguel Andrade disse...

Letícia, certamente! Com uma fila gigante aguardando a vez... Se bem que... Não posso contar mais nada do filme! hahah

Leticia disse...

Pois é, não vi...

Miguel Andrade disse...

Letícia, nota-se um sub Crepúsculo dos Deuses, feito pouco antes, mas sem a mesma força. Esperava mais, mas não senti que perdi tempo vendo.

Leticia disse...

Filme antigo assim eu vejo na boa, sem maiores compromissos.

Falando nisso, ontem sem querer eu vi um pouco de Lady Chatterley na Cultura (aquele de 2006). Via pedaços, na verdade, e acabei pegando a última parte.

Pois não é que a bagaça terminou antes de acabar? Vai ver deu a hora do funcionário e ele não quis nem saber: parou tudo, fechou a portinha, bateu o ponto e foi embora, o miserável.

Miguel Andrade disse...

Letícia, sério? Sem créditos nem nada? Que estranho!

Não era só deixara fita rolando?

Related Posts with Thumbnails